PARA HOSPEDAGEM CLIQUE NA IMAGEM

PARA HOSPEDAGEM CLIQUE NA IMAGEM
PARA HOSPEDAGEM CLIQUE NA IMAGEM

quinta-feira, 4 de março de 2010

Juiz condena empresa aérea a pagar R$ 120 mil para passageiros que tiveram bagagens extraviadas



O juiz Raimundo Nonato Silva Santos, titular da 26ª Vara Cível, do Fórum Clóvis Beviláqua, condenou a companhia aérea Delta Airlines a pagar indenização de R$ 120 mil por reparação de danos morais para E.F.J, F.G.F.N e S.L.F, que sofreram falhas na prestação de serviço, como atraso de voo e extravio de bagagem.

De acordo com os autos, no dia 22 de dezembro de 2008, os passageiros viajariam às 10h20 para Atlanta, onde fariam uma conexão, para seguirem viagem a Orlando, às 20h05 do mesmo dia. Porém, em Fortaleza, o avião decolou com uma hora de atraso, às 11h30, e depois fez uma escala inesperada em Fort Myers, cidade da Flórida, onde permaneceram por mais duas horas. Com outras três horas de atraso, os passageiros chegaram em Atlanta às 20h30 e perderam a conexão para Orlando.

Em Atlanta, os autores da ação tiveram que esperar por mais de 13 horas e dormiram no chão do aeroporto. Apenas às 9h50 do dia 23 de dezembro de 2008, os passageiros seguiram com ao destino final. Ao chegarem na cidade, às 11h20min, eles perceberam que tiveram suas bagagens extraviadas, ficando sem os pertences pessoais e roupas de frio até o dia seguinte, 24 de dezembro de 2008.

A companhia aérea Delta Airlines alega ser isenta de responsabilidade já que surgiram inesperados ajustes técnicos na aeronave. A empresa destaca ainda que “por se tratar de um evento alheio à vontade da Delta, o atraso de, aproximadamente, 13 horas na conclusão da viagem dos autores se caracteriza como caso fortuito, que configura uma excludente de responsabilidade cível da companhia aérea, cujo maior escopo é a segurança dos passageiros”.

Na decisão, o juiz destaca o artigo 14 do Código de Defesa do Consumidor: “a responsabilidade civil objetiva do fornecedor de serviços pela reparação dos danos causados aos consumidores por qualquer defeito relativo aos serviços prestados, independentemente de se perquirir sobre o elemento subjetivo da culpa”.

O magistrado ressalta que os fatos narrados nos autos “não poderiam ser considerados geradores de simples dissabor, conforme busca fazer crer o promovido. Tais fatos inelutavelmente provocariam, não só nos autores como em qualquer pessoa mediana, evidentemente sofrimento moral, por malferirem senso íntimo de dignidade e de consideração, valores que devem presidir as relações jurídicas consumeristas”, destacou na decisão da última sexta-feira (26/02), quando o juiz respondia pela 17ª Vara Cível.

Piloto quase cochila em pleno voo após tomar remédio para dormir


Jerusalém, 4 mar (EFE).- Um piloto da companhia israelense El Al tomou por engano um comprimido de dormir enquanto estava em pleno voo e, como ficou sonolento, foi obrigado a deixar a cabine de comando da aeronave, segundo uma investigação da companhia aérea revelada pelo jornal "Ha'aretz".

O incidente aconteceu há duas semanas, em um Boeing 737 que voava de Kiev, na Ucrânia, para Tel Aviv, em Israel. No voo havia 100 passageiros a bordo.

Segundo informações, o piloto confundiu o comprimido contra pressão alta que está acostumado a tomar com outro para dormir. Após ingerir o medicamento, ele começou ficar lento e desorientado.

Quando o comandante estava prestes a dormir, uma aeromoça veio em seu socorro e o tirou da cabine para que se recuperasse.

A El Al garantiu ao "Ha'aretz" que "os passageiros não ficaram em perigo em nenhum momento" e que o copiloto atuou "conforme o estabelecido, ao permitir que o piloto se recuperasse fora da cabine de comando".
último segudo

Brasil já tem 933 vôos diretos a outros países por semana


A Agência Nacional de Aviação Civil (Anac) informou que o Brasil agora tem, semanalmente, 933 vôos diretos para outros países. Estes vôos saem de 16 aeroportos. Em 2009, conforme a Anac, foram incluídas na malha brasileira as seguintes operações regulares: Guarulhos-Tel-Aviv (Israel) pela empresa aérea El Al; Brasília-Atlanta (EUA) pela Delta Airlines e Galeão-Charlotte (EUA) pela US Airways.

Já a Air China, que no ano passado realizou vôos não regulares na rota Guarulhos-Madrid-Beijing, foi autorizada neste ano pela Anac para iniciar essa mesma rota em março como voos regulares. Atualmente, conforme nota da Anac, o Brasil opera 91 rotas de 42 companhias aéreas para 45 destinos internacionais, incluindo as principais nações da Europa (Alemanha, Espanha, França, Grã-Bretanha, Holanda, Itália, Portugal e Suíça), América do Norte (Canadá, Estados Unidos e México), América do Sul (com exceção do Equador) e ainda vôos diretos para os Emirados Árabes Unidos, África e China.
Papo de Hangar

Nova Fusão à frente :Aegean Airlines & Olympic Air





A Aegean Airlines e Olympic Air
, as duas principais companhias aéreas da Grécia decidiram iniciar um processo de fusão que leva a tornar a empresa a mais poderosa do país, a companhia aérea "campeão nacional", para usar suas próprias palavras e para competir eficazmente em voos para a Europa.

O processo depende de decisão da Autoridade da Concorrência da Comissão Europeia, mas para obter a aprovação da nova empresa de capital aberto, começará um longo processo burocrático em que, por agora, cada aeronave companhia aérea irá manter o seu aspecto atual.

Espera-se que o último nome e logotipo sejão as do Olimpic. As filiais do último, Olimpic Manuseio e Engenharia, deverão ser transferidos para a sociedade em conjunto.

Quanto à propriedade, ambas as empresas manterão a sua participação proporcional. No caso de maior acionista do mar Egeu, o seu presidente, Theodore Vassilakis, que também irá presidir a nova empresa juntamente com Andreas Vgenepoulos do Olimpic. Ela tem um único accionista que é o grupo Marfin.



Turkish anuncia voos diretos entre Istambul e São Paulo


Os passageiros brasileiros já podem contar com voos sem escalas entre São Paulo e Istambul. Desde o dia 1º de março último, a companhia aérea Turkish Airlines faz a ligação direta, sem parada em Dacar (no Senegal). Com isso o tempo de viagem caiu para cerca de 13 horas. A empresa também anunciou que a média de ocupação dos voos que saem de São Paulo rumo a Istambul é de 90%.


Os voos de São Paulo para Istanbul seráo no mesmo dia às 11:25 (hora local). Os voos de Istambul para Dakar realizarão-se na terça-feira, sexta-feira e domingo às 7h30 de Istambul e retorno será às 12h55 (hora local) de Dakar.



Bandidos que assaltaram banco sequestrariam avião, diz PM


A quadrilha que assaltou o Banco do Brasil em Aripuanã (200 km de Juína), na manhã de ontem, havia fretado um avião para fugir. Eles telefonaram para uma empresa e acertaram que a aeronave estivesse na cidade com previsão de decolar por volta das 9 horas.

