PARA HOSPEDAGEM CLIQUE NA IMAGEM

PARA HOSPEDAGEM CLIQUE NA IMAGEM
PARA HOSPEDAGEM CLIQUE NA IMAGEM

segunda-feira, 22 de março de 2010

United inaugura novo sistema de check in e embarque sem uso de papel

A United Airlines começou a aplicar em todos os aeroportos servidos pela empresa e pela afiliada de voos regionais United Express nos Estados Unidos, Porto Rico e Ilhas Virgens Norte-Americanas, um novo serviço de check in e cartões de embarque. Com o sistema, o cliente pode fazer o check in usando um celular ou dispositivo móvel com acesso à internet e passar pela segurança e pelo portão de embarque sem precisar apresentar um cartão de embarque em papel.
O check in pelo novo sistema pode ser feito a partir de 24 horas antes do embarque. O sistema será especialmente útil para clientes que estão em hotéis e reuniões de negócios e preferem fazer o check in antes da chegada ao aeroporto. Também ajudará a eliminar filas e acúmulo de pessoas nos balcões, especialmente em períodos de feriados ou de aumento do tráfego.

MERCADO E EVENTOS

Presidente da Gol fala dos desafios da companhia para 2010

Presidente da Gol fala dos desafios da companhia para 2010

G1

Imigrantes ilegais fazem greve de fome em aeroporto de Zurique

Genebra, 22 mar (EFE).- Uma dezena de estrangeiros ameaçados de deportação da Suíça e que pedem asilo ao país estão em greve de fome há vários dias no centro de detenção do aeroporto de Zurique, informaram hoje as autoridades judiciais suíças.


O protesto ocorre depois que, na semana passada, um imigrante ilegal nigeriano morreu de forma súbita quando estava a ponto de ser repatriado à força para a Nigéria. O incidente levou as autoridades suíças a cancelarem todos os voos especiais para deportar imigrantes ilegais.


O imigrante morto estava também em greve de fome havia três dias.


Os imigrantes que iniciaram o mesmo protesto devolvem as comidas que lhes entregam sem nem tocá-las, informaram as autoridades.


Esses detidos no aeroporto de Zurique estão detidos em celas com quatro a seis beliches cada, por isso que a porta-voz judicial, Rebecca de Silva, não descartou que os manifestantes compartilhem uma parte dos alimentos e devolvam a maior parte da comida.


O imigrante morto na semana passada, de 29 anos, tinha solicitado asilo na Suíça, mas foi detido na prisão por tráfico de drogas.


Diante da rejeição das autoridades a sua solicitação e iminente deportação, o nigeriano iniciou uma greve de fome três dias antes de sua morte, que ocorreu justo após ter sido algemado à força nos pés e nas mãos.


O Escritório Federal de Migrações destacou que, em 2009, houve 43 voos de deportação que saíram da Suíça com 360 pessoas que se negavam de todas as formas a deixar o país.


Cada voo desse tipo é organizado em função das necessidades ou se as pessoas deportadas rejeitam partir em um voo regular.


Este ano, cinco voos de deportação decolaram dos aeroportos suíços.


A morte do imigrante nigeriano e a polêmica que levantou sobre se os métodos utilizados pelas forças de segurança são os mais apropriados coincidem com o início do debate parlamentar sobre uma iniciativa do partido de extrema-direita UDC para retirar a permissão de residência e expulsar todo estrangeiro condenado por um crime grave. EFE

G1

Varig pode 'ressurgir' para atender voos internacionais, diz presidente da Gol

Marca comprada pela Gol opera voos regulares para apenas três destinos.
Constantino Jr. conversou com o G1 sobre os desafios do setor aéreo.

A companhia aérea que já foi a maior do Brasil hoje está limitada a três destinos regulares na América do Sul: adquirida pela Gol em 2007, a marca Varig hoje voa apenas para Bogotá, Caracas e Aruba. Mas, segundo o presidente da Gol Linhas Aéreas, Constantino de Oliveira Júnior, ela pode voltar a crescer.

“Enquanto alguma rota apresentar características onde o atributo [de serviços] da marca Varig for realmente valorizado pelo cliente, a ponto de fazer a diferença na opção de voo, nós usaremos a marca Varig. Eu acredito que existe a possibilidade de se ampliar o número de destinos com essa marca”, disse ele em entrevista ao G1.

O executivo explica que, embora as duas marcas pertençam à mesma companhia, elas oferecem serviços diferentes, e têm uma percepção diferente por parte do público.

É com os três aviões 767 herdados da Varig que a empresa começou, em dezembro do ano passado, a operar voos charter (fretados) para Cancún, no México. Segundo o executivo, essa operação deve ser ampliada: as negociações com companhias de turismo estão avançadas para voar a destinos como Orlando (EUA), Lisboa e Roma.

Dentro do Brasil, a Gol opera com aeronaves 737 e começou recentemente a operar em Bauru, no interior de São Paulo. Novos destinos não estão definidos mas, de acordo com o executivo, outras cidades estão em estudo, entre elas Montes Claros, em Minas Gerais.

Pioneira no país no segmento de aviação de baixo custo, a Gol também quer uma fatia da nova classe média, que começa a ganhar espaço nos voos, e que deve ser a maior responsável pelo forte crescimento que se espera para o setor nos próximos anos. Para isso, um dos planos da companhia é flexibilizar a concessão de crédito para compra de passagens – hoje a empresa já oferece parcelamento em 36 vezes.

O executivo também falou ao G1 sobre a necessidade de investimento em infraestrutura, política de preços e da disputa pela liderança no setor. Leia abaixo os principais trechos da entrevista com Constantino de Oliveira Junior:

Infraestrutura aeroportuária
– Existe a necessidade de investimento constante. Eu acho que o mercado tem um potencial de crescimento enorme, o Brasil ainda tem uma das mais baixas penetrações de viagens aéreas do planeta, considerando-se principalmente a população economicamente ativa. Isso indica que esse potencial de crescimento, uma vez explorado, já mostra, uma necessidade de investimento, que devem ser feitos à medida que esse crescimento se confirme.

Mas nós temos uma avaliação de que existem em torno de 11 milhões de pessoas [que vivem nas proximidades] aos principais aeroportos onde a Gol opera, que têm condições de viajar, e que ainda não o fizeram. A questão agora é como acessar esse pessoal e acelerar eventualmente esse crescimento ou não, de acordo com as possibilidades de infraestrutura e de investimento nos permitem.

Novas rotas
– No mercado doméstico, a ideia é continuar crescendo, ampliando o número de freqüências entre os principais mercados e analisando as possibilidades de abertura de novas rotas ou de novos destinos. Recentemente, nós inauguramos um voo para Bauru, atendendo um pólo regional importante no estado de São Paulo. Da mesma forma, nós avaliamos a possibilidade de abrir novas bases em pólos com a mesma característica, como Montes Claros, no norte de Minas Gerais.

A gente vem analisando a possibilidade de atender novos destinos no Caribe através de voos charter semanais, com crescimento na malha também para a região ao norte da América do Sul.

Varig
– A marca Varig tem sido muito importante para nós, principalmente para atender voos de média distância. Nesses voos, o atributo do serviço de bordo, do espaço entre as poltronas, é mais importante do que em voos curtos, como aqueles que a Gol realiza no mercado doméstico. A marca Varig ela é muito forte ainda, muito presente principalmente nos mercados internacionais onde a Varig operou por muito tempo.

