PARA HOSPEDAGEM CLIQUE NA IMAGEM

PARA HOSPEDAGEM CLIQUE NA IMAGEM
PARA HOSPEDAGEM CLIQUE NA IMAGEM

segunda-feira, 21 de dezembro de 2009

Silas Malafaia compra avião de 12 milhões de dólares



Rachem a cara e queimem a língua todos vocês que disseram que a bíblia de 900 reais não trazia prosperidade! Sim, eu confesso que estava enganado. A bíblia do Cerrullo, de fato, prospera!

O que me levou a esta conclusão foi a compra de um aeromodelo pelo telepastor e vice-presidente da Convenção Geral das Assembléias de Deus, "excelentíssimo" pastor Silas Malafaia. Parece que a farra dos 900 reais, somado à intimidação que o Cerrulo fez na TV, levou milhares de pessoas a ofertarem para o ministério, e ele, sábio e prudente, aplicou o dinheiro onde havia mais necessidade.

Segundo testemunhas, ao pregar em uma igreja de brasileiros em Boca Raton, Silas cofessou ter feito um negócio espetacular, ao comprar um dos maiores jatos executivos do mercado por um preço ridículo! Uma “galinha morta”. Uma aeronave com pouquíssimo uso, que se fosse nova, sairia por 18 milhões de dólares! Como a aeronave era de “segunda mão”, ele fechou o negócio pela bagatela de 12 milhões de dólares. O avião usado do Silas Malafaia custa o dobro do preço do avião novo do telemissionário RR Soares, Samuel Câmara e do Paipóstolo Renê Terra Nova.
Púlpito Cristão

Nova lei dos EUA limita espera de passageiros dentro dos aviões



Uma nova regra criada graças às reclamações dos consumidores deve evitar transtornos em voos domésticos nos Estados Unidos. A partir de abril, quando a lei entrará em vigor, os passageiros que ficarem presos por mais de três horas dentro do avião na pista terão direito de sair da aeronave.

A lei prevê exceção nos casos em que a saída acarrete risco às pessoas, ou quando o retorno do avião prejudicar as operações do aeroporto.

Empresas de aviação como a Delta Air Lines e a American Airlines vêm tentando se defender desde que, ao final de 2006 e no início de 2007, os atrasos nos voos se tornaram alvo do noticiário, após alguns voos terem feito passageiros esperarem por mais de dez horas.

A Continental Airlines e algumas outras empresas, por exemplo, tiveram de pagar US$ 175 mil no mês passado a passageiros que esperaram durante toda uma noite, em agosto. Foi a primeira vez que houve punição por conta dos atrasos.

A lei ainda obriga as empresas a colocar em seu site na internet qualquer informação referente a atrasos nos voos nacionais que opera, bem como exige que elas designem um funcionário para monitorar as consequências dos atrasos nos voos e dos cancelamentos, responder às reclamações dos clientes e prover informações, entre outras regras.

O Globo

Dados de clientes da TAM são furtados por crackers


Alguns dados de clientes da companhia aérea TAM, como o número de cartão de fidelidade, e-mail pessoal e nome, foram furtados por crackers e são agora usados em tentativas de golpe na internet.

As vítimas do furto de dados recebem e-mails convidando-os a baixar um arquivo de texto (.DOC) para supostamente imprimir um bônus que lhes daria passagens aéreas grátis, dentro dos termos do plano de fidelidade TAM.


Para tentar enganar o internauta, o e-mail usa um encurtador de URL que direciona a vítima para o site “doiop.com”, usado para hospedar o código malicioso. Os administradores do site Doiop, no entanto, já perceberam o golpe e removeram o malware de sua página.

A TAM não explica como os dados de seus clientes vazaram, mas admite que desde o dia 14 de dezembro um falso e-mail da companhia circula na internet com informações verdadeiras de seus clientes.


A principal suspeita é que uma falha de segurança tenha permitido a crackers o acesso ao banco de dados que armazena informações do plano de fidelidade TAM. A falha pode ter ocorrido no data center da TAM ou no compartilhamento destes dados com parceiros da companhia.

Em nota, a TAM explica que “nunca envia a seus clientes e-mails dessa natureza” e não utiliza os remetentes “contato@tam.com.br”, “bonusfidelidade@tam.com.br” ou tamfidelidade@tam.com.br.


