PARA HOSPEDAGEM CLIQUE NA IMAGEM

PARA HOSPEDAGEM CLIQUE NA IMAGEM
PARA HOSPEDAGEM CLIQUE NA IMAGEM

sexta-feira, 30 de março de 2012

Revista de bordo da TAP é nomeada para prêmio nos Estados Unidos

Foto: Enos Moura Filho

O site da UP upmagazine-tap.com/, a revista de bordo da TAP, foi selecionado e nomeado para os CSS Awards 2012, na categoria de Lifestyle. Estes prêmios americanos têm como objetivo eleger os melhores websites desenvolvidos com a linguagem de estilo CSS (Cascading Style Sheets) no mundo inteiro.

Recentemente redesenhado e reprogramado pela empresa 262 Media – All Browser Solutions, o novo site da UP tem sido referenciado em várias publicações da especialidade.

Entre alguns dos critérios de avaliação para os CSS Awards destacam-se o nível elevado de criatividade visual do site e o bom funcionamento do mesmo. A votação online, aberta ao público, já está disponível em www.cssawards.net/. A atribuição dos prêmios conta também com um painel de júris provenientes de vários países e formados em áreas como o design gráfico, web design e web development.

Mais uma vez a UP é nomeada para galardões de categoria internacional, tendo já sido distinguida pelo site UCity Guides em 2009 e considerada como a melhor revista de bordo pela Marie Claire espanhola e pela RES Travel Magazine escandinava.

Além de distribuída a bordo dos aviões da TAP, a revista UP dispõe de uma versão online e atinge vastas audiências.

Fonte: Aviação Brasil.

Azul Linhas Aéreas lança voo direto entre Vitória e Recife


A Azul Linhas Aéreas recebeu autorização da Anac – Agência Nacional de Aviação Civil – para operar nova rota que ligará diariamente as cidades de Vitória e Recife a partir de 21 de maio. As passagens para o novo trecho já estão disponíveis em todos os canais de vendas da companhia. Os voos serão diretos, com duração média de 2h20.

Os Clientes que utilizarem o novo voo tem à disposição conexões para Belo Horizonte, Rio de Janeiro (Galeão), Fortaleza, São Luis, Salvador e Campinas, onde é possível ainda fazer conexões para várias outras cidades operadas pela Companhia.

As operações serão realizadas com os jatos Embraer 190 e 195.

Fonte: Aviação Brasil.

Lufthansa oferece, a partir desta semana, seis voos semanais entre o Rio de Janeiro e a Europa

Foto: Enos Moura Filho

A partir desta semana, a Lufthansa oferece seis voos por semana entre o Rio de Janeiro e a Europa. Com a ampliação do número de voos, o Rio de Janeiro estará conectado direto, sem escalas, a Frankfurt, na Alemanha, todos os dias da semana, exceto às quartas. E de Frankfurt, a Lufthansa oferece conexões para toda a Europa, Ásia e Oriente Médio.

Menos de dois meses depois de começar a operar a rota Frankfurt – Rio de Janeiro, em outubro do ano passado, a Lufthansa decidiu aumentar o número de voos por semana, passando dos atuais cinco para seis. A nova frequência começou a ser operada em 26 de março. As elevadas taxas de ocupação e a mudança de perfil do mercado carioca foram as razões para o aumento da oferta em tão curto espaço de tempo.

Os voos entre o Rio de Janeiro e a Europa são feitos a bordo do Airbus 340-300, equipado com três classes de serviços, Primeira Classe, Classe Executiva e Classe Econômica. Além do voo entre o Rio de Janeiro e a Europa, a Lufthansa oferece duas frequências diárias a partir de São Paulo, uma com destino a Munique e outra para Frankfurt. Dos dois centros de distribuição (hubs), a companhia aérea oferece conexões para toda a Europa, Ásia e Oriente Médio. Mais informações e reservas em www.lufthansa.com.br

Fonte: Aviação Brasil.

Lider Aviação apresenta crescimento em 2011

Foto: Enos Moura Filho

A Líder Aviação divulgou o balanço do ano de 2011. A receita operacional bruta consolidada apresentou aumento de 9,1%, em relação a 2010, alcançando o valor de R$697.672 mil. Evolução proporcionada pelo aumento do faturamento das Unidades de Operações de Helicópteros, Manutenção de Aeronaves, Fretamento e Gerenciamento de Aeronaves e Atendimento Aeroportuário.

Em 2011 a empresa prosseguiu com o seu plano de expansão, apresentando diversas novidades, como a aquisição de mais um helicóptero de grande porte, modelo Sikorsky S-92, com capacidade para até 21 passageiros.

Para incrementar a infraestrutura aeroportuária foi aprovada a construção e reforma de novos hangares no aeroporto de Itanhaém (SP) e Campos dos Goytacazes (RJ) para as operações de helicópteros, com previsão de conclusão em 2012. Além disto, a empresa está iniciando a construção de um novo hangar no aeroporto do Galeão (RJ), com previsão para início das operações em 2013.

Em 2010 a Líder Aviação, através de uma joint venture com a CAE Simuflite, firmou um contrato para a aquisição de um simulador de vôo a ser implantado no Brasil, para realização de treinamentos de pilotos dos helicópteros do modelo Sikorsky S76 C+ e C++. Este equipamento, que se encontra em fase de fabricação, será o primeiro simulador de helicóptero nível D (o mais moderno e fidedigno do ponto de vista tecnológico no que diz respeito ao visual e aos movimentos) a ser implantado no Brasil. O início da operação do simulador está previsto para o final de 2012.