Nós entendemos que as duas marcas têm atributos muito distintos e muito claros. Quando a gente trata do produto Varig, dessa média distância, nós estamos falando de um serviço mais robusto, com refeição quente, duas classes de serviço.

Enquanto alguma rota apresentar características onde o atributo da marca Varig for realmente valorizado pelo cliente, a ponto de fazer a diferença na opção de voo, nós usaremos a marca Varig. Eu acredito que existe a possibilidade de se ampliar o número de destinos com essa marca e com esse produto, esse serviço.

Aeronaves e voos charter
– O planejamento estratégico da empresa prevê a padronização de frota em aeronaves 737. Esses aviões não fazem voos transcontinentais ou para a Europa, por exemplo. Agora, com relação aos 767, aeronaves que nós ainda contamos com algumas na nossa frota, esses aviões vão ser utilizados em voos charter para destinos tanto na Europa quanto nos Estados Unidos.

Temos negociado com as operadoras de turismo, já em fase bastante avançada, iniciamos inclusive um voo charter pra Cancun no dia 26 de dezembro de 2009. Estamos analisando possibilidade de destinos como Orlando, Lisboa, Roma, enfim, destinos que têm uma atração, ou o turismo étnico ou o turismo de diversão mesmo.

Tarifas e disputa pela classe C
– Nós continuamos com uma estratégia muito bem definida de estímulo ao transporte aéreo, através de tarifas competitivas com o ônibus em todos os destinos domésticos em que a Gol opera. Para aquele cliente que é sensível a preço, e que eventualmente precisa fazer uma viagem com a família ou alguma coisa do tipo, e precisa de crédito, nós vamos prover crédito a ele.

Nós temos tomado iniciativa no sentido de aproximar a Gol da realidade desse público. Nesse sentido, a Gol tem algumas iniciativas como a abertura de lojas em bairros ou próximas a região de grande circulação de um público que compõe a nova classe média. Ou seja nos aproximando cada vez mais da realidade, do dia a dia desse público.

Outra iniciativa é do programa de parcelamento de passagens, que nós pretendemos flexibilizar a análise em termos de financiamento. Hoje o cliente ou tem um crédito 100% aprovado ou nada feito. Se o cliente tiver 50% do crédito, nós poderíamos, num programa mais flexível, sugerir um programa de parcelamento que permita ele comprar a passagem uma vez que ele programe a viagem com antecedência, alguma coisa do tipo.

Em relação a tarifa a expectativa da Gol está refletida no guidance (perspectivas). Uma política de preços baixos, uma política de estímulo à demanda por pasagens aéreeas. E a Gol vai buscar a rentabilidade através de ganho de produtividade, através de redução de custo.

G1

Aer Lingus decidirá também pela greve?



As tripulações de cabine da companhia aérea irlandesa Aer Lingus (AERL.I) votarão pela segunda vez, para decidir se aceitam ou não um pacote de corte de custos, disse a empresa, em um movimento que poderia evitar mais demissões ou greves no transportadora.

Em 9 de março, a Aer Lingus disse que iria impor despedimentos obrigatórios para quase um quarto de sua tripulação de cabine e os salários seriam cortados para o resto dos funcionários, como resposta à falta de cooperação do sindicato.

Mas, como exige a lei, começou então um período de 30 dias de consulta com os funcionários antes das demissões.

"A empresa agora aguarda o resultado desta posição", a Aer Lingus, que defendeu-se duas ofertas hostis pela maior rival irlandesa Ryanair (RYA.I)

Vince Neil Aviation


V
Vince Neilince Neil, vocalista do Motley Crüe não é somente uma estrela do rock ,também é um líder no conturbado mundo de negócios, ele parece ter os dedos enfiados em um monte de empresas diferentes.

Agora ele tem sua própria frota de jatos particulares.
estará inaugurando a Vince Neil Aviation,aguardando somente a assinatura do Terminal do Aeroporto McCarran, em Las Vegas.

O plano é promover o uso de jatos de luxo em curtos voos dentro e fora de Sin City.

Aempresa de Vince irá fornecer os pilotos e assistentes de vôo para realizar voos charter para viagens privadas e executivas.

O novo serviço de vôo que Vince planeja abrir em breve e detalhes sobre os preços ainda não estão disponíveis.

NOTICIA VASP - ESCLARECIMENTO SOBRE O MOMENTO




Prezado Amigos e Clientes,

Nos últimos dias, em manobras típicas do Grupo Canhedo para tumultuar o processamento legal das ações em curso, sofremos algumas derrotas e obtivemo Vitórias.


Para melhor esclarecimento do que aconteceu passamos explicar os reais fatos:

No mesmo dia que em que souberam do cancelamento da sua liminar no TST , que manteve o leilão para o dia 10 de março, numa manobra no mínimo inescrupulosa, correram para o STJ informando que existiam graves irregularidades nos atos processuais da adjudicação realizada (tanto que o Corregedor do TST havia suspendido o leilão com base em suposições e não em fatos concretos) e que sofreriam graves perdas caso o leilão continuasse. Requeram de maneira ardilosa a suspensão do leilão até que fossem resolvidas estas pendências no TST.


Eles só se esqueceram de informar toda as verdades existentes no processo, tais como : Que o seu recurso contra a adjudicação foi considerado inexistente (pois quem assinou o recurso não tinha poderes para tal), que a fazenda já estava registrada em nome do Sindicatos (apesar que de acordo com a jurisprudência pacífica informar que não tem problema se não estiver registrada) para pagamento de todos os débitos trabalhistas existentes e principalmente que todo recurso arrecado com o leilão iria para os trabalhadores, não ficando nenhum centavo para os sindicatos que adjudicaram a fazenda na Ação Civil Pública em nome dos trabalhadores como autoriza a Constituição Federal.

Chegaram ao ponto de informar ao Ministro do STJ que : "que os ex-empregados da VASP não receberão seus créditos. Ao contrário, nada receberão se não

for mantida a adjudicação”.



A noticia da liminar nos chegou às 17:00 h do dia 09.03 e daquela hora até às 23:49 h ( o hora que procolamos via internet o nosso recurso para Brasília), o Dr. Francisco e eu, com total e expressa autorização do Presidente do Sindicato do Aeroviários do Estado de São Paulo, mais conhecido como Mandu, protocolamos naquele mesmo dia um pedido de reconsideração da liminar concedida ou que alternativamente em caso negativo se processasse o nosso pedido como Agravo Regimental, para ser analisado pelo mesmo colegiado que nos deu a Vitória contra o Canhedo em outubro do ano passado .

No dia seguinte( dia 10.03.10) de manhã cedo fomos à Brasília falar com o Ministro relator que deferiu a liminar suspendendo o leilão.

O mesmo manteve a sua liminar sob o argumento que em quanto o TST não decidir sobre a existência do recurso e das "prováveis irregularidades na adjudicação" ele manteria a liminar suspendendo o leilão.

Esta decisão extrapolou a sua competência constitucional, motivo pelo qual estamos tomando todas as medidas cabíveis para alterar este posicionamento.

Queremos deixar claro que tal decisão não anulou o nosso direito adquirido sobre a adjudicação das fazendas, em especial a adjudicação da fazenda Piratininga.