Este é o segundo problema que ocorre com a companhia envolvendo seu departamento de TI em menos de um mês. Em 19 de novembro, uma mudança no sistema de TI usado em terminais de check-in da TAM falhou e causou filas e atrasos em aeroportos de todo o país.

Veja abaixo, na íntegra, o comunicado divulgado pela TAM:


"A TAM alerta a comunidade que tomou conhecimento da existência de um e-mail fraudulento, normalmente intitulado “Bônus TAM Fidelidade”, no qual os dados do cartão Fidelidade do cliente aparecem no corpo do e-mail. A mensagem supostamente oferece um bônus “Vale Tam Fidelidade” sobre uma viagem nacional paga pela empresa.


Trata-se de uma mensagem não certificada pela TAM que utiliza a imagem da companhia para fazer com que o cliente clique em “Continuar” para imprimir o bônus, ação que instala um agente malicioso no computador do internauta sem que ele perceba.


Além disso, o e-mail remete a links no domínio www.tamviagensweb.com.br, que não pertence à TAM. A companhia orienta a não acessar qualquer link apresentado e a apagar a mensagem imediatamente.


A TAM esclarece que nunca envia a seus clientes e-mails dessa natureza, não utiliza o remetente contato@tam.com.br, bonusfidelidade@tam.com.br ou tamfidelidade@tam.com.br e pede que os usuários fiquem atentos às propriedades de quem enviou a mensagem".


AEROBLOG

Justiça recebe mais 200 ações de desapropriação


A previsão é de que os primeiros acordos comecem a ser firmados em janeiro
.


A Justiça Federal, em Campinas, recebeu na última semana mais de 200 ações ajuizadas pela Advocacia Geral da União (AGU) que tratam da desapropriação de áreas próximas ao Aeroporto Internacional de Viracopos. As ações são parte do primeiro lote das desapropriações necessárias para liberar espaço para a construção da segunda pista de pousos e decolagens. Com essas novas ações, o total em análise pela Justiça chega a 860.

Ainda restaram algumas ações que serão enviadas ao Poder Judiciário no início de 2010. A previsão é de que os primeiros acordos entre a Empresa de Infraestrutura Aeroportuária (Infraero) e os proprietários de chácaras e lotes, intermediados pelo Poder Judiciário federal, comecem a ser firmados em janeiro.

O diretor do Fórum da Justiça Federal em Campinas, Valdeci dos Santos, afirmou que vão dar entrada no órgão quase mil ações referentes à desapropriação. Ele afirmou que há vários proprietários de lotes procurando pelo Poder Judiciário, informando que ainda não foram convocados formalmente, mas têm interesse em discutir o processo judicial para saída das famílias da área. “A tramitação das ações está dentro do prazo normal. Os valores apresentados até o momento para os lotes urbanos estão dentro da média de preços da região do Aeroporto de Viracopos. Os processos já protocolados estão na fase de verificação de documentos, laudos e audiências”, disse.
Santos também destacou que a estimativa é de que todo o processo da primeira fase esteja concluído no semestre inicial do próximo ano. O magistrado afirmou que a ampliação do Aeroporto Internacional de Viracopos e o trem de alta velocidade (TAV) irão gerar uma demanda maior dos serviços da Justiça Federal, que já se prepara para a nova realidade que acontecerá a partir desses investimentos. “Haverá necessidade de novas varas da Justiça Federal e nós já estamos nos preparando para a nova realidade”, disse. Ele lembrou que está projetada a construção de um complexo que irá abrigar todos os órgãos federais do município.
A Infraero informou, pela assessoria de imprensa, que já haviam sido ajuizadas 660 ações referentes aos lotes urbanizados e assinados 95 acordos com proprietários de áreas na região que servirá para a ampliação do aeroporto sem intermediação da Justiça. Segundo a estatal, foram depositados R$ 62 milhões em juízo. A previsão é de que mil ações sejam ajuizadas para a área de 12,36 quilômetros quadrados, na qual estão 3.172 lotes urbanos e 88 propriedades rurais.
Mais adiante, serão ajuizadas ações para uma outra área de 6,7 quilômetros quadrados. No total, a Infraero estima gastar R$ 161 milhões em indenizações. Até o começo deste ano, o processo de desapropriação era de responsabilidade da Prefeitura de Campinas e da Infraero. As ações tramitavam pela Justiça estadual.