A perspectiva da Líder para esse ano é prosseguir os planos de investimento e ampliação das operações, através da aquisição de novos helicópteros, ampliação e reforma da estrutura de hangares nos aeroportos, entre outros investimentos em veículos, ferramentas, equipamentos e informática.

FONTE: Aviação Brasil.

Mais um Embraer para a Azul

A Azul Linhas Aéreas colocou em operação esta semana sua 40ª aeronave da Embraer, um jato modelo E195, para 118 passageiros, matrícula PR-AXD. Batizado de “Azulão*”, o jato é um dos mais modernos do mundo em sua categoria e faz parte dos oito aviões do mesmo modelo que a companhia deve receber até o final do ano e dos 17 que chegarão até 2015, conforme já divulgado. Em fevereiro, a Azul anunciou um novo contrato de US$ 478 milhões com a Embraer, o qual prevê mais dez opções de compra a partir de 2015. Se concretizada a compra, a empresa terá 67 jatos, dos quais 57 E-195 e 10 E-190.

Além dos jatos, a Azul também firmou um contrato de US$ 227 milhões com a ATR, fabricante franco-italiana de aviões turboélice, em junho de 2011 para compra de 30 aeronaves modelo ATR 72-600 e mais 10 opções de compra, as quais serão entregues até 2015. Os ATR darão continuidade a expansão da companhia em cidades de menor densidade. Até o final do ano, a Azul deve receber mais 12 ATR 72-600 e devolver os 6 ATR 72-200, totalizando uma frota de 63 aeronaves – 46 jatos e 17 ATR 600.

FONTE: Aviação Brasil.

IATA pede investimento em resposta ao aumento do transporte aéreo regional

Foto: Enos Moura Filho

O tráfego de passageiros de avião aumentará na América Latina 7,2% em 2012, uma região que precisa com urgência investir em infraestrutura e segurança para fazer frente a esta expansão, alertou nesta quarta-feira, em Santiago, a Associação Internacional de Transporte Aéreo (IATA).

“A previsão de crescimento de tráfego de passageiros para a região é de 7,2% em 2012″, afirmou em uma coletiva de imprensa Tony Tyler, diretor-geral da IATA, no âmbito da Cúpula Latino-Americana e do Caribe de Aviação, em Santiago. “O futuro da aviação latino-americana é brilhante”, acrescentou Tyler, alertando que, para que não seja uma “frase vazia”, é necessário que sejam investidos maiores recursos em infraestrutura e segurança.

Tyler criticou os elevados preços pagos pelos investidores dos últimos aeroportos concessionados no Brasil, e afirmou que “os investimentos devem ser recuperados por meio de uma eficiência maior que permita um crescimento do tráfego, não com taxas mais elevadas às companhias aéreas”.

Para a IATA, as recentes privatizações de aeroportos no Brasil “pretendem acelerar a materialização de investimentos em infraestrutura aeroportuária com a aproximação da Copa do Mundo de futebol de 2014 e dos Jogos Olímpicos de 2016″. “A infraestrutura é claramente deficiente em muitos países, mas não percebo um nível de urgência entre os governos para solucionar o problema mediante soluções integrais”, criticou Tyler.

Em nível global, a IATA indicou que 2011 foi o melhor ano da história quanto à segurança dos passageiros de avião, mas a América Latina ficou abaixo da média. “O tráfego aéreo da América Latina representa 6% do tráfego mundial, mas representou 27% da perda total de cascos de aeronaves. Se isso não melhorar, significa que com o atual índide de acidentes, em seis anos as linhas aéreas aqui terão um grande acidente a cada oito semanas”, disse Tyler.

O aumento do preço do combustível é também um dos grandes obstáculos para o setor, segundo a IATA. O organismo revisou a previsão de lucros das linhas aéreas deste ano para 3 bilhões de dólares, cerca de 500 milhões a menos que os indicados em dezembro, com um cálculo de preço do barril de petróleo a 115 dólares e não em 99 dólares como na previsão anterior.

Para a América Latina, a IATA prevê que os lucros para as companhias aéreas latino-americanas ficarão em 100 milhões de dólares em 2012.

O Chile – o país da região no qual seus cidadãos mais viajam de avião em grandes distâncias – aumentará em 7,8% seu tráfego aéreo de passageiros, a mesma porcentagem de crescimento que se prevê para o Peru.

Segundo Tyler, a Argentina registrará um crescimento no setor de 7,6% neste ano, enquanto o tráfego de passageiros na Colômbia crescerá 7,6%, 6,5% no México e 6,3% no Equador. Enquanto isso, o número para o Brasil será de 7,5% em 2012, e espera-se que esta porcentagem se modere a 7,4% até 2015.

A IATA reúne 240 companhias aéreas de 130 países, que representam 94% do tráfego aéreo internacional.

Fonte: http://veja.abril.com.br

FedEx Corp. reporta forte crescimento nos lucros do terceiro trimestre

Foto: Enos Moura Filho

Lucro Operacional da FedEx Ground Cresce 43%

A FedEx Corp. (NYSE: FDX) reportou essa semana lucros de US$1,65 por ação diluída para o terceiro trimestre de seu ano fiscal, encerrado em 29 de fevereiro. Esse valor inclui uma reversão de US$ 0,10 por ação para a reserva da FedEx Express para assuntos legais. No ano passado, os lucros do terceiro trimestre foram de US$ 0,73 por ação diluída, incluídos os US$ 0.08 por ação diluída relativos a custos relacionados à fusão das operações da FedEx Freight e FedEx National LTL. Excluindo esses itens pontuais, os lucros foram de US$ 1,55 por ação diluída no terceiro trimestre, ante os US$ 0,81 por ação diluída de um ano atrás.