O STJ por unanimidade já havia decidido que adjudicação foi realizada dentro das normas legais e do prazo legal.

Somente o TST poderia e poderá se pronunciar se houve ou não graves irregularidades que anulem os atos de adjudicação.

Na noticia 108 (matéria existente no site do STJ) que enviarei a seguir, este situação é bem explicada por aquele tribunal.

O Sindicato de Aeroviários do Estado de São Paulo, Dr. Francisco Gonçalves Martins e eu (na qualidade de advogados do Sindicato na Ação Civil Pública) estamos trabalhando de

maneira intensa para que nenhum ato do Grupo Canhedo possa anular ou macular as decisões já existentes que beneficiam a todos os ex-trabalhadores da Vasp no Brasil.

Esta decisão do STJ nos atrasará no máximo 60 dias, para que nova data seja marcada para o leilão.

Tenham certeza que eles não levaram e não levarão a melhor, a Justiça Divina, a do Homem e o Direito estão do nosso lado!


Lembrem-se sempre que temos obtendo Vitórias, não derrotas, apenas pequenos contratempos, que atrasam nossa Vitória Definitiva já obtida após 10 anos de longa e árdua jornada.

Assim que tivermos alguma novidade mais concreta lhes avisaremos.

Atenciosamente,


www.duqueestrada.adv.br

Tam lança serviço duty free a bordo


A Tam Linhas Aéreas oferece o serviço de duty free em seus voos internacionais de longo curso (destinos na Europa e nos Estados Unidos) a partir de hoje, (22/03). O catálogo, fornecido pela empresa DFW, sediada em Miami, traz produtos exclusivos e ofertas especiais para os clientes da companhia. Entre os produtos disponíveis estão bebidas e doces, acessórios de viagem, joias e relógios, além de perfumes e cosméticos.

Para os demais voos internacionais Tam com destino a Buenos Aires, Santiago, Montevidéu, Caracas e Lima e também no trecho Manaus - Miami, o Duty Free a bordo estará disponível em breve.

No Duty Free a bordo, o catálogo é oferecido aos passageiros durante o voo pelos comissários, o pagamento pode ser feito com dólar ou cartão de crédito internacional e o produto é entregue imediatamente.

No caso de bebidas, como acontece com as compras no Duty Free em terra, não é permitido o consumo a bordo. Todas as compras são consideradas na cota individual estabelecida pela Receita Federal de U$ 500 por passageiro.

Mercado e Eventos

Emirates inicia vôo direto entre Dubai e Tóquio


A Emirates inicia (28/03) vôo direto entre Dubai e Tóquio. Para celebrar o lançamento, a companhia aérea oferece pernoite cortesia no Jumeirah Emirates Towers Hotel, em Dubai, aos passageiros de Primeira Classe e Classe Executiva que voarem para a capital japonesa.

A promoção é válida para os vôos a partir de 28 de março até 31 de maio de 2010. O passageiro de Primeira Classe da Emirates tem direito a duas diárias gratuitas na escala em Dubai e os de Classe Executiva têm direito a uma diária cortesia. Nesta rota, a companhia aérea oferece, ainda, visto de 96 horas gratuito para a entrada em Dubai.

MERCADO E EVENTOS

JetBlue Ficará mesmo em NY



A JetBlue anunciou hoje que a empresa decidiu permanecer em Nova York, onde foi fundada há 10 anos, ao invés de transferir a sua sede para o Aeroporto Internacional de Orlando.


O anúncio encerra meses de posicionamento entre Nova York e Orlando para a companhia aérea de
baixo custo.


Gol pode ter voo para Havana (Cuba) em junho


O gerente geral de Negócios da Gol, Fábio Mader, confirmou, durante almoço patrocinado pela aérea no Nastur, que estão avançadas as negociações para o início de um voo para Havana, capital de Cuba. Segundo ele, as operações podem começar em junho, ou no máximo em dezembro, em um 767, a partir de Guarulhos. "As negociações estão fortes. Teremos novidades em breve", afirmou o gerente.
Panrotas

TAM muda para Terminal 1 em Heathrow


No próximo dia 28, a TAM vai mudar para o Terminal 1 de Heathrow.

Esta medida surge na sequência da integração da companhia na Star Alliance.

Para o vice-presidente da TAM, Paulo Castelo Branco, esta mudança “facilitará as conexões de voos em benefício dos passageiros”.

Recorde-se que até à integração na Star Alliance, a TAM operava no Terminal 4.

Publituris

Pilotos da Air India não querem voar para Cabul



A Air Índia, a companhia aérea nacional da Índia, tentou tranquilizar os passageiros das companhias aéreas e da tripulação com os seus voos para Cabul, capital do Afeganistão,alegando que é seguro.

Os pilotos da companhia aérea tinha manifestado relutância em voar para Cabul, devido a preocupações com segurança.

Os pilotos não estavam dispostos a voar para Cabul, por causa do que eles descreveram como "as deficiências técnicas e processuais", bem como orientações inadequadas de emergência que devem ser seguidas em caso de má visibilidade ou uma tentativa de seqüestro.

Os receios dos pilotos foram intensificados , quando 16 pessoas, incluindo 7 índianos foram mortos após atentados suicidas que atacaram guest-houses em Cabul central em 26 de fevereiro de 2010.

A companhia aérea disse em comunicado que as apreensões manifestadas pelo Indian Commercial Pilots Association (ICPA) são "equivocada" e que os vôos da Air Índia em Cabul vão continuar e que os seus serviços para Cabul estão cumprindo todos os regulamentos da Direcção-Geral da Índia de Aviação Civil (DGCA).

A companhia enfatizou ainda que vem operando vôos para Cabul com segurança por muitos anos, sem qualquer violação de segurança ou incidentes indesejáveis.

Muitas outras companhias aéreas, de acordo com a Air Índia, vêm operando os serviços para Cabul com segurança por muitos anos com o mesmo tipo de aeronave (Categoria-C).


Dois pilotos morrem em queda de avião na Austrália

Greg Semyon (ao alto) e Shane Whitbread (abaixo), os dois pilotos que morreram depois que o avião da Embraer da Airnorth caiu - Imagem: Katrina Bridgeford

O avião que se acidentou no Aeroporto Internacional de Darwin, em 13.04.08 - Foto: Torin Wilson (Airliners.net)

Local do acidente - Mapa: Cortesia/Google Earth

Uma equipe da polícia científica já está trabalhando para recuperar os corpos de dois pilotos que morreram em um acidente de avião na base da RAAF (Real Força Aérea da Austrália) em Darwin.

O avião Embraer EMB-120ER Brasilia, prefixo VH-ANB, operado pela empresa Air North Regional, que acabara de decolar às 10:10 (hora local - 00:40Z), desta segunda-feira (22), para um voo de treinamento em Darwin, incluinou-se fortemente para a esquerda e caiu em uma mata nativa nas proximidades da Base da Força Aérea.

Mark Payne, da polícia local, disse que houve uma explosão do avião no momento do impacto contra o solo e, em seguida, o mesmo ardeu em chamas, matando instantaneamente os dois pilotos.

Uma equipe do Australian Transport Safety Bureau começará suas investigações amanhã de manhã. O comandante da equipe, Tony Fuller, disse que a extensão dos danos no avião vai tornar o trabalho de investigação difícil. "Houve um impacto significativo em relação ao avião, seguido de um incêndio", disse ele.