O capitão Anderson Luiz da Silva, da Polícia Militar, confirmou que eles “se passaram por pessoas idôneas e contrataram os serviços da empresa. Como acompanhamos a saída dos bandidos do banco, uma equipe com policiais ficou em ponto estratégico perto do aeroporto. Os bandidos viram a viatura e o plano de fuga deles não deu certo. Foi aí que decidiram fugir por terra”, explicou o oficial.

Ele esclareceu que a aeronave não chegou a decolar quando avistou a polícia. “Posteriormente o piloto soube que tratava-se de assaltantes e voltou para Juína”. O capitão está convicto que os bandidos iriam sequestrar o avião. “Eles estão com fuzis e pistolas. Se tivessem entrado no avião o piloto seria obrigado a levá-los para onde quisessem”, acrescentou.

Os bandidos, na fuga, levaram o gerente do banco que foi liberado pouco tempo depois, sem ferimentos. Um GM Vectra usado na fuga foi incendiado na ponte Rio Branco (80 km de Aripuanã). No final da manhã, os seis assaltantes abandonaram a L-200 de um empresário, roubada instantes após o assalto, e entraram na mata. “Eles estão cercados e contamos com apoio de helicóptero para localizá-los. Mas como a área é extensa eles podem conseguir ter acesso a uma estrada e fugir para Rondônia. Mas também estamos fazendo barreiras”, detalhou.

O valor roubado do banco não foi informado. Conforme Só Notícias já informou, eles colocaram os clientes na porta, como escudos humanos, impedindo ação da polícia, enquanto roubavam o dinheiro. Houve diversos disparos para o alto para aterrorizar e intimidar as pessoas. Não houve feridos. Inicialmente, a polícia informou que seriam 4 reféns. Mas acabou confirmando que só foi levado o gerente.

Correio do nordeste

Seção de aviação civil da ITF divulga resultados do encontro de 2009


Em novembro de 2009, o diretor do SNA Sergio Dias participou da reunião ordinária da seção de aviação civil da Federação Internacional de Transporte (ITF), realizada em Londres. Como resultados do encontro, foram elaborados documentos sobre as condições de trabalho dos profissionais da aviação civil. Os dados estão apresentados em quadros comparativos, com detalhes acerca dos países.

A pesquisa apresentada em Londres teve início na reunião realizada em Dubai, no ano de 2006. Haverá uma segunda fase de apuração que será feita pela internet com profissionais de todo o mundo.

De acordo com Sergio Dias, algumas questões foram bastante discutidas, como os parâmetros mínimos legais, redução de pessoal, descanso adequado e aposentadoria. O diretor do SNA ressaltou a importância do sindicato estar atento às movimentações internacionais dos trabalhadores da aviação civil e do setor de transportes em geral. Em eventos como este, salientou, se discute problemas pelos quais passam os trabalhadores em todo o mundo.

“Houve um debate sobres alguns acordos e propostas de países relatando pagamento por trabalho extra devido a diminuição do número de tripulantes. Nos contrapusemos a esta tendência porque a fadiga não pode ser compensada”, disse.

O SNA participa ativamente do ITF. No início de fevereiro, a também diretora Marlene Teresinha Ruza, a Isa, também representou o sindicato em um evento da Federação, dessa vez, da seção de mulheres.

Confira aqui abaixo os documentos com os quadros comparativos das condições de trabalho dos profissionais da aviação civil apresentado durante o encontro em Londres.

Caso não consiga visualizar o informativo abaixo, clique aqui para baixá-lo em PDF no seu computador.

SNA

Desvendado o Acidente da Gol - Mídia Sensacionalista!!!!!

Um Telejornal boliviano conseguiu acesso a imagens exclusivas do acidente aéreo envolvendo um avião da Companhia Aérea Gol. Logo abaixo você vê um trecho da reportagem.

Confira no resto do post a resposta pra todo esse mistério…

Então, Preparado pra resposta?, Veja o vídeo abaixo.

Mistério resolvido aos 50 segundos, certo?

Pois é, mais uma vez vemos que a mídia é sensacionalista e tenta, por meios desesperados conseguir sua atenção, mesmo que por meios de mentiras.

Até porque, no meio de uma queda de avião, quem é o besta de se preocupar em tirar fotos. HAUIAHIAHIAUHAUIIAU…
Só no mundinho dos noticiários mesmo.

Cuidado com seu jornal da noite. Ele mente pra você.

Etceterablog

SATA dá nome a novo avião Q400 NextGen


A transportadora aérea açoriana SATA batizou hoje o primeiro avião Q400 NextGen adquirido à canadiana Bombardier com o nome de ‘Manuel de Arriaga’, o açoriano que foi o primeiro Presidente da República Portuguesa.

A cerimônia, que decorreu esta manhã no Aeroporto de Ponta Delgada, culminou com a realização do voo inaugural, entre S. Miguel e a Terceira e contou com a presença do o presidente do Governo dos Açores, Carlos César.

O ‘Manuel de Arriaga’ é o primeiro dos quatro Q400 adquiridos pela SATA a iniciar o serviço comercial, não estando ainda anunciado quando entra em operação o segundo aparelho, que também já se encontra nos Açores.

Os dois restantes devem chegar durante o mês de Março, encerrando o processo de renovação da frota da SATA Air Açores, que começou em Julho de 2009 com a chegada de dois Q200 para substituir o Dornier que a transportadora açoriana utilizava nas ligações para as ilhas mais pequenas.

Os quatro Q400, que custaram cerca de 74 milhões de euros, vão substituir os actuais ATP e serão utilizados nas ligações entre as ilhas açorianas e nas rotas entre os Açores, a Madeira e as Canárias.

Os novos aviões, com capacidade para 80 passageiros, vão também operar na nova rota Ponta Delgada/Funchal/Faro/Ponta Delgada, que a SATA vai realizar durante o Verão.
Desástres Aéreos

Perseguição em avião marcará estreia de “Lado a lado”.


Os primeiros capítulos da próxima novela de Gilberto Braga e Ricardo Linhares, na Globo, mostrarão cenas de um sequestro de avião.

A protagonista, que será interpretada por Ana Paula Arósio, vai passar sufoco dentro do avião e presenciará algumas mortes, passando por chantagens no decorrer da trama.


[DE NOVO!] Flex no chão novamente...

Flex no chão novamente



A antiga Varig (Flex) está sem operar seu único avião desde 1º de fevereiro, quando deixou de fazer dois voos fretados por dia para a Gol.

A empresa tem dívida de cerca de R$ 15 milhões com fornecedores e negocia prazos para pagar o seguro e o leasing de seu avião. Em novembro, a Flex já havia parado de voar por 20 dias.
Contato Radar

TAP já tem canal no YouTube


A TAP lançou um canal próprio no YouTube, no qual disponibiliza vídeos sobre destinos, serviços, e acontecimentos como os "Flash Mobs" que promoveu em Portugal e no Brasil. Luís Monteiro, director de marketing da TAP, afirma que a criação deste canal se integra numa estratégia de presença da TAP em canais "cada vez mais essenciais para a comunicação das marcas e produtos".