“Os resultados da FedEx Corp. decorrem dos aumentos de produtividade, do envio recorde de pacotes durante as festas de fim de ano e do desempenho excepcional da FedEx Ground”, disse Frederick W. Smith, chairman, presidente e CEO da FedEx Corp.. “Esperamos que este desempenho sólido se repita no quarto trimestre, coroando assim um forte ano fiscal.”

Resultados do Terceiro Trimestre

A FedEx Corp. divulgou os seguintes resultados consolidados para o terceiro trimestre:

· Receita de US$ 10,56 bilhões, alta de 9% em relação aos US$ 9,66 bilhões do ano anterior

· Lucro operacional de US$ 813 milhões, alta de 107% em relação aos US$ 393 milhões do ano passado

· Margem operacional de 7,7%, que cresceu em relação aos 4,1% do ano anterior

· Lucro líquido de US$ 521 milhões, alta de 126% em relação aos US$ 231 milhões de um ano atrás

O lucro operacional aumentou em função do forte e constante desempenho da FedEx Ground, estimulado por um aumento na produtividade e nos volumes, e também em função dos resultados sensivelmente melhores da FedEx Freight. O lucro operacional também reflete o impacto ano-a-ano positivo, predominantemente na FedEx Express, do benefício do intervalo entre o aumento nos preços do combustível e o momento em que as sobretaxas indexadas de combustível se ajustampara refletir o novo patamar. A empresa também se beneficiou de uma alíquota fiscal menor e de um inverno menos rigoroso.

Perspectivas

A FedEx projeta lucros de US$ 1,75 a US$ 2 por ação diluída no quarto trimestre e um lucro ajustado de US$ 6,35 a US$6,60 por ação diluída para o ano fiscal de 2012. Essa previsão pressupõe a atual perspectiva do mercado para os preços do combustível e um crescimento moderado na economia global. Considerando a reversão para reserva legal da FedEx Express, os lucros esperados são de US$ 6,43 a US$ 6,68 por ação diluída para o ano fiscal de 2012. A companhia divulgou lucros de US$ 1,75 por ação diluída no quarto trimestre do ano passado. A despesa de capital prevista para o ano fiscal de 2012 continua sendo de US$ 4,2 bilhões.

“Estamos muito satisfeitos com o ganho de desempenho da FedEx Ground e da FedEx Freight no terceiro trimestre”, disse Alan B. Graf, Jr. vice-presidente executivo e CFO da FedEx Corp.. “Estamos avaliando ações para ajustar a capacidade da rede doméstica da FedEx Express nos EUA e melhorar sua eficiência.”

Segmento FedEx Express

Para o terceiro trimestre, o segmento FedEx Express reportou:

· Receita de US$ 6,54 bilhões, alta de 8% ante os US$ 6,05 bilhões do ano passado

· Lucro operacional de US$ 349 milhões, alta de 96% ante os US$ 178 milhões do ano passado

· Margem operacional de 5,3%, que cresceu em relação aos 2.9% ao ano anterior

A receita doméstica por pacote nos Estados Unidos cresceu 9% devido ao aumento na tarifa por libra e às sobretaxas de combustível, ainda que a volume diário de pacotes tenha caído 4%. A receita de IP (International Priority), referente a remessas expressas internacionais, por pacote cresceu 5% devido às sobretaxas de combustível e ao aumento da tarifa por libra, embora o volume diário de pacotes tenha caído 1%. A quantidade média diária de libras de carga expressa internacional cresceu 4%, com a receita por libra crescendo 2% em razão das maiores sobretaxas de combustível. No total, a média diária de pacotes de IP e o total de carga aumentaram 2%, e a receita aumentou 6% na comparação ano-a-ano.

O lucro operacional e a margem melhoraram no trimestre, refletindo o benefício ano-a-ano do intervalo entre o início da cobrança da sobretaxa de combustível e início dos efeitos do aumento do combustível e a reversão de uma reserva de US$ 66 milhões para assuntos legais. Os resultados deste ano se beneficiaram de um dia a mais de operação, enquanto os resultados do ano anterior foram prejudicados pelo rigor do inverno.

Segmento FedEx Ground

Para o terceiro trimestre, o segmento FedEx Express reportou:

· Receita de US$ 2,48 bilhões, alta de 14% ante os US$ 2,18 bilhões do ano passado

· Lucro operacional de US$ 465 milhões, alta de 43% ante os US$ 325 milhões de um ano atrás

· Margem operacional de 18,8%, alta em relação aos 14,9% do ano anterior

O volume médio diário de pacotes da FedEx Ground cresceu 5%, graças aos aumentos do serviços da FedEx Home Delivery, e do mercado business-to-business. A receita por pacote aumentou 8% devido, principalmente, ao aumento nas tarifas e às maiores sobretaxas de combustível. O volume médio diário da FedEx SmartPost subiu 13% devido, principalmente, ao crescimento do comércio eletrônico. A receita por pacote da FedEx SmartPost aumentou 5% devido, principalmente, às maiores sobretaxas de combustível.