A metade de trás do avião está relativamente intacta e de pé, mas as asas e a frente do avião estão destruídas.
Desástres Aéreos

25 aviões fretados para sustentar a greve



A BA
gastou e dispendeu 20 milhões de libras parafretar 25 aviões e pessoal de bordo de suas rivaisVirgin,Aer Lingus,BMI e Ryanair.

Sindicato de pilotos da Lufthansa convoca nova greve na Alemanha


Frankfurt (Alemanha), 22 mar (EFE).- O sindicato majoritário dos pilotos da companhia aérea Lufthansa, Cockpit, convocou uma nova greve após o fracasso das negociações um mês após ter cancelado um protesto similar.

Cockpit convocou uma greve de quatro dias entre 13 e 16 de abril aos pilotos da Lufthansa, da Lufthansa Cargo (filial de cargas) e da empresa Germanwings (companhia de baixo custo do grupo).

A organização sindical disse que as negociações fracassaram porque a oferta da Lufthansa é insuficiente, pois exige aos pilotos que renunciem a aumentos salariais durante 21 meses e uma piora da regulação dos horários de trabalho, mas não respeitou acordos.

A companhia aérea alemã defende sua oferta, que, segundo ela, garante os empregos até o fim de 2012.

No final de fevereiro, a Lufthansa cancelou centenas de voos no primeiro dia da greve de pilotos que se prolongaria por outros quatro dias mais, mas que no final foi cancelada. EFE

G1

Greve de funcionários da British Airways chega ao terceiro dia


A companhia aérea e o sindicato que representa sua tripulação continuam nesta segunda-feira sem chegar a um acordo que resolva a disputa sobre salários e condições trabalhistas. A greve chega ao terceiro dia - o de maior tráfego aéreo, após o fim de semana. A paralisação está prevista para terminar hoje e ser retomada no próximo sábado, por mais quatro dias.

Esperava-se que as operações da companhia aumentassem nesta segunda-feira devido ao maior número de voos programados do que durante o fim de semana. Tanto o sindicato Unite como a British asseguraram sair vitoriosos da greve que provocou o cancelamento de mais da metade dos 1.950 voos planejados durante o período de greve

Líderes sindicais pediram conversas com os diretores da British Airways no domingo para colocar fim na greve de tripulantes que levou ao cancelamento de centenas de voos da companhia aérea britânica e atrapalhou os planos de viagens de milhares de passageiros.

A United havia avisado que a greve geraria problemas de tráfego que durariam toda a semana. Os empregados planejaram retomá-la no sábado e mantê-la durante quatro dias, se a disputa não se resolver.

O acordo poderia custar à British mais de US$ 95 milhões, ou 63 milhões de libras, que o presidente da companhia, Willie Walsh, está tentando salvar através de mudanças nos salários e nas condições de trabalho.

A paralisação já provou ser uma fonte de embaraço ao premiê britânico Gordon Brown, já que envolve o sindicato Unite, o maior financiador individual de seu Partido Trabalhista.

( Leia mais: British Airways enfrenta greve de tripulantes com plano de contingência e serviços temporários. )

O co-secretário-geral do Unite, Tony Woodley, disse em carta aos trabalhadores que espera que conversas com a diretoria da British Airways permita prevenir uma nova greve de quatro dias em reivindicação por melhores salários e por empregos que está planejada para o final deste mês.

O Unite afirma que recebeu adesão de 80% dos funcionários sindicalizados da companhia aérea para a greve, enquanto a empresa afirma que o apoio à paralisação não foi tão grande.

A British Airways, que havia anunciado que reduziria os voos mas ainda planejava manter mais de 60% das rotas, disse que o número de tripulantes que está trabalhando permitiu à companhia adicionar voos extras.

A British Airways anunciou que quase 98% de seus empregados se apresentaram para trabalhar no aeroporto de Gatwick e mais da metade no de Heathrow, o que permitiu retomar operações em uma série de voos concelados.

Contudo, o Unite anunciou que apenas 300 de seus 2.200 empregados de cabine se apresentaram aos seus postos de trabalho durante o fim de semana e acusou a empresa de contar empregados de voos de chegada para inflar as cifras.

O Globo

Queda de aeronave na Venezuela deixa seis mortos


A queda de um pequeno avião num bairro próximo do Aeroporto Antonio José de Sucre, na localidade de Cumaná, a 420 quilômetros a leste de Caracas, provocou neste domingo (21) às 15:20 (hora local) a morte de seis pessoas e ferimentos em outras 12.

A aeronave Aero Vodochody L-39 Albatross, prefixo YV100X, era pilotada por Vojtech Oravzky Brand, um veterano da segunda Guerra Mundial, e realizava um voo experimental de uma escola de aviação, adiantaram fontes da organização de resgate Humbold.

Depois de 10 minutos de manobras aéreas, o piloto anunciou que ia simular uma falha de motor.

"Ao desligar a aeronave, esta deu uma volta súbita e caiu a pique", explicou a organização de resgate.

A aeronave caiu sobre uma residência e as chamas se alastraram a outros cinco prédios.

Rádios locais afirmam que na região se registravam ventos fortes que podem ter influenciado o acidente.

As autoridades não informaram ainda sobre quantas pessoas estavam a bordo da aeronave. Os doze feridos foram transportados para um centro de saúde da localidade.

Desástres aéreos

Aeroportos de Guarulhos e Galeão estão entre os melhores da América

A edição de fevereiro de 2010 da revista América e Economia (www.americaeeconomica.com.br) exibiu a pesquisa sobre “O melhor da América Latina para o viajantes de negócios”, na qual foram recolhidas preferências expressadas pelos leitores sobre itens que vão de serviços a passeios.

A pesquisa registrou a opinião de 1,3 mil leitores de 17 países que responderam sobre os melhores hoteis, espaços para eventos, restaurantes, drinks, anfitriões, região para negócios, atrações turísticas, companhias aéreas, acessórios e aeroportos com embarque tranquilo.

Neste último, Guarulhos ficou em quarto lugar entre os mais bem avaliados. Em primeiro lugar ficou o Aeroporto de Miami, seguido de Santiago do Chile e Cidade do México. Galeão ficou em nono.

A revista é especializada em economia, finanças e negócios na América Latina e é editada mensalmente em espanhol e português, voltada para os maiores executivos da região e com distribuição em Miami, Santiago, Buenos Aires, Lima, Bogotá, Cidade do México e São Paulo.


Aeroportos no Brasil

Encontrado avião desaparecido em 1968 no Triângulo das Bermudas


Monomotor Cessna-172-H


O Dr. Greg Little e sua esposa a Drª. Lora Little estavam explorando a ilha de Andros nas Bahamas com os guias Krista e Eslie Brown em 2005.

Naquela época não estávam particularmente interessados em quedas de aviões, mas tinham notado vários aviões caidos em terra e em águas rasas em torno de Andros.

Explorando a ilha com um caminhão de pequeno porte, os Browns os levaram até a cauda de um avião de pequeno porte localizado na costa da Red Bays, um pequeno povoado no extremo noroeste de Andros.

De acordo com os moradores, o pedaço da cauda tinha navegado para a costa, alguns anos antes. Eles o arrastaram para a praia, e simplesmente ignoraram. Em 2007, depois de encontrar inúmeros outros aviões em vários pontos submarinos, eles decidiram revisitar a cauda e tentar identificá-la.