Ainda antes do lançamento deste canal, a colocação no YouTube de vídeos do Flash Mobs que a TAP promoveu nos aeroportos internacionais de Lisboa, São Paulo e Rio de Janeiro, gerou cerca de 2,5 milhões de visualizações no site.

Para além de vídeos desta iniciativa que assinalou a época de Natal e ano novo, o canal da TAP no YouTube inclui também vídeos sobre destinos da companhia, e vídeos de divulgação de serviços como as reservas e check-in online, a assistência personalizada, e outros.

Turisver

Revista Voe Trip de Março de 2010, já disponível Online




A Turkish Airlines criará nova classe


A Turkish Airlines vai introduzir uma nova classe de produtos e serviços entre a classe executiva e a classe económica nos seus novos aviões "widebody", afirmou o CEO Temel Kotil ATW Online na semana passada, em Istambul.

Dê nome à frota de A380 da Lufthansa e receba um milhão de milhas

Lufthansa

A companhia aérea Lufthansa lançou um passatempo com vista a encontrar um nome para a sua frota dos novos aviões Airbus A380.

O prémio para o vencedor é a módica quantia de um milhão de milhas aéreas Miles & More, suficiente, nas palavras da transportadora, para "duas voltas ao mundo em classe executiva".

A alcunha pode ser proposta online até 31 de Março, após o que as cinquenta propostas mais votadas pelos internautas serão submetidas à apreciação de um júri seleccionado pela lufthansa . A título exemplificativo, quando os aviões Boeing 747 entraram na frota da lufthansa , os mesmos foram “rapidamente nomeados como Jumbo Jet”, escreve-se no site.

"Deixe a sua marca na história futura da aviação", desafia a Lufthansa.

EasyJet fica com 12.3% e Ryanair com 6% em Fevereiro de 2010




A Easy Jet e Ryanair , as maiores companhias low cost europeias, divulgaram as estatísticas de tráfego referentes a Fevereiro 2010.

A companhia britânica cresceu 12.3% ao transportar 3.39 milhões de passageiros, enquanto a sua rival soma 4.37 milhões de lugares adquiridos, num incremento de 6%.


Passageiros da Lufthansa testam aplicativo de navegação para iPhone

Como chegar no balcão de check-in, na esteira de entrega de bagagem, na lounge e depois no portão de embarque certo? Com o Lufthansa Navigator – um novo aplicativo para o iPhone –, achar o caminho certo dentro do aeroporto vira brincadeira. Esse aplicativo inovador é estruturado como um sistema de navegação e serve para guiar seus usuários do local onde se encontram até o local onde querem chegar de maneira segura. Ele está disponível em alemão e em inglês e pode ser baixado gratuitamente do Apple App Store.

Screenshots


Uma vez iniciado, o Lufthansa Navigator oferece diversas opções em sua página inicial, onde os passageiros podem escolher se querem ir até o check-in, para uma das lounges ou diretamente para seu portão de embarque. Recebem, então, uma lista de todos os voos Lufthansa de partida e os respectivos números dos portões de embarque. Assim que o destino é digitado, o dispositivo calcula a rota a partir de onde a pessoa se encontra e mostra o mapa na tela. Para facilitar ainda mais a orientação, fotos originais do entorno são sobrepostas ao mapa nos pontos significativos ao longo do caminho, e uma seta indica a direção a ser tomada. O passageiro pode verificar a rota antes de sair de casa, usando o módulo de simulação. Uma vez estando no ponto de partida, basta inserir o destino para o aplicativo calcular a rota e mostrá-la no iPhone.
Diario do turismo

Air Canada passa a aceitar apenas cartão de crédito para compras a bordo


A Air Canada anunciou que a partir do dia 1º de maio de 2010 estará aceitando apenas cartões de crédito para pagamentos de produtos adquiridos no On Board Café e no Duty Free.

Pagamentos em dinheiro, traveler’s cheques e cartões de débito não serão mais aceitos. Além de cartão de crédito, apenas vouchers para alimentação continuarão sendo aceitos. A política da Air Canada Jazz se mantém inalterada.

Com estas alterações, a empresa vai oferecer um serviço mais ágil e simples a seus clientes, evitando a procura de dinheiro trocado, espera por troco, etc. A novidade facilitará o processo de compra de produtos a bordo tanto para passageiros como para os tripulantes. Além disso, a mudança estimulará o cliente da empresa a utilizar o serviço pré-pago, que tem excelentes e convenientes opções.

A Air Canada é a única transportadora norte-americana a oferecer a seus clientes a possibilidade de solicitar e pagar pela alimentação e o Duty Free com antecedência. Caso o pagamento com cartão de crédito não seja uma opção conveniente para o viajante, ele tem a opção do voucher, que pode ser adquirido por meio do pré-pagamento de produtos do On Board Café e/ou do Duty Free.
Diário de Turismo

Nota à imprensa - Voo para o Chile


São Paulo, 3 de março de 2010 – A GOL informa que realizará outra operação para o Aeroporto Internacional Arturo Merino Benítez, em Santiago, esta noite. Uma aeronave da companhia com capacidade para 184 passageiros partirá do Rio de Janeiro/Galeão às 18h10 e São Paulo/Guarulhos às 20h00, fará escala em Buenos Aires às 22h30 e prosseguirá para a capital chilena às 23h30, onde aterrissará por volta da 01h45.

Amanhã, a GOL trará passageiros de Santiago no voo de volta, que decolará às 05h00 e fará escala em Buenos Aires às 06h50, partindo para o Aeroporto Internacional de São Paulo/Guarulhos - Governador André Franco Montoro às 07h55. A operação se estenderá até o Aeroporto Internacional do Rio de Janeiro/Galeão - Antonio Carlos Jobim. A previsão de chegada no Brasil é às 10h30.

A companhia está mobilizada em todas as frentes para atender da melhor forma possível seus clientes. Assim que tiver dados confirmados, informará o público sobre outros voos especiais que serão realizados para atender os passageiros entre Brasil e Chile.

Neste momento, a GOL orienta os passageiros com bilhetes comprados para Santiago a entrar em contato com a Central de Relacionamento, pelo telefone (11) 5508-4202.

A GOL ressalta que está isentando de taxa de remarcação ou cancelamento de bilhete passageiros com viagens de/para Santiago marcadas para o período de 27/02/2010 a 07/03/2010.

* Horários locais.


GOL Linhas Aéreas Inteligentes

Embraer é a empresa que mais perdeu valor no Brasil


http://3.bp.blogspot.com/_uT4HUWsIQWA/Smmv6Hlfk_I/AAAAAAAAAcw/Z2NLCTAgx0c/s400/Embraer_Executive.jpg
Embraer é a empresa que mais perdeu valor no Brasil



Dias atrás escrevi aqui sobre as empresas americanas que mais perderam valor de mercado, segundo um levantamento da revista Fortune. Pois fiquei curiosa para saber a quem caberia o título no Brasil. Pedi então à Economática que fizesse uma análise de quais as empresas brasileiras que mais perderam valor de mercado nos últimos cinco anos. Sabe quem está no topo da lista? A Embraer, que entre fevereiro de 2005 e fevereiro de 2010 perdeu praticamente metade de seu valor — despencou de 13,1 bilhões de reais para 6,9 bilhões de reais.