O lucro operacional e a margem aumentaram devido, principalmente, ao aumento na receita por pacote e ao crescimento no volume. Durante o ano, continuamos reduzindo os tempos de trânsito através da aceleração de várias rotas em todo os Estados Unidos, o que resultou em índices consistentemente altos de pontualidade no serviço.

Segmento FedEx Freight

Para o terceiro trimestre, o segmento FedEx Freight reportou:

· Receita de US$ 1,23 bilhão, alta de 10% ante o US$ 1,12 bilhão do ano passado

· Prejuízo operacional de US$ 1 milhão, ante o prejuízo operacional de US$ 110 milhões de um ano atrás

· Margem operacional de (0.1%), ante os (9,8%) do ano anterior

Os resultados da Less-than-truckload (LTL) aumentaram 6% graças às maiores sobretaxas de combustível e à melhora nos resultados de lucratividade na base. A média diária de envios da LTL aumentaram 2%, refletindo uma melhora sequencial durante o trimestre e bases de comparação favoráveis, consequência do inverno rigoroso do ano anterior.

Os resultados operacionais no trimestre melhoraram expressivamente em decorrência dos impactos positivos da maior produtividade e volume, inverno mais ameno, um dia a mais de trabalho e constantes ganhos de eficiência operacional. No trimestre do ano anterior, o segmento incorreu em despesas pontuais de US$ 43 milhões, devido à fusão das operações da FedEx Freight e da FedEx National LTL, ocorrida em 30 de Janeiro de 2011.

Fonte: Aviação Brasil.

América Latina: tráfego aéreo de passageiros crescerá 7,2%

Foto: Enos Moura Filho

O tráfego de passageiros de avião aumentará na América Latina 7,2% em 2012, gerando lucros de US$ 100 milhões para as companhias aéreas, informou em Santiago a Associação Internacional de Transporte Aéreo (IATA).

“O prognóstico de crescimento de tráfego de passageiros para a região é de 7,2% em 2012″, afirmou em uma coletiva de imprensa Tony Tyler, diretor-geral da IATA, no âmbito da Cúpula Latino-Americana e do Caribe de Aviação, em Santiago. A IATA, que rebaixou a previsão de lucros para as companhias aéreas internacionais devido à alta prolongada do preço do petróleo, prevê que os lucros para as companhias aéreas latino-americanas ficarão em US$ 100 milhões em 2012.

Segundo Tyler, a Argentina registrará um crescimento no setor de 7,6% neste ano, enquanto o tráfego de passageiros na Colômbia crescerá 7,6%, 6,5% no México e 6,3% no Equador. O Chile – o país da região no qual seus cidadãos mais viajam de avião – aumentará em 7,8% seu tráfego aéreo de passageiros, a mesma porcentagem de crescimento que se prevê para o Peru.

Enquanto isso, o número para o Brasil será de 7,5% em 2012, e espera-se que esta porcentagem se modere a 7,4% até 2015. Para a IATA, as recentes privatizações de aeroportos no Brasil “pretendem acelerar a materialização de investimentos em infraestrutura aeroportuária com a aproximação do Mundial de futebol de 2014 e dos Jogos Olímpicos de 2016″.

Tyler criticou os elevados preços pagos pelos investidores dos últimos aeroportos concessionados no Brasil, e afirmou que “os investimentos devem ser recuperados mediante uma maior eficiência que permita um crescimento do tráfego, não mediante taxas mais elevadas às companhias aéreas”. A IATA agrupa 240 companhias aéreas de 130 países, que representam 94% do tráfego aéreo internacional.

Autor: Terra

Fonte: http://not.economia.terra.com.br/ Aviação Brasil.

Airbus investirá € 2 bi em Pesquisa e Desenvolvimento em 2012

No Dia da Airbus 2012, em Bruxelas, uma reunião de alto nível com mais de 100 deputados do parlamento europeu, formuladores de políticas e representantes da indústria discutiram questões importantes para a indústria aeroespacial europeia. Christian Scherer, Diretor de Estratégias e Programas Futuros da Airbus disse: “A Airbus é uma empresa verdadeiramente europeia, e que destaca como a Europa pode ser bem sucedida se trabalharmos juntos. Apesar do ambiente econômico difícil, vamos investir cerca de dois bilhões de euros em pesquisa e desenvolvimento ambiental este ano. Também vamos recrutar 4.000 novos funcionários, altamente qualificados, em 2012, e muitos mais na cadeia de abastecimento”.

“Durante a última década, a aviação alcançou 45 por cento de crescimento com apenas 3 por cento a mais de combustível”, disse Rainer Ohler, Diretor de Relações Públicas e Comunicações da Airbus, “Essa é a melhor evidência para o registro do longo caminho de nossa indústria em se tornar verde. Os governos nacionais e da UE deveriam apoiar esse compromisso, progredindo no Céu Único Europeu e na modernização da tecnologia de gerenciamento do tráfego aéreo europeu, que é antiga. Isso poderia reduzir as emissões de CO2 na Europa, provenientes da aviação, em 10%”.

Os esforços em pesquisa e desenvolvimento da Airbus estão focados na redução das emissões de gases e de ruído. A Airbus está plenamente empenhada em cumprir as metas globais da indústria da aviação: melhorar a eficiência do combustível em 1,5% em média, por ano, até 2020, para limitar as emissões líquidas de carbono a partir de 2020, e trabalhar para atingir a ambiciosa meta de redução de 50% até 2050 – em comparação aos níveis de 2005.