Depois de publicar um breve artigo sobre a cauda do avião, na qual identificaram alegadamente como de um avião perdido no Triângulo das Bermudas, receberam a confirmação de vários mecânicos e pilotos de avião que a cauda era de um Cessna 172-H, fabricado em 1966.

O monomotor Cessna-172-H, nº N1483F decolou de Grand Turk Island em 29 de maio de 1968, com um piloto de 30 anos de idade e uma passageira. Poucos minutos após a decolagem, às 6:10 hs, o piloto avisou pelo rádio que estava sem combustível e que o motor tinha parado.

Ele afirmou que estava pousando na água não muito longe da ilha. O relatório de acidentes da National Transportation Safety Board é muito vago e não fornece qualquer informação sobre uma pesquisa subsequente.

Em 2008 um avião colidiu com vários passageiros, e a busca consistiu em um telefonema de Nassau para um piloto privado em Andros pedindo-lhe para voar na área.

Ele fez um vôo de 30 minutos. Estranhamente, não a uma linha sobre o acidente de 2008, ou de seus passageiros. O avião deve estar agora em alguma lista de aviões que desapareceram no Triângulo das Bermudas. O mesmo pode ser dito sobre o desaparecimento de 1968.

Nada jamais foi encontrado ou relatado. Como uma nota de rodapé, consta que o piloto no incidente de 2008 voou diretamente para uma tempestade (apesar de ter radar meteorológico a bordo) e, presumivelmente, caiu no abismo do Oceano.

O número do "desaparecido" Cessna 1966 172-H era N-1483F. A cauda do avião da Red Bays mostrava quatro números / letras visíveis: Nx48xF (o X significa que esse número específico foi destruído, no entanto, um "3" estava pintado parcialmente após o 8).

Enquanto já estavam razoavelmente certos que esta era a cauda do Cessna desaparecido, a cauda era de um Cessna 172, e também da idade correta. Agora confirmaram que estavam certos, a cauda era do misterioso Cessna 172-H 1966.

Red Bays está a 643 quilômetros da Grand Turk, no entanto, parece que quando o avião caiu na água, a cauda foi arrancada. Ao longo do tempo, o movimento da água na região noroeste da Grand Turk através do Velho Canal das Bahamas, para o Canal Santaren, e a Corrente do Golfo gradualmente levaram a cauda do norte para o oeste de Andros.
Hangar do Vinna

Aeronave doada pela FAB é transportada em rodovia em SC

Avião será usado em curso de mecânica aeronáutica do Senai.
Tráfego de veículos não precisou ser interrompido, segundo a PRF.

Os motoristas que trafegavam pela rodovia BR-282, que liga Florianópolis a São José (SC), foram surpreendidos por duas carretas que transportavam um avião, na manhã desta segunda-feira (22). A aeronave foi doada pela Força Aérea Brasileira (FAB) para a escola de mecânica aeronáutica do Senai. Segundo a Polícia Rodoviária Federal (PRF), o tráfego de veículos no trecho não precisou ser interrompido.

Em nota, o Senai informou que o Bandeirante, de fabricação da Empresa Brasileira de Aeronáutica S.A. (Embraer), saiu do Rio de Janeiro, na sexta-feira (19), e foi transportado para a Base Aérea de Florianópolis, onde chegou neste domingo (21). "Optamos por deixar o avião em poder da FAB até a manhã desta segunda-feira por razões de segurança", disse José Valcir Souza, coordenador do curso de mecânica aeronáutica do Senai.

Foto: Guto Kuerten/Diário Catarinense/Ag.RBS

Aeronave é transportada por duas carretas em rodovia catarinense na manhã desta segunda-feira (Foto: Guto Kuerten/Diário Catarinense/Ag.RBS)

Ainda segundo Souza, o avião será usado em três módulos do curso, que tem cerca de 200 alunos matriculados. "Um deles é o curso de aviônicos (que cuida da parte eletrônica), o outro é de célula (estrutura e fuselagem) e o último é de grupo motopropulsor (que trata do motor dos aviões). Por isso a aeronave doada pela FAB está inteira, com todos os equipamentos."

Para fazer o transporte do avião, os estabilizadores vertical e horizontal foram desmontados e as antenas superiores foram retiradas. "Essas partes, além das asas, foram colocadas em uma segunda carreta por questões de logística. Se estivessem montadas, elas passariam da largura da carreta e também poderiam atingir os fios de iluminação pública do trajeto", disse Souza.
G1

PLR da GOL será no valor do salário do aeronauta e não o valor de um salário mínimo como anunciado no jornal Dia a Dia.


No último jornal Dia a Dia (nº 535) o SNA divulgou erroneamente que o PLR da GOL será distribuído em abril, no valor de um salário mínimo. A informação correta é que o valor do PLR será igual ao salário do aeronauta.
SNA

GOL / VRG se compromete a contratar mais profissionais



Em reunião realizada nesta quinta-feira, dia 4 de março, o SNA cobrou da GOL/VRG providências quanto às reclamações levadas pelo sindicato à empresa no dia 28 de janeiro. A companhia anunciou que contratará 240 comissários até o final do ano, 80 deles já estão em processo de treinamento e outros 90, em seleção. No momento, 50 novos co-pilotos já foram contratados e mais 60 estarão trabalhando na empresa até o mês de junho.

A contratação de novos aeronautas, de acordo com a GOL/VRG, ajudará a resolver o problema das escalas de voo programadas e executadas. Ainda segundo a companhia, outras soluções estão em curso, como um treinamento para atendimento ao público interno oferecido ao setor de escalas. A medida visa sanar o problema narrado por muitos aeronautas de terem sido desrespeitados no setor. A GOL/VRG informou também que será reforçado o papel do mediador de conflitos entre os tripulantes e os escaladores.

Descanso da tripulação

Na reunião do dia 28 de janeiro, o SNA alertou também sobre as acomodações da tripulação fora da base. Diante da exigência do sindicato de que os hotéis que hospedam os aeronautas tenham o mínimo de condições de lazer nas proximidades e que sejam em andares seguros, a GOL/VRG respondeu que a coordenação do trabalho de seleção dos hotéis a partir de agora será feito pela gerência de comissários. A companhia argumentou que a mudança foi feita porque um tripulante terá condições de atuar melhor para decidir onde pernoitará a tripulação, já que conhece de perto as necessidades dos aeronautas.

Benefícios

A GOL/VRG disse que as passagens com desconto já estão estendidas também às aeronautas afastadas por licença maternidade. O SNA cobrou que os trabalhadores afastados com licença previdenciária também recebam o benefício.

Questionada sobre a demanda dos aeronautas de que o crachá permaneça com o trabalhador mesmo ele estando licenciado, a companhia disse que a discussão ainda não foi finalizada na empresa, mas se comprometeu a dar uma resposta em breve. O crachá é muito importante para que o aeronauta possa usufruir dos benefícios como convênios e descontos. A falta da identificação prejudica, inclusive, o livre acesso do trabalhador ao aeroporto.

O sindicato cobrou também que, a exemplo de outras companhias, a GOL/VRG disponibilize assistentes sociais à tripulação, sobretudo para acompanhamento dos trabalhadores fora da base, em casos como os de acidentes e internação.