Por que essa queda tão abrupta? O executivo Frederico Curado, que preside a Embraer desde 2007, definitivamente não tem tido sorte. A crise mundial que eclodiu em 2008 derrubou as encomendas das aeronaves. Paralelamente, o real se valorizou em relação ao dólar — um problemão para companhias com um perfil tão exportador quanto o da Embraer. Num cenário tão adverso, as iniciativas dos executivos da Embraer servem mais para estancar a sangria do que propriamente para levar a companhia de volta ao topo. No início do ano passado, Curado fez um inevitável ajuste da estrutura de custos da empresa, provocando a demissão de milhares de funcionários (leia aqui matéria publicada por EXAME à época). Além disso, a empresa vem investindo em novos produtos, como os jatos Phenom, para tentar atrair novos compradores. Para analistas, porém, enquanto o mercado mundial estiver desaquecido e o câmbio pender em favor do real, a Embraer continuará enfrentando problemas. “É difícil imaginar quando as ações da empresa vão voltar ao patamar de alguns anos atrás’, diz a analista Daniela Bretthauer, da corretora Raymond James.

Em tempo: a companhia que mais ganhou valor de mercado no mesmo período foi a Petrobras, que saltou de 115,3 bilhões de reais para 304,4 bilhões de reais.
Blog do Vinna

FX-2: Até março, Lula convocará Conselho de Defesa para chancelar a decisão

http://4.bp.blogspot.com/_AxCuBauiBF0/Srzmp4GOSRI/AAAAAAAADB8/7b_R7-dly5Y/s400/rafale-fab.jpg
França reduz preço de caças e Brasil vai anunciar compra

Até março, Lula convocará Conselho de Defesa para chancelar a decisão

A redução do preço do avião Rafale, fabricado pela Dassault, era o sinal que o presidente Luiz Inácio Lula da Silva e o ministro da Defesa, Nelson Jobim, precisavam para iniciar a preparação do anúncio da decisão final pela escolha do caça francês, que já havia sido tomada em setembro do ano passado, durante visita do presidente Nicolas Sarkozy ao Brasil.

O preço de US$ 8,2 bilhões para o pacote da Dassault de venda de 36 Rafale para a FAB, com peças de reposição, armas e logística era considerado muito alto e o governo brasileiro exigia a diminuição do valor para poder garantir e confirmar que a França é o parceiro militar estratégico do Brasil, o que acabou acontecendo, como noticiou ontem o jornal Folha de S. Paulo. De acordo com a reportagem, o preço caiu para US$ 6,2 bilhões.

Depois do carnaval, no mais tardar no início de março, Lula convocará o Conselho de Defesa Nacional para chancelar a decisão política já tomada de escolha do Rafale, por entender que ele atende às exigências que o Brasil quer para esse projeto.

Na proposta entregue pela Aeronáutica ao Ministério da Defesa, em 6 de janeiro, aprovada na reunião do Alto Comando de 18 de dezembro, os preços dos pacotes eram: US$ 8,2 bilhões, da Dassault, US$ 5,7 bilhões, da Boeing (fabricante do F-18), e US$ 4,5 bilhões da Saab (Gripen). De posse desses valores, com o pacote do Rafale considerado ainda muito alto, o governo saiu em campo para reduzi-lo. Era preciso que a Dassault baixasse o preço até para o Planalto poder argumentar que esse projeto é o que melhor atende à Estratégia Nacional de Defesa e a premissa de transferência de tecnologia, chancelado a decisão política já tomada.

Ontem, Jobim negou que o processo tenha sido encerrado. Pelo segundo dia consecutivo, o Comando da Aeronáutica se reuniu em Brasília e preferiu expedir uma nota sobre as notícias a respeito da redução do preço do Rafale e a decisão do governo brasileiro de optar pelo modelo francês. "A respeito da divulgação pela imprensa do suposto vencedor do processo de seleção dos novos caças multiemprego para a Força Aérea Brasileira (FAB), este centro informa que o Comando da Aeronáutica não recebeu qualquer comunicação oficial sobre o assunto."
Blog do Vinna

Conflito em Narita

Um Boeing 777 da Air Canada, decolada de Narita para Toronto, quando ao decolar, passando 700ft, foi instruído a interromper a subida, a aeronave nivelou em 900ft, o TCAS acusou um conflito com uma outra aeronave a direita do B777, em subida, passando 1500ft, 600ft acima do tráfego que decolava. Após o conflito, o voo prosseguiu normalmente e pousou em segurança em Toronto.

Lembrando que verticalmente, a separação mínima entre duas aeronaves deve ser de 1000ft. Nesse caso, um é tráfego essencial do outro. Muita gente tem dúvida o que seria tráfego essencial. Então vamos lá:

Tráfego essencial é quando se prevê ou quando um tráfego tenha quebrado os mínimos de separação. O controlador deve na hora passar instruções para evitar o conflito e pagar informação do tráfego essencial.

Eaglesky

Air Jamaica pode estar próxima da falência

A Air Jamaica tem até o dia 1 de julho para firmar uma parceria com a companhia Caribbean Airlines para assumir seus voos e operações.

Caso não seja feito um acordo, a companhia jamaicana pedirá falência, encerrando um ciclo de cerca de 40 anos de serviços prestados à aviação.

Com a falência ou não, a Caribbean passará a ser a única empresa aérea da Jamaica.

Flightlife

AVIÃO FAZ POUSO FORÇADO EM ZONA RURAL DE MATO GROSSO E PILOTO FICA FERIDO


Um avião caiu no Sítio Boa Esperança, de propriedade de Gilmar Cequetti de Oliveira, na estrada do PA Jatobazinho, há cerca de 20km da cidade de Água Boa, no Vale do Araguaia. De acordo com a Planeta Aviação, com sede em Jataí (GO), a empresa disse que o avião Embraer EMB-201A Ipanema, prefixo PT-GGB, pertence ao piloto Junior Marcelo dos Santos, que trabalhava nas regiões de Água Boa e Canarana.

O piloto do avião fez o pouso forçado em uma área de pastagem após um matagal e teve prejuízos de grande monta. A família Oliveira, proprietária da terra, disse que o avião deverá ser rebocado ainda hoje do local.

A queda do avião agrícola no Pa Jatobazinho preocupou pilotos de avião agrícola na cidade de Canarana. Segundo o repórter Rafael Govari do Jornal "O Pioneiro", de Canarana, Junior Marcelo dos Santos é conhecido no meio da aviação agrícola na região. Havia preocupação com o sumiço do piloto, uma vez que ninguém sabia do seu paradeiro até agora pela manhã.

O avião PT GGB teria decolado do aeroporto de Canarana na terça-feira a tarde. Ninguém sabia informar o trajeto do avião. Apesar do acidente, o piloto passa bem de saúde, tendo apenas um corte superficial no rosto.
IFR Online

REVOGADA A DECISÃO QUE HAVIA SUSPENDIDO O LEILÃO



Nas ultimas 96 horas circulou a noticia (matéria do dia 27.02.10 do consultor jurídico) que o leilão da fazenda Piratininga havia sido suspenso por uma decisão pessoal (ou monocrática) do Ministro Corregedor do TST.

Tal assertiva foi verdadeira por 04 dias.

Após receber as informações do Juízo Auxiliar de Execução - Vara Vasp, o mesmo Ministro que havia dado a liminar suspendendo o leilão, voltou atrás em sua decisão e manteve a realização do mesmo para o dia 10 de março.