Moradores

A população que vive na região que será desapropriada para a ampliação do Aeroporto de Viracopos, principalmente os produtores rurais, estão preocupados com os rumos do processo de desapropriação. Até o momento, os moradores sabem que a Infraero e a Justiça intimaram apenas os proprietários de lotes vazios e de alguns haras. “Não há, por parte dos agentes envolvidos no processo, nenhum comunicado oficial sobre como está a desapropriação. O que sabemos é o que ouvimos dos moradores da região. Há um caso no qual o proprietário foi informado que tinha de 30 a 60 dias para sair da área. Porém, ele não concordou com o valor proposto pela Infraero”, disse uma das conselheiras da associação de moradores do local, Elizabeta Novak.
Ela afirmou que as famílias descendentes de imigrantes suíços e alemães que moram na região não querem sair da área e estão temerosos com os valores que a Infraero quer impor como forma de indenização. “O que vimos até o momento são valores bem inferiores aos que as áreas valem. Os produtores rurais fizeram melhorias nas suas propriedades e também vivem das atividades que são realizadas nas áreas. Não vamos conseguir comprar uma outra área e nem há mais espaços rurais em Campinas. Como vamos ficar?” questionou. Elizabeta lembrou que as áreas que estão sendo desapropriadas nesse primeiro momento estão incluídas em um decreto de utilidade pública de 2006 e que parte das propriedades rurais está em outro documento do ano passado, cujo processo ainda depende da realização de censo e elaboração das ações.

OS BAIRROS - Lista dos locais que serão desapropriados na área de 12,36 quilômetros quadrados:
Jardim Ângulo - Jardim Califórnia - Jardim Guayanila - Jardim Vera Cruz - Jardim Internacional - Vila Congonhas - Jardim Interland - Jardim Paulista - Jardim Novo Itaguaçu - Jardim Cidade Universitária - Jardim São Jorge - Jardim Colúmbia - Parque Central de Viracopos - Haras - Jardim Cruzeiro do Sul - Fogueteiro/Viracopos - Estiva - Friburgo - Friburgo 2.

Spotting Viracopos

British Airways greve interrompida por decisão judicial




Milhões de clientes da British Airways deram um suspiro de alívio na quinta-feira depois que um tribunal britânico ordenou aos sindicatos para suspender a greve dos tripulantes de cabine cinco dias antes de ter sido agendada para começar.
ABritish Airways pediu a liminar para evitar uma greve de 12 dias que teria começado na terça-feira, que cancelaria até 7.000 vôos e custaria à companhia milhões de libras.
"Estamos muito felizes pelos nossos clientes, que a ameaça de uma greve de Natal foi impedida pelo tribunal", disse em um comunicado a British Airways.
"Nunca houve qualquer necessidade de uma greve", disse a companhia, "e esperamos que o sindicato aproveite esta oportunidade para refletir antes de decidir seus próximos passos."

Ryanair : 2010 mais receitas Acessórias


A Ryanair anunciou que irá exibir publicidade de terceiros em seus cartões de embarque a partir de 2010.

A Ryanair que é a empresa aérea que está no top do raking das receitas acessórias , sobre todos os ângulos e a terceirização de todos os custos.

- então : não há surpresas.

Pense nisso: passageiros da Ryanair tem que pagar £ 5 por setor de check-in online, ou mais no aeroporto. Isto significa que os viajantes essencialmente pagam para imprimir esta publicidade no cartão de embarque, utilizando a sua própria tinta, em seus próprios computadores em casa.

Nem sequer terá o custo da tinta...

A Ryanair sequer menciona isso em sua declaração: "Isso permitirá aos anunciantes atingirem os 66 milhões de passageiros da Ryanair, que vão imprimir seus cartões de embarque a partir do conforto de sua casa no próximo ano."

Mas o orçamento da transportadora irlandesa faz questão de salientar os benefícios para os passageiros: "As receitas provenientes da publicidade online vão ajudar a Ryanair a continuar baixando as tarifas para os seus passageiros."

Então está tudo bem então ...