Ainda foi pauta da reunião, a necessidade de a companhia ter sensibilidade com os aeronautas que participam do processo de seleção. Conforme relatado ao SNA por alguns destes profissionais, tripulantes tem sido acometidos pela chamada “Síndrome do jaleco branco”. A síndrome faz com que, na frente do médico, a pessoa altere o seu quadro de saúde. São de conhecimento do sindicato situações nas quais, por exemplo, o aeronauta tem uma subida abrupta de pressão apenas na presença do profissional de saúde. O SNA pediu que a empresa tivesse sensibilidade nesses casos por não se tratar de um problema crônico, mas sim, uma alteração momentânea do quadro de saúde.

Ponte aérea-escala

A companhia tinha oferecido aos tripulantes cariocas dos voos da ponte aérea a possibilidade da escala dirigida para o Rio de Janeiro. Diante dessa possibilidade, muitos aeronautas abriram mão de imóveis alugados na capital paulista. Entretanto, o que tem acontecido é que cada vez mais os voos estão tendo origem e destino em São Paulo, fazendo com que a tripulação carioca tenha que pernoitar na cidade. Da mesma forma, tem aumentado o número de tripulantes da ponte aérea com residência na capital paulista que estão pernoitando no Rio. Este problema tem causado muitos transtornos para os trabalhadores e, inclusive, para a companhia. A GOL/VRG se comprometeu a fazer uma análise sobre a questão.

PLR 2009 será distribuído em abril

A empresa ainda não fechou os valores do PLR de 2009, mas garantiu que a distribuição será antecipada para o mês de abril, após o pagamento do salário. Quanto ao PLR de 2010, a companhia argumentou que está fechando as metas para posteriormente apresentá-las ao sindicato e juntos elaborarem as regras de participação e distribuição.

Muitas das demandas apresentadas pelo SNA, a própria companhia constatou que são de fato reclamações da categoria, já que foi realizada uma pesquisa de clima na empresa. Na pesquisa, muitas dessas questões também apareceram.
Aeroblog

BoA (Bolívia) solicita autorização para voar ao Brasil

A companhia aérea estatal da Bolivia, a Boliviana de Aviación (BoA), que iniciou operações domésticas em dezembro passado, solicitou à Anac autorização de funcionamento no Brasil. A agência reguladora avaliou o pedido na última reunião de diretoria, dia 17, e deve emitir parecer em breve. À frente da aérea no Brasil está Victor Palenque (ex Avianca).
DESÁSTRES AÉREOS

Abandono de passageiros pela Azul, o bicho pegou no aeroporto !!! (Vídeo)





Choveu forte no Rio de janeiro no último dia 14 (domingo) entre as 17:30 e 20:00h. Já esperava algum atraso no meu voo que sairia as 21:22 do aeroporto Santos Dumont (Rio de janeiro) com destino ao aeroporto de Viracopos (Campinas), o que eu não esperava, era ser ABANDONADA no corredor de embarque no aeroporto do GALEÃO sem água, comida ou quaisquer informações junto com outros passageiros.


Só embarcamos no dia 15 (segunda-feira) as 08:00 no voo 4009, que deveria ter saído às 06:30. Todos os detalhes desse ocorrido estão na manifestação abaixo:

Como tudo aconteceu:

(Desmembrei os fatos com o horário aproximado em que eles ocorreram para facilitar a leitura).

21:22 - Horário do nosso voo (4023)

23:00 - Estávamos aguardando nosso voo no aeroporto Santos Dumont, quando pouco antes da meia-noite, a funcionária Raquel, da companhia Azul, informa que a nossa aeronave pousou no Galeão, por isso embarcaríamos lá. Fomos acomodados em algumas vans até o Galeão.

Popout

00:00 - No Galeão não fomos recebidos por nenhum funcionário da Azul, e ficamos aguardando uma posição da empresa no saguão do aeroporto (no quadro, o voo estava previsto para as 2 da manhã).

1:00 - Pouco antes das 2 h da manhã, um funcionário da Azul "apareceu" e nos chamou para embarcar. Quando questionamos sobre alimentação, ele pediu que escolhêssemos entre comer ou embarcar. Escolhemos embarcar, claro. Descemos até o corredor de embarque e aguardamos de pé em fila por mais algum tempo.

Popout

2:00 - Por volta das 2 da manhã, o funcionário retorna e informa que o voo foi cancelado. Motivo: a aeronave pousou, mas não tinha tripulação para nos levar, pois a que saiu já havia excedido horas de voo. Ao ser questinado por todos os passageiros já exaustos e nervosos sobre o que seria feito, o funcionário quase aos prantos, pede que aguardemos uma solução, pois ele vai chamar um supervisor/gerente...e "desaparece".

Ficamos "enclausurados" nesse corredor (estávamos sem o cartão de embarque e bagagens), em condições sub-humanas, não havia lugar para sentar, nem banheiros, o chão estava imundo, mas era onde tivemos que nos acomodar, e onde uma mãe amamentava sua filha de colo.

3:00 - Quase 3 da manhã, um funcionário da Infraero nos deu "passe livre" para sair e retornar mesmo sem os bilhetes, para que pudéssemos comprar água/comida, utilizar o banheiro, etc... E informou que o funcionário da azul havia desaparecido, mas estavam tentando lacalizá-lo.

Popout

4:00 - Quase 4 horas da manhã, o funcionário da Azul "reaparece" com outros, mas sem nenhuma solução, estava ali apenas para "acalmar" os passageiros nervosos, até que seu superior chegasse. Quando o mesmo chegou, após muita negociação e reivindicações dos passageiros, oferecem hotel e embarque em outras companhias em voos 12:00 e 13:00h. A maioria pôde aceitar e seguiu o funcionário que os levaria ao hotel (não sei o que houve com esse grupo, pois perdi o contato).

5:00 - Nosso grupo permaneceu no local, pois tínhamos que chegar em Campinas pela manhã. Pedimos até voo para São Paulo, ou ônibus para Campinas, pois o compromisso da maioria no local era pela manhã. Subimos novamente para o saguão onde aguardamos mais um pouco (dessa vez tínhamos bancos para nos acomodar).


E recebemos a boa notícia: "consegui um voo as 06:30 pra vocês, como são quase 5 da manhã, nem vale a pena ir para o hotel, vamos voltar para o Santos Dumont onde será oferecido um bom café da manhã para vocês, enquanto aguardam o horário do voo". E seguimos para o lado de fora do aeroporto, onde vimos o dia amanhecer, de pé, aguardando por quase 1 hora o transporte.

Popout

06:00 - Chegamos no Santos Dumont por volta das 6 da manhã e tivemos que fazer novamente o check-in, mais tempo em pé, em fila. Não conseguimos "cobrar" o café da manhã prometido, pois estava em cima da hora do voo (4009).

07:30 - Aeroporto cheio, sentamos em grupo no chão e aguardamos pacientemente até as 07:30 da manhã, quando subimos na aeronave e aguardamos mais um pouco até a sua saída (08:00).


Popout

09:00 - Chegando em Campinas 09:00, não pudemos esperar a "boa vontade" dos funcionários providenciarem nosso transporte conforme haviam prometido (havíamos perdido o translado para o hotel) e a essa altura não podíamos acreditar em mais nenhuma promessa desta empresa (café da manhã, embarque...). Nem procuramos pelos funcionários, tomamos um táxi e fomos embora.