A alegria do Canhedo só durou 05 dias...

O Sindicato de Aeroviários do Estado de São Paulo, Dr. Francisco Gonçalves Martins e eu (na qualidade de advogados do Sindicato na Ação Civil Pública) estamos trabalhando de maneira intensa e objetiva para que nenhum ato do Grupo Canhedo possa anular ou macular as decisões já existentes que beneficiam a todos.

Estamos enviando abaixo a decisão que revogou a liminar concedida, a decisão liminar que suspendeu o leilão e finalmente a decisão que negou seguimento ao Recurso de Revista interposto pelos advogados do Grupo Canhedo (e não da Vasp como erradamente foi divulgado pelo Consultor Jurídico).

Assim que sair o resultado do leilão nós lhes avisaremos.

Atenciosamente,

Carlos Duque Estrada e Francisco Gonçalves Martins

DECISÃO QUE REVOGOU A LIMINAR E MANTEVE O LEILÃO PARA O DIA 10.03.2010

Corregedoria Geral da Justiça do Trabalho

Despacho

Processo Nº CorPar-4661-51.2010.5.00.0000

Requerente Agropecuária Vale do Araguaia Ltda.

Advogado Dr. Cláudio Alberto Feitosa Penna Fernandes

Requerido(a) Corregedoria Regional do TRT da 2ª Região

Terceiro(a) Interessado(a) Ministério Público do Trabalho da 2ª Região e Outros

AGROPECUÁRIA VALE DO ARAGUAIA LTDA. ajuizou reclamação correicional, com pedido de liminar, sob o argumento de que o não conhecimento da Reclamação Correicional, ajuizada perante o 2º Regional, implicara endosso, explícito ou tácito, à prática perpetrada na primeira instância que, nos autos da Ação Civil Pública nº 00507 2005-014-02 00.8, deferiu pedido de alienação judicial e determinou as providências a serem tomadas com base em procedimento de jurisdição voluntária, já que lhe cumpria, por força de lei, exercer correição " sempre que se fizer necessário" (art. 682, XI, da Consolidação), como por previsão do Regimento Interno do Tribunal Regional do Trabalho da 2ª Região (art. 73, II e V) (fl.03).

Sustentou que a adjudicação estava sub judice, em fase de Recurso de Revista e, portanto, não concluída, pelo que se tratava de situação similar à da execução provisória e, se no caso, a adjudicação é provisória, não havendo coisa julgada, no tocante a seu aperfeiçoamento, impunha-se fossem observadas, por analogia,

as normas constantes do art. 475-O, do CPC.

Dizia que se tornava necessária a intervenção imediata desta Corregedoria-Geral, a fim de evitar a consumação de danos irreparáveis à Requerente.

Requereu, em face disso, e considerando que a venda judicial fora aprazada para 10/03/2010, e que sua consumação acarretaria dano irreparável ou de difícil reparação, fosse deferida, liminarmente, a imediata suspensão do ato que determinou a averbação da adjudicação no registro imobiliário, assim como da determinação da venda do imóvel, e fosse determinada, ao final, a abstenção da prática dos atos que ocasionaram tumulto, restabelecendo a boa ordem processual, a partir, inclusive, da decisão que concedeu a adjudicação, até a que determinou sua averbação no registro imobiliário e a alienação dos bens sem caução idônea.

Por intermédio do Despacho de fls.371/373, deferi a liminar para suspender a determinação da data da venda judicial do bem adjudicado até o julgamento do Recurso de Revista interposto, nestes termos:

" Não obstante a recorribilidade do ato impugnado (artigo 175, inciso IV, alínea " a" , do Regimento Interno da Tribunal Regional do Trabalho da 2ª Região), entendo que a pretensão ora deduzida pela Requerente deve ser examinada à luz do artigo 13, § 1º, do Regimento Interno da Corregedoria-Geral da Justiça do Trabalho, de seguinte teor:

" § 1º Em situação extrema ou excepcional, poderá o Corregedor-Geral adotar as medidas necessárias a impedir lesão de difícil reparação, assegurando, dessa forma, eventual resultado útil do processo, até que ocorra o exame da matéria pelo órgão jurisdicional competente..." (grifo nosso).

No caso dos autos, configura-se o justificado receio de dano de difícil reparação, na medida em que, ainda que fosse interposto agravo regimental, não teria este efeito suspensivo, e a demora no julgamento deste implicaria em prejuízo ao resultado útil do processo, na medida em que a venda judicial do bem adjudicado

está prevista para 10/03/2010, enquanto que a própria adjudicação está sub judice, já que foi interposto Recurso de Revista, em 07/01/2010, ainda pendente de despacho de admissibilidade, no qual se discute a nulidade da adjudicação.

Na hipótese de provimento do Recurso de Revista, e via de consequência, da declaração de nulidade da adjudicação, não haveria exequibilidade do Recurso de Revista, na medida em que o bem já teria sido alienado.

Assim, ad cautelam, e com o intuito de evitar a inexequibilidade do Recurso de Revista, defiro a liminar para suspender a determinação da data da venda judicial do bem adjudicado até o julgamento do Recurso de Revista interposto ou, caso seja denegado seguimento ao referido apelo, a data do julgamento do Agravo de Instrumento interposto.

A Requerida prestou informações (fls.384/391) e apresentou documentos (fls. 392 a 457).

Vistos os autos.

Atento às informações prestadas pela juíza Elisa Maria Secco Andreoni, que atua no Juízo Auxiliar de Execução, bem como aos limites da matéria trazida nos Embargos à Adjudicação e,sobretudo, ao prestígio que se deve dar ao princípio constitucional da duração razoável do processo, assim como a todos os procedimentos levados a termo pelo Juízo de Execução para alienação do bem em hasta pública, RECONSIDERO a liminar deferida para permitir a realização da praça e leilão, mas determinar a sustação de seus efeitos, dentre os quais a assinatura do auto de penhora e a expedição de carta de adjudicação, mantendo os demais termos da liminar quanto à sua vigência.

Dê-se ciência do inteiro teor da presente decisão, com urgência, mediante fax:

a) à Exma. Sra. Juíza da 14ª Vara do Trabalho de São Paulo, Dra. Elisa Maria Secco Andreoni,

b) à Dra. Tânia Bizarro Quirino de Morais, Juíza Auxiliar da Corregedoria Regional; e

c) à Requerente.

Intimem-se os Terceiros Interessados.

Publique-se.

De Vitória para

Brasília, 01 de março de 2010.