Dreamliner First Flight

Conecte-se

Passageiros estão cada vez mais encontrando-se com aeronaves equipadas com conectividade móvel ou Internet de alta velocidade no ar (ou conectividade de Internet móvel mais leve).
E isso é uma grande diferença em relação a 2008; veja o qudro como está em 2009:

Conectividade 2009.JPG

Pelo 4 º ano consecutivo a AeroMexico é nomeada a "Melhor Companhia Aérea do México"


Pelo quarto ano consecutivo,a AeroMexico, a companhia aérea global da América Latina, foi escolhida como "Melhor Companhia Aérea no México em 2009 pelos leitores da revista Business Traveler.


AeroMéxico, ganadora del premio a la Mejor Aerolínea de México por 4 º año consecutivo


Como uma empresa de primeira categoria, destacamos a AeroMexico porque atende as necessidades dos viajantes a negócios e para o México, e fornece os mais elevados níveis de serviço, conforto e conveniência.

Temos o prazer de honrar com este prémio a AeroMexico pelo quarto ano consecutivo, um verdadeiro testamento para a sua posição como líder de mercado.

disse EvaLeonard, editor-chefe da revista Business Traveler.

TAM apresenta seu novo menu para 2010

A TAM Linhas Aéreas lançou uma série de novos menus para os seus serviços internacionais, uma seleção de pratos concebidos para a sociedade brasileira pelo aclamada chef Helena Rizzo.

Os pratos novos são caracterizados pela sua leveza, inspirada pelos sabores e aromas de chá, e estarão disponíveis em serviços internacionais da TAM em janeiro de 2010.

El nuevo menú de la aerolínea TAM estará diseñado por la famosa chef Helena Rizzo

O novo menu da TAM projetada pela famosa chef Helena Rizzo

Compromisso da TAM para a qualidade do serviço é uma das colunas de sustentação da nossa empresa. Estamos continuamente oferecendo aos nossos clientes o melhor. A revisão anual e renovação dos nossos menus em vôos internacionais é parte desse compromisso.

Explica Manoela Amaro, diretora de marketing da companhia aérea.

Há aproximadamente 500 diferentes opções de aperitivos, pratos principais e sobremesas, que são oferecidos pela TAM em sua primeira classe, executiva e económica em voos internacionais. Todas as novas opções têm sido desenvolvidas com um toque suave e delicado das ervas e aromas de flores, misturada com sabores inspirados no mundo inteiro.

Na Primeira Classe, lombinho com pêras escalfados e azeite aromatizado com chá, rack de cordeiro com alecrim e au jus caponnata alcachofra e tomate filé de frango, recheado com chá Earl Gray e cogumelos com arroz de jasmim e pak choi, estão entre opções disponíveis. Para a sobremesa há a torta de maçã com farofa doce (uma mistura de doce de amendoim feito pó fino), aromatizado com canela e coberto com rooitea.

Para os passageiros da Classe Executiva, as opções incluem o camarão com molho de iogurte e rebentos de Yin Zhen, ravióli de queijo brie e alho-porro com molho, filés de frango crocante coberto com sementes de sésamo com molho curry, leite de coco, chá marsala e arroz jasmim. Para sobremesa, uma das panna cotta é chá Earl Gray com limão e framboesa esmalte.

Opções Economy Class poderia incluir uma mistura de legumes servido com cenoura e carne guisada anis au molho roti com purê de batatas e legumes salteados, ou coxas de frango com molho curry, leite de coco e servido com arroz de chá de Marsala ervilhas brancas e panna cotta de hortelã sobremesa bálsamo com molho de framboesa.

Juntamente com o relançamento de seus cardápios, a TAM também atualizou selecção de vinhos servidos em seus vôos internacionais. A nova lista é encabeçada por Arthur Azevedo, diretor-geral da Associação Brasileira de Sommeliers de São Paulo.

Para harmonizar com os pratos do novo menu, tem combinado sommelier de vinhos de diferentes países e continentes.



Voo panorâmico "segue" luzes natalinas de São Paulo; veja roteiro

Lá de cima, sempre é Natal. Os faróis dos carros nas ruas congestionadas, as luzes dos prédios e os postes acesos das avenidas fazem com que a vista da metrópole seja sempre iluminada. Mas, nesses dias, outros cenários brilham coloridos e um jeito inusitado de ver a decoração natalina é fazendo um passeio de helicóptero.

Com foco nos casais paulistanos, o roteiro "Luzes da Cidade" estreou neste ano com duração de 40 minutos e itinerário que passa pela árvore do Ibirapuera, ponte Octavio Frias de Oliveira e avenida Paulista (veja imagens abaixo).