Se pudesse resumir a empresa em uma única palavra, esta seria DESPREPARADA (para não dizer incompetente que é muito ofensivo). DESPREPARADA para lidar com problemas, buscar soluções, e para tratar com pessoas. E sem NENHUM senso de urgência.


Popout
AEROBLOG

Supremo adia pagamento de perdas do Aerus


A União não precisa pagar, pelo menos por enquanto, as perdas sofridas por participantes do fundo de pensão Aerus, integrado por funcionários de empresas aéreas como a Varig e a Transbrasil. Ao julgar um recurso do Sindicato Nacional dos Aeronautas, o Supremo Tribunal Federal (STF) confirmou ontem que uma decisão liminar não pode obrigar a União a arcar com a complementação de aposentadorias, pensões e auxílios-doença.

A complementação pela União das aposentadorias, pensões e auxílios-doença tinha sido determinada por meio de liminar do Tribunal Regional Federal (TRF) da 1ª Região. Alegando que havia risco de lesão à ordem e à economia pública, a União recorreu ao Supremo.

Para os ministros, a Justiça não pode, por meio de uma decisão provisória, que é a liminar, determinar ao Erário que pague a conta. De acordo com a tese vencedora no tribunal, há um dispositivo na Constituição que veda a execução provisória (por meio de liminar) contra o poder público.
No julgamento, ficou acertado que o presidente do STF, Gilmar Mendes, solicitará à Justiça federal que decida rapidamente o mérito do caso.

– Senão não teremos base sequer para qualquer juízo seguro sobre a existência ou não da dívida – afirmou.

No recurso, a Advocacia Geral da União (AGU) argumentou que a folha mensal de pagamento da entidade era de cerca de R$ 20 milhões. Segundo a AGU, a manutenção da liminar imporia à União arcar com cerca de 50% a 85% por mês do montante – em média, seriam R$ 13,5 milhões para o Erário.

AERONAUTA

Pilotos da Delta envolvidos em incidente poderão reaver licenças no segundo semestre


Os pilotos do Airbus A320 da Northwest Airlines que em Outubro de 2009 saíram da rota originalmente programada após se distraírem utilizando seus laptops na cabine de comando, permancendo sem contato com os órgãos de controle por cerca de 90 minutos, poderão reiniciar os processos necessários para reaver suas carteiras a partir do dia 29 de Agosto deste ano, informou a ATI.

Suspensos pela direção da Delta Air Lines (empresa com a qual a Northwest se fundiu em 2008) logo após o incidente, o comandante e o copiloto do voo também tiveram suas carteiras de Piloto de Linha Aérea, e por consequência também as de Piloto Privado e Piloto Comercial, revogadas pelo FAA (Federal Aviation Administration).

Normalmente os regulamentos norte-americanos prevêem uma espera mínima de um ano para que novas carteiras sejam expedidas em casos de revogação, entretanto, o FAA aceitou fazer um acordo reduzindo o prazo após os pilotos retirarem a apelação que haviam feito junto ao NTSB (National Transportation Safety Board).

Com a recuperação das carteiras os dois dependerão ainda do resultado final do processo interno sendo conduzido pela Delta para saber se suas carreiras continuarão ou não na empresa.

Através de um porta-voz a companhia aérea informou que ambos continuam suspensos até que as investigações sejam concluídas, e que a possibilidade de reaverem suas carteiras não terá qualquer influência no resultado final.
CR

Diretor Técnico-Operacional da TAM deixa cargo


O comandante Fernando Sporleder não faz mais parte da Diretoria da TAM.

Fontes do setor dão conta de que Sporleder, que integrou-se aos quadros da companhia aérea em 2007, deixou nesta tarde o cargo de Diretor-Técnico Operacional que ocupava desde Abril de 2009.

Tendo inciado sua carreira na aviação comercial em 1982 pela Vasp, Sporleder foi um dos homens de confiança de David Barioni Neto durante a estruturação da Gol, tendo mudado-se para a TAM junto com Barioni quando este assumiu sua presidência.

Em seu lugar assume interinamente Ruy Amparo, atual Vice-Presidente de MRO (Maintenance, Repair and Overhaul) da empresa.
Contato Radar

Infraero nega novo voo da Gol para João Pessoa

A Gerência de Operações da Infraero (Empresa Brasileira de Infraestrutura Aeroportuária), no Aeroporto Internacional Presidente Castro Pinto, na Grande João Pessoa, informou nesta segunda-feira (22) que a Gol Linhas Aéreas não iniciou novo voo no equipamento paraibano.

Segundo informações do setor, houve um problema técnico na aeronave da Gol, na sexta-feira, quando seguiria para São Paulo com os passageiros paraibanos embarcados. Para evitar constrangimento maior, a empresa decidiu deslocar um voo charter que sairia de Fortaleza para São Paulo. O vôo chegou no Castro Pinto às 20h45, decolocando para Cumbica, em Guarulhos (SP), às 21h25. “A empresa agiu de forma rápida para evitar prejuízo aos passageiros”, informou a Gerência.

Fábio Cardoso

Gol pretende aumentar receita com manutenção de aviões estrangeiros



A companhia aérea Gol pretende aumentar sua receita prestando serviços de manutenção de aviões para empresas estrangeiras em seu Centro de Manutenção de Confins, na região metropolitana de Belo Horizonte. A companhia inaugurou nesta quinta-feira (18) a expansão da unidade, que passou a ter capacidade instalada para fazer a manutenção de até 120 aeronaves por ano.

Com uma frota atual de 109 jatos, a Gol deverá ter capacidade ociosa no centro pelos próximos cinco anos. Por isso, a meta é prestar serviços para terceiros. Segundo o presidente da companhia, Constantino Oliveira Jr., o início dos serviços para empresas estrangeiras depende de uma certificação do FAA, órgão americano que cumpre as mesmas funções da Agência Nacional de Aviação Civil (Anac). A previsão é de que ainda leve um ano para que a Gol obtenha essa certificação.

A empresa investiu R$ 65 milhões para ampliar a capacidade instalada do Centro de Manutenção construído em 2005. Foram dois anos de obra. O centro é hoje o maior do País e um dos maiores da América Latina.


Jornal do comércio

PLR da TAM: SNA manterá categoria informada sobre proposta da companhia


Até o momento, a TAM ainda não apresentou ao SNA nenhuma proposta oficial sobre a distribuição do Programa de Participação nos Lucros e Resultados (PLR) aos trabalhadores da empresa. No dia 26.03.2010, cobraremos da empresa mais uma vez. Estamos acompanhando os comentários enviados aqui no site sobre o tema e esclarecemos à categoria que, como de costume, os trabalhadores serão convocados para deliberar sobre a proposta.

Solicitamos ainda que os aeronautas da companhia compareçam às assembléias convocadas pelo SNA. O que vem ocorrendo é que a categoria de um modo geral, não apenas os tripulantes da TAM, mas de todas as companhias, tem tido uma atuação muito tímida nos espaços onde devem estar presentes para impulsionar a luta por melhores condições de trabalho. Tivemos experiências recentes que demonstram uma inexpressiva participação dos aeronautas, como nas discussões da convenção coletiva e da aposentadoria especial, por exemplo. Assim, qualquer forma de pressão que necessite da participação em peso da categoria, como greves, paralisações ou manifestações acaba sendo ineficiente pela baixa participação.