Firmado por assinatura digital (MP 2.200-2/2001)

Ministro CARLOS ALBERTO REIS DE PAULA

Corregedor-Geral da Justiça do Trabalho

ANDANENTO DO PROCESSO
Processo: CorPar - 4661-51.2010.5.00.0000 - Fase Atual:
Processo TRT - Referência: CorPar-40025/2010-0000-02.
Requerente: Agropecuária Vale do Araguaia Ltda.
Advogado : Dr. Cláudio Alberto Feitosa Penna Fernandes
Requerido(a): Corregedoria Regional do TRT da 2ª Região
Terceiro(a) Interessado(a): Ministério Público do Trabalho da 2ª Região e Outros
Andamento do processo
01/03/2010
Movimentação : Aguardando publicação de despacho - decisão monocrática
01/03/2010
Movimentação : Despacho para publicação - decisão monocrática
Local : Secretaria da Corregedoria-Geral da Justiça do Trabalho
01/03/2010
Movimentação : Concluso ao Ministro Corregedor-Geral da Justiça do Trabalho
Local : Gabinete da Corregedoria-Geral da Justiça do Trabalho
01/03/2010
Movimentação : Requer providências
Petição : 26233/2010
26/02/2010
Movimentação : Publicado despacho.
25/02/2010
Movimentação : Despacho divulgado no DEJT.
25/02/2010
Movimentação : Aguardando publicação de despacho - decisão monocrática
25/02/2010
Movimentação : Despacho para publicação - decisão monocrática
Local : Secretaria da Corregedoria-Geral da Justiça do Trabalho
24/02/2010
Movimentação : Concluso ao Ministro Corregedor-Geral da Justiça do Trabalho
Local : Gabinete da Corregedoria-Geral da Justiça do Trabalho
23/02/2010
Movimentação : Para conclusão ao Ministro Corregedor-Geral da Justiça do Trabalho
Local : Secretaria da Corregedoria-Geral da Justiça do Trabalho
23/02/2010
Movimentação : Autuado
23/02/2010
Movimentação : Andamento inicial
Local : Coordenadoria de Classificação, Autuação e Distribuição de Processos
22/02/2010
Movimentação : Reclamação Correicional
Petição : 21792/2010
DECISÃO QUE SUSPENDEU O LEILÃO

Preliminarmente, determino a reautuação da presente Reclamação Correicional para que conste como Terceiros Interessados: Ministério Público do Trabalho e Outros.
AGROPECUÁRIA VALE DO ARAGUAIA LTDA. ajuizou reclamação correicional junto ao Tribunal Regional do Trabalho da 2ª Região, em face da decisão exarada pela Exma. Sr.ª Juíza Substituta da 14ª Vara do Trabalho de São Paulo, Dra. Elisa Maria Secco Andreoni, nos autos da Ação Civil Pública, n.º 00507-2005-014-02-00-8, que deferiu pedido de alienação judicial e determinou as providências a serem tomadas nesse caso com base em procedimento de jurisdição voluntária.
A medida correicional não foi conhecida, ante a ausência de documento essencial ao exame da controvérsia (cópia do ato impugnado), nos termos dos artigos 80 e 85, inciso II, da Consolidação das Normas da Corregedoria (fls.290/291).
Em face dessa decisão, a Requerente - AGROPECUÁRIA VALE DO ARAGUAIA LTDA. - ajuíza nova Reclamação Correicional, com pedido de liminar.
Alega que o não-conhecimento da Reclamação Correicional implicou endosso, explícito ou tácito, à prática perpetrada na primeira instância, já que lhe cumpria, por força de lei, exercer correição " sempre que se fizer necessário" (art. 682, XI, da Consolidação), como por previsão do Regimento Interno do Tribunal Regional do Trabalho da 2ª Região (art. 73, II e V) (fl.03).
Sustenta que a adjudicação está sub judice, em fase de Recurso de Revista e, portanto, não concluída, pelo que se trata de situação similar à da execução provisória e, se no caso, a adjudicação é provisória, não havendo coisa julgada, no tocante a seu aperfeiçoamento, impõe-se sejam observadas, por analogia, as normas constantes do art. 475-O, do CPC.
Diz que se torna necessária a intervenção imediata desta Corregedoria-Geral, a fim de evitar a consumação de danos irreparáveis à Requerente.
Requer, em face disso, e considerando que a venda judicial foi aprazada para 10/03/2010, e que sua consumação acarretará dano irreparável ou de difícil reparação, seja deferida, liminarmente, a imediata suspensão do ato que determinou a averbação da adjudicação no registro imobiliário, assim como da determinação da venda do imóvel, e seja determinada, ao final, a abstenção da prática dos atos que ocasionaram tumulto, restabelecendo a boa ordem processual, a partir, inclusive, da decisão que concedeu a adjudicação, até a que determinou sua averbação no registro imobiliário e a alienação dos bens sem caução idônea.
É o Relatório. DECIDO.
Conforme relatado, a Requerente insurge-se contra a designação da data da venda judicial do bem adjudicado, sob o argumento de que a adjudicação está sub judice, em fase de Recurso de Revista e, portanto, não concluída. Alega que se trata de situação similar à da execução provisória e se, no caso, a adjudicação é provisória, não havendo coisa julgada, no tocante a seu aperfeiçoamento, impõe-se sejam observadas, por analogia, as normas constantes do art. 475-O, do CPC.
Nas informações prestadas pela Dra. Elisa Maria Secco Andreoni, Juíza do Trabalho em exercício no Juízo Auxiliar da Execução, à fl.287, há afirmação no sentido de que foi designada a data da venda judicial do bem adjudicado, conforme determinado em audiência datada de 29/06/2009.
À análise.
Não obstante a recorribilidade do ato impugnado (artigo 175, inciso IV, alínea " a" , do Regimento Interno da Tribunal Regional do Trabalho da 2ª Região), entendo que a pretensão ora deduzida pela Requerente deve ser examinada à luz do artigo 13, § 1º, do Regimento Interno da Corregedoria-Geral da Justiça do Trabalho, de seguinte teor:
" § 1º Em situação extrema ou excepcional, poderá o Corregedor-Geral adotar as medidas necessárias a impedir lesão de difícil reparação, assegurando, dessa forma, eventual resultado útil do processo, até que ocorra o exame da matéria pelo órgão jurisdicional competente..." (grifo nosso).
No caso dos autos, configura-se o justificado receio de dano de difícil reparação, na medida em que, ainda que fosse interposto agravo regimental, não teria este efeito suspensivo, e a demora no julgamento deste implicaria em prejuízo ao resultado útil do processo, na medida em que a venda judicial do bem adjudicado está prevista para 10/03/2010, enquanto que a própria adjudicação está sub judice, já que foi interposto Recurso de Revista, em 07/01/2010, ainda pendente de despacho de admissibilidade, no qual se discute a nulidade da adjudicação.
Na hipótese de provimento do Recurso de Revista, e via de consequência, da declaração de nulidade da adjudicação, não haveria exequibilidade do Recurso de Revista, na medida em que o bem já teria sido alienado.
Assim, ad cautelam, e com o intuito de evitar a inexequibilidade do Recurso de Revista, defiro a liminar para suspender a determinação da data da venda judicial do bem adjudicado até o julgamento do Recurso de Revista interposto ou, caso seja denegado seguimento ao referido apelo, a data do julgamento do Agravo de Instrumento interposto.
Dê-se ciência do inteiro teor da presente decisão, com urgência, mediante fax: a) à Exma. Sra. Juíza da 14ª Vara do Trabalho de São Paulo, Dra. Elisa Maria Secco Andreoni, solicitando-lhe as informações necessárias, no prazo de 10 (dez) dias, com envio de cópia da petição inicial; b) à Dra. Tânia Bizarro Quirino de Morais, Juíza Auxiliar da Corregedoria Regional; e c) à Requerente.
Intimem-se os Terceiros Interessados.
Publique-se.
Brasília, 24 de fevereiro de 2010.
Firmado por assinatura digital (MP 2.200-2/2001)
Ministro CARLOS ALBERTO REIS DE PAULA
Corregedor-Geral da Justiça do Trabalho

DECISÃO QUE NEGOU A SUBIDA DO RECURSO DE REVISTA
AP-00507-2005-014-02-01-0 - Turma 2































































































































































































Recurso de Revista
Recorrente(s): 1. AGROPECUÁRIA VALE DO ARAGUAIA LTDA.
Advogado(a)(s): 1. CARLOS CAMPANHA (SP - 217472-D)
Recorrido(a)(s): 1. MINISTERIO PUBLICO DO TRABALHO
2. SINDICATO NACIONAL DOS AERONAUTAS
3. SINDICATO DOS AEROVIARIOS NO ESTADO SP
4. RODOLPHO CANHEDO AZEVEDO
Advogado(a)(s): 1. PROCESSOS COM PARTE SEM ADVOGADO (SP - 999998-D)
2. JACKSON PASSOS SANTOS (SP - 164459-D)
3. MARCELO FERREIRA ROSA (SP - 122949-D)
4. PROCESSOS COM PARTE SEM ADVOGADO (SP - 999998-D)

PRESSUPOSTOS EXTRÍNSECOS

Irregularidade de representação. Recurso inexistente.