Treinados exatamente para a atividade, os pilotos fazem as vezes de guia turístico."Eles indicam as atrações e fazem as manobras exatas para a maior visibilidade de cada local", diz José Carlos Dias, diretor comercial da RBZ Aviação.

A empresa oferece a atração em parceria com o Sofitel, onde o percurso tem início. O pacote inclui recepção com espumante na volta do voo e jantar no restaurante P. Verger. Quem quiser pode finalizar o passeio com uma noite em uma suíte do hotel.

Luzes da Cidade
Onde: Partida do Hotel Sofitel. Rua Sena Madureira, 1.355, Vila Mariana.
Quando: Seg. a dom.: 19h15 às 22h40. Até 6/1/2010.
Quanto: a partir de R$ 1.794 por casal (pacote com passeio de helicóptero, jantar e hospedagem) e R$ 1.400 (voo seguido de jantar).
Reservas e informações: tel. 0/xx/11/ 3201-0800 (Hotel Sofitel) ou 0/xx/11 5589-5995 e 5589-5825 (RBZ Aviações).
Folha Online

AS AVENTURAS DO AVIÃO VERMELHO


Erico Veríssimo, pai do nosso convidado habitual Luís Fernando Veríssimo, escreveu, entre os diversos títulos da sua vasta obra, uma historieta infantil que originou a longa metragem de animação "As Aventuras do Avião Vermelho"de que apresentamos, aqui o trailer
Trailer promocional do longa de animação
baseado na obra de Erico Verissimo



Ficha Técnica:

Formato: 35mm
Duração: 80min
Direção: Frederico Pinto e José Maia
Co-produção:
Armazém de Imagens / Okna

Neve leva aeroportos dos EUA ao colapso

19.12.2009/AFP
Avião presidencial chega sob uma forte nevasca em base militar americana, onde Barack Obama desembarcou após voltar de Copenhague; tempestade levou aeroportos do país ao colapso neste sábado

A tempestade de neve que atingiu a costa leste dos Estados Unidos neste sábado (19) levou ao colapso o transporte publico e os aeroportos do país.

Com a camada de neve aumentando em cerca de cinco centímetros por hora, o aeroporto Reagan, em Washington, foi fechado até a manhã de domingo. Várias empresas também cancelaram voos no aeroporto internacional Dulles, na capital Americana. Já o presidente Barack Obama conseguiu desembarcar na base militar de Maryland, após retornar da cúpula do clima em Copenhague.

Autoridades aeroportuárias disseram que a maioria dos voos no aeroporto de Baltimore foi cancelada. No aeroporto internacional da Filadélfia, o atraso médio dos voos é de seis horas. Em Nova York, o aeroporto internacional La Guardia também registra vários cancelamentos.

A pior tempestade de neve desde 2003 na região também atrapalhou o comércio no ultimo final de semana antes do Natal.

O prefeito de Washington, Adrian Fenty, declarou estado de emergência e pediu à população que ficasse em casa.

A capital americana interrompeu as operações de parte de seu metrô, além da paralisar todo o seu serviço de ônibus, no início da tarde, quando as ruas estavam ficando intransitáveis por causa da neve.

Também o corredor de trens que liga Washington a Boston sofreu atrasos de até três horas por causa da neve.

R7

Vovó chapadona no avião



Durante um voo, uma passageira filmou tudo o que uma velha, na poltrona ao lado, fez. A velha fica fazendo gestos, falando sozinha, cantando e dançando. Dei muita risada, e acredito que vocês também darão :)
Blog Angu

Com a aquisição da Pantanal, TAM impede avanço de concorrentes em Congonhas



Foi um movimento de ataque. É dessa maneira que o mercado de aviação civil percebeu a compra da Pantanal Linhas Aéreas pela TAM, por R$ 13 milhões, anunciada na manhã desta segunda-feira.

Apesar de a Pantanal não representar um grande ganho de mercado para a TAM, que já é líder com 46% de participação, o movimento foi uma estratégia de impedir que outras concorrentes ocupassem o lugar da Pantanal. Isso porque a Pantanal tem 61 slots (autorizações de decolagem e pouso) em Congonhas, o aeroporto mais lucrativo do País. No total, são 95 slots e as autorizações em Congonhas foram inseridas como ativos de compra à TAM.