A Airbus é a fabricante líder de aeronaves e oferece uma gama completa de famílias de aeronaves, que comporta de 100 a mais de 500 assentos, bem como a linha de produtos mais moderna, ampla e ecoeficiente do mercado.

FONTE: Aviação Brasil.

Gol: Bye Bye Punta Canta

Dia 29 de junho será o último dia de operação da Gol/VRG com os voos de São Paulo – Caracas – Punta Cana. O voo, que hoje é operado cinco vezes por semana, será descontinuado, no entanto, permanecem as frequências de Caracas.

O voo 7624 decola de Guarulhos com Boeing 737-800NG, diariamente, exceto às quintas e domingos.

FONTE: Aviação Brasil.

Embraer promove sua imagem na China com jato privado de Jackie Chan

Legacy 650 é apresentado na Asian Business Aviation Conference & Exhibition de Xangai


A Embraer deu um forte impulso a sua imagem na China, onde já produz aviões ERJ 145, com a venda de um avião personalizado a Jackie Chan, um dos atores mais populares do país.

A nova aeronave de Chan (Chen Long, em mandarim) é um Legacy 650, precisamente o modelo que a companhia pretende começar a desenvolver este ano em Harbin, e foi apresentado esta semana na Asian Business Aviation Conference & Exhibition de Xangai.

O avião, decorado com linhas em vermelho e amarelo (as cores da China) que lembram dragões, tem em sua cauda o logotipo do ator, que combina a palavra inglesa "Jackie" com a chinesa "long" ("dragão").

A aeronave, que também apresenta a inscrição "JC Jet", é uma espécie de carro-chefe à hora de captar potenciais clientes no incipiente mercado chinês da aviação privada, que, embora esteja em seus primeiros anos, já chama a atenção de toda a indústria mundial.

Mercado: Rival da Embraer deve entrar com pedido de falência nos EUA

O golpe de efeito em poder contar com Jackie Chan como "embaixador" da marca ajudou a fazer o avião "muito bem recebido" na feira de Xangai, comentou à Agência Efe o vice-presidente de Operações da Embraer, Marco Túlio Pellegrini.

Foto: EFE

Jato Legacy 650 personalizado ganha o nome do ator Jackie Chan

"Em particular, a autonomia de voo, a comodidade, o rendimento e o custo operacional (do Legacy 650) foram os elementos que levaram Jackie Chan a decidir-se pela compra desta aeronave, assim como pela própria marca Embraer", avaliou.

A Embraer vende na China desde 2000 e está presente no país com um escritório em Pequim e uma empresa mista em Harbin desde 2002, onde agora depende de aprovação para poder desenvolver também o Legacy 650 apresentado na feira de Xangai, junto a outro de seus produtos emblemáticos, o Lineage 1000.

Foto: EFE Ampliar

"Embaixador" da marca, Jackie Chan é aposta para impulsionar a venda de jatos executivos

No total, há por enquanto 110 aeronaves da companhia em operação na China, integradas nas companhias aéreas do gigante asiático, em geral, para voos regionais, mas já foram vendidos outros 18 jatos privados, dos quais três já foram entregues.

A cada ano a percentagem das vendas totais da Embraer na China "é muito significativa, passa de dois dígitos, pode ser 10%, 20% ou 30%, depende do ano", acrescentou Pellegrini.

Embora haja apenas cerca de 200 aviões privados registrados em todo o país, a "China continua crescendo e, sem dúvida nenhuma", se transformará em um dos maiores mercados do mundo, comparável a EUA e União Europeia (UE), previu o executivo.

FONTE: IG

quinta-feira, 29 de março de 2012

Gol cortará voos para voltar a lucrar

Avioes-gol-aeroporto-rio-de-janeiro-20111128-size-598

Entre 80 e 100 voos diários da Gol serão cortados (Antonio Lacerda/EFE)

logo da Exame.com A Gol teve um ano, no mínimo, turbulento em relação ao seu desempenho operacional. A companhia aérea da família Constantino encerrou o quarto trimestre de 2011 com lucro líquido de 54,3 milhões de reais, 58,9% abaixo que o mesmo período do ano anterior. No ano, a Gol sofreu um prejuízo de 710,4 milhões de reais frente a um lucro líquido de 214,2 milhões de reais em 2010.

Entre as iniciativas da empresa para melhorar esses resultados está previsto que, a partir de março, 80 a 100 voos diários dos 1.100 voos diários da Gol e Webjet serão cortados este ano. “Voltar a ter rentabilidade é o que temos de mais importante a fazer este ano e faremos isso reduzindo nossa malha aérea e adequando nossa força de trabalho para essa nova realidade, entre outras soluções”, diz Constantino de Oliveira Júnior, presidente da Gol.

Mas, afinal, o que fez com que a Gol tivesse tal desempenho, mesmo atuando nos principais aeroportos do país, abarrotados pelo contínuo aumento da demanda por consumidores da classe C? Veja, abaixo, alguns dos motivos apontados por analistas do setor:

Mais custos -
O aumento do custo, ocasionado pela alta do preço do petróleo, tem refletido de maneira negativa nas contas da companhia. Relatório recente emitido pelo Credit Suisse calcula que gastos com o combustível equivalham a aproximadamente 40% dos custos da Gol – porcentagem elevada no decorrer do ano de 2011.