O apelo não comporta seguimento (Súmula 164/TST), pois o Dr. Carlos Campanhã, subscritor das razões do recurso de revista, olvidou-se de proceder à juntada aos autos do indispensável instrumento de mandato - ou substabelecimento de poderes -, a fim de lhe assegurar legitimamente o exercício da representação processual da recorrente (CPC, art. 37, "caput"). Ademais, o único instrumento acostado aos autos pela recorrente (fls. 369) outorga poderes ao Dr. Everson Ricardo Arraes Mendes e à Dra. Cristina Pires Furtado. Ressalte-se, que apesar do agravo de petição ter sido processado em autos apartados, compete às partes zelar pela correta formação para atender as exigências para o conhecimento do recurso. Neste sentido é o entendimento do C. TST: Embora o agravo de petição tenha sido processado em autos apartados por ordem judicial e não existir determinação expressa de fornecimento das peças para a formação do agravo (fl.02), compete às partes e não apenas à agravante, zelar pela sua formação adequada de forma a atender às exigências para o conhecimento do recurso. Incide na espécie o disposto no artigo 897, § 5°, da CLT, pois apesar de o referido dispositivo legal tratar do agravo de instrumento, a sua aplicação também se justifica na hipótese de agravo de petição em autos apartados previsto no § 3° do mesmo dispositivo supracitado. A agravante foi cientificada da interposição de agravo de petição, processado em apartado, não podendo transferir para o Juízo da execução a responsabilidade pela sua incúria, mormente no que concerne à juntada de procuração, imprescindível para se comprovar a regularidade de representação. Impende salientar que o fato de ter sido conhecido e provido o agravo de petição no Regional, mesmo não estando regular a representação das partes nos autos, não é empecilho para que o primeiro juízo de admissibilidade realizado no Tribunal de origem se pronuncie sobre a irregularidade constatada. Ainda que a Juíza Vice-Presidente do Regional tivesse admitido o recurso de revista, esta Corte procederia ao segundo juízo de admissibilidade e, se verificada a irregularidade, o recurso não seria conhecido. No que concerne ao requerimento de que sejam anulados os atos praticados após a interposição do agravo de petição, tal pretensão não pode ser atendida em sede de agravo de instrumento, que tem por único objetivo, atacar despacho denegatório de recurso. Desse modo, não se viabiliza o processamento da revista em face da irregularidade de representação. (PROC. Nº TST-AIRR-82732/2003-900-03-00.8, 3ª Turma, Relator Luiz Ronan Neves Koury).

Portanto, o recurso de revista inexiste juridicamente.

CONCLUSÃO

DENEGO seguimento ao Recurso de Revista.

Após a publicação, decorrido o prazo legal sem a interposição de recurso, os autos retornarão à Vara de origem, ficando dispensada a emissão de certidão de trânsito em julgado, nos termos do artigo 146 da Consolidação das Normas da Corregedoria Regional - Provimento GP/CR nº 13/2006.

Intime-se.

São Paulo, 19 de fevereiro de 2010.


Decio Sebastião Daidone

Desembargador Presidente do Tribunal


Certifico que o presente despacho foi publicado no DOeletrônico do

Tribunal Regional do Trabalho da 2ª Região, nesta data.

Em ________________________________.


Marília Fagnani

Diretora da Secretaria de Apoio Judiciário

/gb
Documento assinado eletronicamente por Decio Sebastião Daidone, Desembargador Presidente do Tribunal, em 19/02/2010 às 14:32 (Lei 11.419/2006).

Duque Estrada

Tam realiza Mudança nos Horários dos Vôos para Salvador


Devido às obras que estão sendo feitas no aeroporto de Salvador, a TAM avisou que seus voos serão mudados. A reforma começou no dia 2 de março e tem previsão de término em 10 de junho. Durante esse período, os voos entre 0h e 6:30h estão cancelados, por determinação da Infraero. O aeroporto ficará fechado nesse horário.

Entre 2 de março e 9 de junho, os voos JJ 3062 e JJ 3600 ficarão fora de operação, e o JJ 3891, de Recife, não passará pela cidade, mas os outros trechos serão mantidos. De 3 de março a 10 de junho, os voos JJ 3063 e JJ 3601 também serão suspensos.

PASSAGEM DE AVIÃO

ANAC oferece 22 bolsas de estudo para pilotos de avião em Juiz de Fora


Vinte e duas vagas de bolsas de estudo para jovens pilotos de avião estão sendo oferecidas no Aeroclube de Juiz de Fora. Dez são destinadas à formação de piloto privado — primeira etapa antes de iniciar na carreira — e 12 para a formação de piloto comercial, que pode atuar profissionalmente. As bolsas cobrem 75% das horas de voo e são destinadas a candidatos com idade entre 18 e 35 anos. As inscrições devem ser encaminhadas à Agência Nacional de Aviação Civil (ANAC) até 25 de março.

Para pleitear uma das vagas, o candidato à bolsa deve apresentar certificado de aprovação no curso teórico de pilotagem, documento de aprovação no exame da ANAC e comprovar já ter realizado pelo menos 25% da carga horária de voos necessária para a categoria: 9 horas para piloto privado e 29 horas para piloto comercial (mais informações na página da ANAC).

O processo seletivo terá início com prova objetiva, no dia 18 de abril, às 9h, realizada na cidade escolhida pelo candidato no momento da inscrição. Os exames podem ser feitos em Belo Horizonte (MG), Curitiba (PR), Florianópolis (SC), Fortaleza (CE), Porto Alegre (RS), Porto Nacional (TO), Rio Claro (SP) e São Luís (MA). O resultado sai no dia 30 de maio. O candidato com aproveitamento igual ou superior a 70% na prova objetiva, que for classificado dentro do número de vagas, deverá realizar exame de proficiência técnica no aeroclube escolhido. Após essa etapa, os aprovados já podem agendar as aulas práticas.

O investimento do governo federal nas 213 bolsas de estudo oferecidas em todo o país soma R$ 3 milhões, com recursos do Programa de Desenvolvimento da Aviação Civil do Ministério da Defesa. Além das aulas práticas e do voo de cheque ao final do curso, a bolsa também inclui despesas de hospedagem do aluno bolsista na cidade escolhida. Segundo dados da ANAC, em média, o custo das aulas para a formação de um piloto privado é de R$ 14 mil. Para ser piloto comercial, o aluno deve desembolsar cerca de R$ 70 mil.