A Pantanal passará a compartilhar serviços, plataforma tecnológica e manutenção e reparos, além de fazer parte do Multiplus Fidelidade. Também se beneficiará do sistema de inteligência de mercado, sem falar na integração com as rotas da TAM Linhas Aéreas.

Além da TAM, apenas a Gol/Varig e a Ocean Air operam em Congonhas.

“Para a TAM, a aquisição foi excelente”, afirma um dos principais executivos do setor de aviação do País. “Não pela marca ou pela participação de mercado, mas para dificultar que outras empresas ocupassem espaço num aeroporto tão estratégico como Congonhas.”

Recuperação judicial

A TAM estava de olho na Pantanal desde 2007. À época, porém, a Pantanal tinha passivos de R$ 140 milhões, que a tornavam pouco atraente. Essas dívidas foram segregadas da empresa, com sua entrada em recuperação judicial, em março.

A TAM foi a única empresa a se habilitar para o leilão da Pantanal Linhas Aéreas, no início do mês. Com lance inicial de R$ 38 milhões, o leilão acabou não acontecendo por determinação do Superior Tribunal de Justiça (STJ), que devolveu à agência Nacional de Aviação Civil (Anac) o direito de redistribuir os 61 slots da Pantanal.

Em fato relevante, a companhia disse que a aquisição está sujeita ao cumprimento de determinadas condições, incluindo, sem limitação, a obtenção da autorização prévia da Anac.

Procurada, a Anac informou que, a princípio, não vai se pronunciar, pois não recebeu nenhuma documentação sobre a compra das ações e só depois de uma análise poderá falar sobre o assunto.

A TAM informou, por meio de comunicado, que a aquisição da Pantanal tem "grande valor estratégico e reflete a confiança da empresa no crescimento da economia brasileira nos próximos anos". "Iremos assistir a um aumento significativo no número de passageiros nos próximos seis anos", informou Maria Cláudia, presidente do Conselho de Administração da TAM.

Além disso, a aquisição vai ao encontro da expectativa da empresa em se transformar num grupo de multinegócios. A TAM espera, até 2014, crescer de forma expressiva no mercado.

Algumas corretoras, como a Link, diziam que o impacto na operação da TAM será pequeno. Porém, os papéis com direito a voto da companhia aérea tinham alta de 15,48% e os sem direito a voto, de 3,61%, às 12 horas.

último Segundo

GOL comprando a WEBJET?


Pelos ares

Corre pelo mercado que a Gol estaria muito interessada na compra da Webjet.

Contato Radar

Mulher faz falsa ameaça de bomba para salvar chefe atrasado




Não anda muito fácil conseguir emprego. Quem tem trabalho faz de tudo para manter-se empregado. Claudia de la Rosa inventou que tinha uma bomba em um voo só para ajudar seu chefe.

O patrão ia para Honduras em um voo da American Airlines, saído de Miami, mas estava muito atrasado e, certamente, perderia o avião. Claudia não teve dúvidas. Mandou um e-mail para a companhia aérea alertando sobre uma bomba na aeronave.




Minutos depois, a funcionária era presa pela polícia. Ela foi facilmente encontrada após uma breve busca pelo endereço IP do seu e-mail.

O voo para Honduras de fato foi atrasado. O avião foi revistado pela polícia que, obviamente, não encontrou bomba alguma.

Claudia admitiu ter mandado o e-mail e falou que tentou ajudar o chefe porque se sentia culpada pelo atraso. A mulher foi detida e liberada após ter pago fiança.
Aeroblog

Turbulência fere 20 passageiros em voo da Emirates


Um Airbus A330-200, da Emirates Airlines, que realizava o voo EK-775 a partir de Dubai, nos Emirados Árabes Unidos a Durban, na África do Sul, atravessou forte turbulência neste sábado (19), deixando 20 passageiros feridos.

Cerca de 13:30 (hora local) - duas horas antes do horário previsto para a aterrissagem em Durban - o avião enfrentou uma zona de turbulência severa. Os passageiros relataram que os carrinhos de bordo, malas, bolsas e alguns passageiros e tripulantes ficaram voando pela cabine batendo contra os bagageiros e o teto da aeronave. Um médico a bordo deu os primeiros socorros aos feridos no avião.

Painéis ficaram quebrados, fios pendurados no teto, assentos e braços danificados. Há relatos de que - de início - o avião mergulhou por cerca de dez segundos e, a turbulência, continuou por alguns minutos.