A empresa ainda teve custos com devolução de aeronaves Boeing 767 menos eficientes, multas com recisão de contratos com fornecedores e despesas com ativos das adquiridas Varig e WebJet. No quarto trimestre, as despesas operacionais da empresa subiram 41%, puxadas por salto de 56,6% nos custos com combustíveis, 30,3% com pessoal e de 147,8% com material de manutenção.

Concentração no Brasil - A Gol gerou 94% da receita no Brasil no ano passado, segundo dados compilados pela Bloomberg. Essa concentração a levou a uma dependência maior da moeda local, que também teve uma forte desvalorização durante o ano passado. A TAM, sua maior concorrente, sofreu menos por ser mais diversificada: tem 31% de suas receitas provenientes do mercado internacional.

O risco de ter suas receitas atreladas quase que totalmente às vendas feitas para voos dentro do país pode diminuir depois da fatia de comprada pela Delta, por 100 milhões de dólares, em dezembro. Por meio dela, a Gol poderá vislumbrar a capilaridade necessária para voar para o mercado americano. O primeiro passo em direção a essa alternativa foi dado em março, quando a Gol solicitou à Agência Nacional de Aviação Civil (Anac) uma consulta sobre a disponibilidade de 14 frequências semanais para os Estados Unidos e sete para a Venezuela.

Se aprovado, os vôos terão lugar aos domingos, segundas, quartas, quintas e sextas-feiras. Os passageiros que embarcarão em São Paulo e Miami não teriam que mudar de avião e só teriam que passar por check-in e despacho de bagagem procedimentos uma vez.

Briga mais acirrada - Porém, enquanto a Gol for basicamente orientada pelo mercado doméstico, a competição pelo mercado doméstico continua sendo sua principal missão. Uma disputa que não para de crescer. No ano passado, houve um aumento ainda maior da competição no mercado interno, que fez com que o yield (indicador do preço das passagens aéreas) tivesse uma queda de 4,8% no ano em relação ao mesmo período de 2010.

Gestão mais simples - Todos esses novos desafios fizeram com que a Gol tivesse de arrumar a casa para continuar sendo competitiva. Em setembro, a empresa anunciou, para essa finalidade, uma reestruturação que incluía uma organização mais simples: três vice-presidências, ao invés de quatro, e 21 diretorias ante 25 na estrutura anterior.

"A simplificação alinha-se com os objetivos estratégicos da companhia e sua busca permanente por cada vez mais eficiência, integração entre as áreas e competitividade, configurando-se como um passo importante na consolidação da companhia no ambiente de negócios", disse o presidente da Gol, Constantino de Oliveira Jr, em setembro.

Iniciativas para simplificar o atendimento e incentivar o uso de compras remotas e autoatendimento também foram feitas. “As ações fizeram com que as filas diminuíssem de 15% para 35% durante o ano”, afirma Constantino Júnior.

Apertem os cintos - Como já previa que esses fatores iriam interferir em seu desempenho em 2011 e este ano, a Gol havia montado um plano ambicioso de corte de custos no início do ano passado. Até dezembro deste ano, a companhia pretende reduzir 650 milhões de reais de gastos, valor correspondente a três vezes o lucro líquido da companhia em 2010.

Trata-se de um desafio e tanto para quem precisa absorver 215 milhões de reais em dívidas da Webjet, adquirida em julho do ano passado. As medidas para essa finalidade, adotadas desde o ano passado incluíram a devolução de cinco Boeings 767, em um ano em que a empresa prevê um crescimento na demanda do mercado brasileiro de 7% a 10%.

VEJA.COM

TAM aumentará em 62 % a oferta de assentos entre São Paulo e Miami

São Paulo, 26 de março de 2012 - O aumento da oferta de assentos na rota São Paulo/Guarulhos – Miami da TAM já tem data prevista. A partir de 12 de novembro deste ano, a companhia passará a operar os voos já existentes na rota com novas aeronaves Boeing 777-300, que serão entregues no segundo semestre à TAM pela fabricante norte-americana.

Os voos JJ8090 e JJ8094, partindo do Aeroporto de Guarulhos às 23h55 e às 10h30, e os voos JJ8091 e JJ8095, partido do Aeroporto de Miami (EUA) às 18h05 e às 8h20, respectivamente, passarão a ser operados com os Boeing 777. Além de oferecer aos clientes maior capacidade para o transporte de passageiros e de cargas, as novas aeronaves contribuirão para manter a baixa idade média da frota da TAM.

“O aumento da oferta de assentos na rota para Miami vai ao encontro de nossa estratégia de atender à demanda aquecida dos clientes em rotas internacionais, sem abdicar da rentabilidade e da racionalidade de nossa malha”, afirma Nelson Shinzato, vice-presidente de Planejamento e Alianças da TAM Linhas Aéreas.

Com a troca de aeronave, o número de assentos irá aumentar de 223 para 362, o que representa um incremento da ordem de 62% em relação à oferta atual.

jornal.us

Trip apresenta nova linha de uniformes

A Trip Linhas Aéreas contratou a estilista Tereza Santos,do ateliê que leva seu nome e, anteriormente responsável pelas coleções da Patachou, para assinar os uniformes de seus funcionários de aeroportos. A ideia é investir na diferenciação da apresentação de sua equipe. As peças foram criadas exclusivamente para a companhia aérea.

“Para a nova proposta de uniformização da empresa, nos inspiramos na elegância da aviação. As composições são esteticamente expressivas e representam a identidade visual da companhia, priorizando sempre a relação entre conforto, praticidade e estilo”, explica a estilista Tereza Santos. “Cada modelo foi projetado para contribuir para a excelência do atendimento e trazer um posicionamento diferenciado para a Trip”, completa.