ACESSA.COM

Profissão de piloto é pouco procurada em Juiz de Fora

Apesar da cidade oferecer o curso, há poucos interessados e a estimativa dos profissionais é de que em cinco anos faltem pilotos qualificados no mercado.


Ser piloto exige muita força de vontade, dedicação e persistência. Essas são as dicas que profissionais experientes e estreantes repetem a todo momento. Sem esses ingredientes, não há como tornar-se um profissional qualificado.

Ao que tudo indica, existem poucas pessoas com essas características no Brasil porque, segundo o instrutor de vôo, André Monteiro (foto abaixo de blusa branca), a previsão é de que em cinco anos faltem profissionais qualificados no mercado.

Em Juiz de Fora, o responsável pela profissionalização dos pilotos do Aeroclube (leia a matéria) da cidade, Capitão Bahia, confirma o baixo prestígio da profissão. "Em Juiz de Fora são poucos os que nos procuram. Tenho apenas um aluno daqui da cidade entre os 25 matriculados nas categorias de vôo privado e comercial", comenta.

Apesar da resistência à profissão, quem está nela garante que não há escolha melhor. André, Bahia e o novato Fábio Stersi Damasceno (foto abaixo de blusa azul), que está em fase de aperfeiçoamento, são unânimes: voar é uma emoção indescritível. Fábio relembra a emoção do primeiro vôo e arrisca uma generalização: "é impossível não chorar na primeira vez que você está no comando de um vôo".

Foto do instrutor André Monteiro Foto de avião Foto do piloto Fábio Sterci

Com 16 anos de experiência, André tem a mesma paixão que o novato. "Não existe nada de ruim na profissão. Voar é muito bom, só voando para saber". Bahia pondera que o único aspecto negativo é o custo. "Ainda é muito caro ser piloto porque houve corte no subsídio para a formação de profissionais e temos que cobrar caro dos meninos para que a estrutura do Aeroclube possa funcionar". O capitão ressalta que a instituição não tem fins lucrativos e trabalha sempre no limite.

Informações sobre o curso

O tempo de duração do curso depende do desenvolvimento de cada um, André arrisca que o piloto leva entre um ano e meio e três anos. "É difícil medir isso porque depende muito da proeficiência e do grau de assimilação de cada um", explica. Fábio fez o curso básico em um ano e agora está em uma fase mais avançada e conta que o investimento é pesado.

"Todas as etapas do curso são muito caras, ainda tem os exames, que são feitos no Rio de Janeiro. Mas é um dinheiro muito bem gasto porque ser piloto é algo viciante, é a melhor coisa do mundo". Aos 23 anos, o piloto vê como único ponto negativo, o pouco tempo para a família. "A gente não pára, não tem uma moradia fixa, não dá para ter muito contato com a família", diz.

Foto de avião branco O primeiro passo para o curso é fazer o exame médico e tirar o certificado de capacidade física (CCF), que pode ser tirado em algumas capitais do país e também em Barbacena. Capitão Bahia explica que nem todo mundo está apto para ser piloto e é o médico quem vai dar o aval. "Na hora que o indivíduo faz os exames, o médico lhe orienta sobre como pode melhorar para conseguir o certificado, ou desaconselha mesmo, em caso de alguma deficiência que impeça o exercício da profissão".

Certificado tirado, o aspirante a piloto parte para o curso teórico de piloto privado que dura cerca de três meses, dependendo da escola e da carga horária do curso. Depois desse prazo, é feita uma prova que hoje já pode ser feita pela internet com marcação prévia.

Aprovado nesse exame, o piloto é "checado", ou seja, credenciado como piloto comercial. Para conseguir autorização para outros tipos de vôo, o piloto tem que fazer uma prova teórica e, se aprovado, passa por um vôo de avaliação junto a um "checador" credenciado pela Agência Nacional de Aviação Civil (ANAC), vinculado ao Ministério da Aeronáutica.

Foto de painel de avião André explica que, assim como as carteiras de motoristas, a autorização para pilotar também tem diversas categorias e, para conseguir cada uma delas é preciso de uma prova teórica e um vôo de avaliação. "São categorias de dificuldade. São elas: piloto privado, piloto comercial, instrutor de vôo e vôo por instrumentos".

Para concluir o curso prático de piloto privado é preciso de, no mínimo, 35 horas de vôo, seguindo um cronograma pré-estabelecido. Para a conclusão de todos os cursos, o piloto tem que ter um total de 150 horas de vôo no caso de curso homologado pelo Ministério da Aeronáutica e 200 horas de vôo no caso de o piloto aprender em um avião particular, acompanhado de instrutor credenciado pela ANAC.

Foto de avião bege Fábio ressalta que quem opta por essa carreira tem que estar disposto a estudar muito e a não desistir no primeiro obstáculo. "A pessoa tem que estar muito certa do que quer porque tem muito dinheiro envolvido e não é fácil. Você não consegue fazer tudo certo de primeira, tem que ter muita persistência".

Capitão Bahia conta que nem todos aceitam esse desafio e muitos desistem no final. Como dica, ele aconselha que, quem quer mesmo se destacar no mercado deve, além de procurar um curso técnico, buscar um embasamento maior no ensino superior." Para fazer o curso de piloto comercial, é exigido o ensino fundamental, mas se o cara estudar Ciências Aeronáuticas, com certeza vai ser um diferencial". Segundo o capitão, cidades como Belo Horizonte e Uberlândia já oferecem esse curso. Em Uberlândia, inclusive, há a possibilidade de fazer o curso à distância.

Pré-requisitos

O primeiro requisito exigido para um aspirante a piloto é o condicionamento físico. Bahia explica que antes de iniciar o curso teórico o exame tem que ser feito para que o indivíduo não gaste dinheiro à toa.

Foto de painel de avião A idade mínima exigida para começar o curso é 17 anos, com autorização dos pais, mas só aos 18 anos a pessoa poderá realizar um vôo solo. A regra independe de gêneros e o capitão garante que mulheres não sofrem preconceitos no curso nem no mercado. "As empresas contratam mulheres, sim. Mas é claro, ela tem que estar devidamente qualificada. Ninguém é louco de não contratar uma profissional competente só por causa do sexo", diz

Apesar disso, o capitão admite que a procura é pequena por parte do sexo feminino. "Acho que é falta de interesse mesmo, é uma vida muito sacrificante. Desde que cheguei aqui apenas uma mulher nos procurou". O treinamento e a cobrança são os mesmos para homens e mulheres.

Foto de avião branco "O fim é um só, não há porque ter diferença", explica o capitão. Ele conta que uma vez sentiu que um instrutor estava dando tratamento diferenciado para a mulher e tomou o comando da aula para que todos entendessem que o tratamento tinha que ser o mesmo.

Com todos os custos e dificuldades, Fábio aconselha: "se é o sonho, a pessoa tem que lutar por ele. Tem uma coisa que ouvi em algum lugar e nunca esqueci, são três palavras que carrego sempre: querer, poder, conseguir", diz. No caso de dúvidas quanto à profissão, a dica é pesquisar e o capitão Bahia se coloca à disposição para quaisquer dúvidas.

ACESSA.COM