Este comunicado tem o objetivo duplo de informar e de responder aos inúmeros comentários publicados em nossa página sobre o PLR da TAM. Para nós é muito positivo que os aeronautas estejam se expressando de forma contundente por este meio eletrônico. Esclarecemos que estamos nos esforçando para mediar com agilidade os comentários e providenciar as respostas demandadas pelos usuários, mas nem sempre é possível. Esperamos contar com a compreensão dos aeronautas.

Solicitamos ainda que os trabalhadores da TAM estejam vigilantes quanto à proposta de PLR da empresa e do cumprimento da regulamentação profissional. Chamamos todos a estarem atentos para, caso seja necessário, tomarmos coletivamente as medidas de pressão cabíveis.

SNA

Simulador de voo para tripulantes de helicópteros

Quando se fala em simulador de voo, imediatamente se imagina uma simulação da pilotagem.

Porém os demais tripulantes e mesmo operadores de solo podem se valer da simulação para complementar seus treinamentos em voo real. Vale lembrar que uma hora de voo de treinamento para um piloto custa a mesma coisa que uma hora de voo de treinamento para um mecânico de voo e este tem atividades relativamente mais simples e fáceis de serem simuladas com realismo (menos instrumentos de voo, as reações da aeronave não são induzidas pelo mecânico, etc).

Isso faz com que a simulação para estes tripulantes seja até mais atrativa e barata que para os pilotos.

Deixo abaixo um vídeo do simulador para mecânicos de voo, desenvolvido no ambiente VBS2. O VBS2 é a versão profissional do ambiente utilizado no jogo Armed Assault e (em sua versão mais antiga) no Operation Flashpoint.
Popout
Meio Aéreo

Simulando um tapete mágico


O tapete mágico (ou ainda tapete voador) é um tapete lendário das histórias das Mil e Uma Noites, a que se atribuía a capacidade de voar, transportando uma ou mais pessoas.
Considerando a tecnologia atual, será possível voar em um “tapete mágico” como na ficção?

Isto já aconteceu: o voo foi realizado em maio deste ano por um astronauta japonês, que simulou o voo em um “tapete mágico” na estação espacial. A brincadeira foi sugerida para a missão pela população japonesa. A ausência de sensação de peso na estação permitiu o “experimento”.
Como a Física explica esse feito?

É comum vermos fotos de astronautas flutuando dentro de uma nave espacial, como a Estação Espacial Internacional. Dentro dela o astronauta experimenta uma sensação de falta de peso.

O termo correto para falta de peso é microgravidade. Você não está realmente sem peso porque a gravidade da Terra mantém você e tudo o que está dentro da nave em órbita. Na verdade, você está em estado de queda livre, como se tivesse pulado de um avião, exceto que está se movendo tão rapidamente na horizontal (8 quilômetros por segundo) que, à medida que cai, não chega a tocar o chão porque a Terra se afasta devido a sua curvatura.
Imagine que você tem um canhão montado no alto de uma torre. Se você der um tiro fraco, a bala deve fazer um trajeto que vai se curvando para baixo, devido à força gravitacional da Terra. Se você der um tiro mais forte, a bala deverá fazer uma curva mais aberta e cai mais longe que a primeira. Note que quanto maior a velocidade do tiro, mais longe a bala irá. Se o canhão fosse potente o suficiente para dar um tiro tão forte que a bala fizesse uma curva contínua, então teremos conseguido colocar a bala em órbita. Ela faria uma curva que seria semelhante à curvatura da superfície da Terra, não caindo mais no solo, como as anteriores (veja a animação abaixo). Na verdade, a bala está caindo sempre, apenas não consegue atingir o solo devido a curvatura do planeta.

Quanto a sensação de falta de peso, acontece desta forma: ao pisar numa balança caseira, ela mede o seu peso porque a gravidade puxa você e a balança para baixo. Pelo fato da balança estar no chão, ela o empurra para cima como uma força igual (Terceira Lei de Newton: Lei da Ação e Reação). Essa força é o seu peso. No entanto, se você pular de um despenhadeiro enquanto pisa numa balança, você e ela seriam igualmente puxados pela gravidade. Você não empurraria a balança e ela não o empurraria. Portanto, seu peso aparente, registrado pela balança, seria zero.

Da mesma maneira, enquanto viaja na nave, o astronauta e o tapete são igualmente puxados pela gravidade da Terra. Um não aplica forças no outro. Logo, os dois flutuam em relação à nave, tornando o voo no “tapete mágico” possível nesta condição.
Embora a falta de peso ou a microgravidade pareça ser divertida, ela exige muito do seu corpo. Você pode se sentir nauseado, tonto e desorientado. A cabeça e os seios da face podem inchar e as pernas, encolherem. A longo prazo, os músculos podem ficar fracos e os ossos, frágeis. Esses efeitos podem acarretar danos graves em uma viagem longa, como uma expedição a Marte, por exemplo. Eis o grande desafio para as agências espaciais que objetivam levar o homem ao planeta vermelho nas próximas décadas.
Tuba Física

Março 2010 O tempo é curto para renovar a frota


A escolha do novo caça avançado da aviação de combate chega ao fim sem surpresa e de acordo com a vontade do governo. O Rafale vai custar caro, mas menos do que tem sido especulado, alguma coisa entre R$ 5,5 e R$ 6,5 bilhões, com chances de redução ao longo do tempo, afirmam assessores do ministro da Defesa, Nelson Jobim.

A preferência pela oferta da França, envolvendo 36 supersônicos e os suprimentos, esteve em alta desde o anúncio da lista final, que incluiu o caça americano F-18 e também o Gripen NG, sueco. No Planalto, houve sempre observações negativas sobre o emaranhado de leis que dificultam nos Estados Unidos as vendas de sistemas militares por meio de contratos com cláusula de transferência de tecnologia e a respeito das incertezas do projeto NG. O uso da palavra "irrestrita" na oferta da Dassault, levou vantagem sobre "necessária", da Boeing, no tratamento da questão da entrega de conhecimento.

A proposta da Saab, de participação no desenvolvimento final da sua aeronave, não superou as possibilidades do acordo com a França, uma parceria que aponta em direções diversas, entre as quais uma frente bilateral em questões internacionais. O fato concreto, da vida real, é que a decisão não pode esperar mais - o processo acumula 10 anos de atraso e a Força Aérea Brasileira (FAB) começa a sentir a pressão da crise: a frota precisa ser desativada a partir de 2015 quando os Mirage 2000C/B comprados usados pelo presidente Lula na França sairão de cena.

Na contagem de tempo própria da indústria aeronáutica, quatro anos é, a rigor, amanhã. Qualquer que seja a aeronave escolhida já não é possível garantir com segurança a compatibilidade entre prazo e necessidade. É esse o subtexto da mensagem do Alto Comando entregue ao ministro da Defesa, Nelson Jobim, há dois dias.
noticias militares

Noar prepara sua loja no Castro Pinto



Já foi iniciada a montagem do balcão de vendas de passagens da nova Companhia aérea NOAR no Aeroporto Internacional Presidente Castro Pinto.

Já se ouve comentários de que a Noar irá começar a operar do final do mês de Março para o começo de Abril.

Os sistemas da companhia já está sendo instalados em alguns Aeroportos, porém, por enquanto não chegou a João Pessoa.

Apenas deu-se início a montagem de toda estrutura do balcão de vendas de passagens.
aeroblog