Os modelos disponíveis para as supervisoras e agentes de aeroporto são: camisa, calça, blusa de gestante, vestido, cardigan, blazer e trench coat. Os trajes masculinos incluem camisa, calça, suéter de tricot, jaqueta e trench coat.

“A Trip sempre optou por uniformes capazes de transmitir o estilo da nossa companhia. Acreditamos que eles são parte importante de todo o trabalho de imagem que realizamos. Queremos que nossos passageiros percebam o cuidado que temos em todas as etapas de prestação de nossos serviços”, ressalta Evaristo Mascarenhas, diretor de Marketing e Vendas da Trip.

Os novos uniformes já podem ser conferidos nos aeroportos das cidades de Belo Horizonte, Vitória, Campinas, Rio de Janeiro, São Paulo, Manaus, Belém, Campo Grande, Cuiabá, Curitiba e Porto Seguro. Ao longo do ano todos os funcionários alocados nos mais de 80 terminais do país onde a Trip opera estarão uniformizados com os novos modelos.

Confira os uniformes da Trip Linhas Aéreas assinados por Teresa Santos e assista ao vídeo com o desfile dos novos modelos pelo site: http://youtu.be/KsSv8oGEW2U



12Horas.Aérea News

Após prejuízo, Gol quer demitir e cortar até 100 voos por dia


A Gol vê necessidade de reduzir de 80 a 100 voos diários entre março e abril, e esse movimento de "racionalização" implicará em uma redução de custos fixos, como a diminuição do número de funcionários por meio de licenças não-remuneradas e demissões voluntárias, afirmou o presidente da companhia, Constantino de Oliveira Junior.

De acordo com o executivo, a redução, que será na proporção de 80% para vôos da Gol e 20% de vôos da Webjet, será em viagens noturnas e não implicará na descontinuidade de nenhuma rota.

Os voos que serão retirados da malha representam cerca de 8% dos voos diários, visto que a companhia, incluindo a Webjet, realizou entre 1.100 e 1.150 voos por dia entre janeiro e fevereiro.

"Você pode perceber no quarto trimestre pressão nos custos de combustível, tarifas aeroportuárias, variação cambial... e no momento em que passou a existir essa pressão, principalmente sobre os custos variáveis, nós nos vimos obrigados a revisar a malha... e nessa revisão nós enxergamos a necessidade de reduzir em torno de 80 a 100 voos diários", afirmou Oliveira a jornalistas em teleconferência nesta terça-feira.

"E todo esse movimento que tem sido feito em relação a licença não-remunerada, demissão voluntária, vem no sentido de adequar a essa nova realidade da companhia", prosseguiu Oliveira, afirmando que não é possível divulgar números porque o processo ainda está em andamento.

Segundo o executivo, a companhia tinha expectativas para o crescimento do mercado doméstico e premissas macroeconômicas, como o de crescimentos do PIB e preço do petróleo, que não se concretizaram, o que levou à decisão de reduzir a quantidade de voos, que não serão concentrados em nenhuma região brasileira.

"Nós entendemos que o movimento de racionalização da malha implica também em uma redução do custo fixo para que não haja nenhum impacto no 'Cask ex-fuel' (custos que excluem combustíveis). Essa redução se dá exatamente nos voos que não apresentam uma receita satisfatória, a receita não é suficiente para compensar o custo variável", disse Oliveira

Ele afirmou ainda que essas reduções foram planejadas antecipadamente, e que não devem haver mais medidas como esta para garantir a rentabilidade da companhia neste ano.

Para Oliveira, não é possível afirmar que a Gol "errou" no seu planejamento de voos e na contratação de funcionários.

"É uma mudança de visão e não dá pra atribuir essa mudança de visão a um erro. O erro seria a gente permanecer com problemas, permanecer com vôos dando prejuízo pra companhia e talvez comprometendo a sobrevivência da empresa. Eu diria que houve uma mudança no cenário macroeconômico, de patamares, e nós estamos nos ajustando a essa mudança."

Além disso, o presidente da Gol afirmou que todos as estimativas da companhia para o ano estão mantidas.

Entre as previsões que serão mantidas para o ano, está a de uma oferta de assentos no mercado doméstico de zero%.

"Essa redução deve nos levar à meta de crescimento zero durante o ano, ou seja, uma adequação que vai nos levar a um crescimento no número de ASKs em 2012 igual a zero quando comparado com 2011", explicou Oliveira.

Neste ano, a Webjet devolverá 10 aviões Boeing 737-300, mas outros aviões da Gol serão transferidos para a sua frota. A frota da Gol, desta forma, será reduzida.

Miami

O presidente da Gol afirmou ainda que o início dos voos entre Brasil e Miami, via Caracas, é independente da decisão da companhia de reduzir o volume de voos no mercado doméstico.

"São ações totalmente independentes e que visam tornar a empresa ao seu nível de rentabilidade necessário e sem perder as oportunidades", afirmou.

"Essa operação via Caracas nos permite chegar aos Estados Unidos com os 737 operados pela empresa hoje em dia, ou seja, sem variação de frota... é uma extensão do nosso modelo de negócios", disse Oliveira.

"Nesse sentido eu reforço que nós não estamos dispostos a mudar o modelo de negócio para operar vôos de longo alcance", completou.

Na madrugada desta terça-feira a Gol divulgou que encerrou o quarto trimestre com lucro líquido de 54,3 milhões de reais, queda de 58,9% sobre o resultado apurado um ano antes, devido ao aumento de custos e despesas e variação cambial.

Reuters


Lan anuncia rotas dos novos Boeing 787 Dreamliner


Boeing 787 Dreamliner

A Lan será a primeira companhia latino americana e uma das primeiras do mundo a ter o Boeing 787 Dreamliner em sua frota. Com um investimento de US$ 3,5 bilhões, a Lan receberá, a partir do final de 2012, 32 aeronaves Boeing 387, pelo período de 10 anos. Durante a inauguração de seu estande na Feira Internacional do Ar e do Espaço (Fidae), que acontece em Santiago, a companhia aérea anunciou que as primeiras cidades a receberem voos dos 787 serão Santiago, Buenos Aires, Lima, Los Ângeles, Madrid e Frankfurt.

Para Ignácio Cueto, gerente geral da Lan Airlines, a incorporação do primeiro Boeing 787 à frota da companhia, além de permitir a continuidade de um crescimento sustentável, reflete o compromisso da Lan com seus clientes e com o meio ambiente. “Ao incorporar tecnologia de nova geração, este avião é altamente eficiente e cremos que melhorará consideravelmente a experiência de viagem para nossos passageiros. Estamos orgulhosos de sermos a primeira companhia a operar essa aeronave na Região”.

O Boeing 787 Dreamliner apresenta tecnologia de ponta, consome até 20% a menos de combustível, emitindo menos CO2 e ruído 40% menor do que o gerado por outras aeronaves de tamanho similar, reduzindo desta forma seu impacto ambiental.

MERCADO E EVENTOS

Gol confirma corte de comissários



Por meio de comunicado, a empresa informa que recebeu homologação da Agência Nacional de Aviação Civil (Anac) para operar com três comissários no avião da Boeing, modelo 737-700, para cerca de 140 passageiros.

Em torno de 30% da frota combinada da Gol com a Webjet é composta por aviões desse tipo, ou o equivalente a 42 unidades. A Gol anunciou a aquisição de 100% do capital da Webjet, em outubro, mas a negociação aguarda aprovação do Conselho Administrativo de Defesa Econômica (Cade).

A Gol, contudo, não divulgou a data em que pretende fazer essa redução na quantidade de comissários a bordo. Segundo uma comissária da companhia, que pediu para não ter o seu nome revelado, a companhia planeja adotar essa redução a partir de maio.

Segundo essa fonte, essa redução da quantidade de comissários nos aviões é uma das explicações para o processo de demissões que a Gol abriu a partir de sexta-feira. Os funcionários que querem se desligar da Gol têm até o dia 29 para se manifestar.

O diretor de segurança de voo do Sindicato Nacional dos Aeronautas (SNA), Carlos Camacho, diz que a Gol mantém, em média, seis tripulações para cada avião de sua frota.

Como a empresa tem 42 aviões 737-700, a redução de quatro para três comissários indica que a Gol planeja ter seis comissários a menos em cada modelo desse tipo, ou o equivalente a 252 comissários a menos na frota de 737-700. A Gol e a Webjet também operam o 737-300 e o 737-800, mas a homologação da Anac não inclui esses aviões.

VALOR ONLINE - ALBERTO KOMATSU

Azul Linhas Aéreas recebe 40º jato da Embraer

Companhia detém a maior frota de E-jets da América Latina e uma das maiores do mundo
De matrícula PR-AXD, aeronave modelo E195 entra na malha da aérea esta semana
A Azul Linhas Aéreas coloca em operação esta semana sua 40ª aeronave da Embraer. A companhia detém a maior frota de E-jets da América Latina e uma das maiores do mundo. De matrícula PR-AXD, a aeronave é do modelo E195, configurada para 118 assentos. Batizado de “Azulão*”, o jato é um dos mais modernos do mundo em sua categoria e faz parte dos oito aviões do mesmo modelo que a companhia deve receber até o final do ano e dos 17 que chegarão até 2015, conforme já divulgado. Em fevereiro, a Azul anunciou um novo contrato de US$ 478 milhões com a Embraer, o qual prevê mais dez opções de compra a partir de 2015. Se concretizada a compra, a empresa terá 67 jatos, dos quais 57 E-195 e 10 E-190.
Além dos jatos, a Azul também firmou um contrato de US$ 227 milhões com a ATR, fabricante franco-italiana de aviões turboélice, em junho de 2011 para compra de 30 aeronaves modelo ATR 72-600 e mais 10 opções de compra, as quais serão entregues até 2015. Os ATR darão continuidade a expansão da companhia em cidades de menor densidade. Até o final do ano, a Azul deve receber mais 12 ATR 72-600 e devolver os 6 ATR 72-200, totalizando uma frota de 63 aeronaves – 46 jatos e 17 ATR 600.
Com quase 10% do mercado de aviação doméstico, a Azul é a terceira maior empresa aérea do País. São 47 destinos atendidos, cerca de 370 voos diários e mais de 15 milhões de Clientes transportados desde a sua fundação. Ainda, a companhia consagra-se como a empresa que oferece o maior número de voos e destinos a partir de um mesmo aeroporto – Viracopos, em Campinas. São 131 decolagens diárias (segunda a sexta) para 40 destinos diretos operados pela Azul em todo o Brasil.
* O “Azulão” foi batizado pelo Tripulante Sérgio Knoch, Coordenador de Voos na Azul Linhas Aéreas.
12 HORAS AÉREA