O avião continuou até Durban, onde realizou uma aterrissagem segura.

Oito passageiros foram levados para um hospital local e outros 12 - com pequenas lesões - foram tratados no aeroporto. À todos os passageiros foi oferecido atendimento psicológico.

O hospital informou que três pessoas sofreram ferimentos na espinha, um teve uma mão quebrada e os outros quatro sofreram pequenos ferimentos. Todos os oito foram liberados após o atendimento.

A aeronave foi capaz de partir para o voo de regresso com um atraso de 4 horas.

Imagem do satélite Meteosat Infrared VISSR (19 de dezembro - 12:00 Z) - Imagem: Meteosat
Desástres Aéreos

Comissário de bordo acusado de pedofilia é apresentado à Justiça


O comissário de bordo de uma empresa de aviação, Januário dos Santos Palheta Neto, envolvido em crime contra a dignidade sexual de duas meninas menores de 12 anos, será conduzido hoje perante à juíza Maria das Graças Alfaia Fonseca, da Vara de Crimes Contra Criança e Adolescente de Belém. O denunciado participará da audiência marcada pela juíza para colher os depoimentos das testemunhas de acusação indicadas pelo promotor de justiça do caso. As informações são do Tribunal de Justiça do Estado.
A audiência esta marcada para começar às 8h30, no gabinete da Vara, localizada no Anexo do Fórum Criminal. Além do réu e seus advogados participam da ação a promotora de justiça que responde perante a vara. A advogada Olenita Paes Barreto dos Santos, que atua como assistente de acusação, deverá também participar da audiência.
SUSPENSÃO
O júri de Edvaldo dos Santos Lima, que aconteceria ontem, foi suspenso pelo juiz Cláudio Henrique Rendeiro, presidente do 3º Tribunal do Júri de Belém, a pedido do próprio réu, que preferiu ser defendido pelo advogado contratado por seus familiares. O defensor público Vladimir Koenig que estava preparado para defender o acusado, requereu a suspensaão do júri, ao ser informado pelo próprio réu, que não foi intimado pessoalmente e por estar preso, compareceu.
O promotor de justiça Miguel Baia, ao se manifestar concordou com a suspensão da sessão. Com esta seriam 40 sessões de julgamentos realizados pela 3ª Vara de Belém. Nas 39 sessões realizadas atuaram na tribuna de acusação, representando o Ministério Público do Estado (MPE), os promotores de justiça Miguel Baia, titular da 4ª promotoria do júri, e Manoel Victor Murrieta. Exceto um júri em que o réu foi absolvido, todas as outras os jurados votaram acolhendo a tese acusatória.
Aeronews Brasil

Incidente com a Qantas em Cingapura

Um desligamento involuntário de um dos motores de um 747-400 da Qantas, fez com que o voo fosse adiado e a aeronave voltasse para o aeroporto de partida.

A aeronave, prefixo VH-OQJ, faria o voo QF10, ligando Cingapura à Melbourne/Australia e tinha 354 passageiros a bordo e 19 tripulantes.

O voo seguia nivelado no FL310 (9.440m), cerca de 30 minutos após a partida, quando o motor de numero quatro do 747 apresentou problemas e solicitou o desligamento imediato.

A tripulação resolveu retornar à Cingapura, onde pousou sem maiores problemas.

Flight Life

Airbus parabeniza Boeing pelo voo do 787

Stefan Schaffrath, porta-voz da Airbus, comentou recentemente sobre o voo inaugural do 787 Dreamliner.

“A Airbus parabeniza a todos da Boeing por essa realização tão importante na sua história. O primeiro voo do 787 ressalta como a aviação comercial pode evoluir graças a uma competitividade saudável. Esperamos que essa concorrência continue com a chegada do nosso A350 XWB”, revelou Stefan.

Por enquanto, o A350 existe em grande parte no papel, porem, no inicio do mês, a Airbus fabricou a primeira peça de materiais compostos da nova aeronave.

Espera-se que o A350 XWB entre em serviço em 2013.

Flight Life

Adesivando AVATAR NA WEBJET


Popout
IFR Online

Wagner Ferreira: O rebelde da aviação


Ele não usa terno, deixou o cabelo crescer e estimula os comissários a cantar a bordo das aeronaves. Com um estilo irreverente, o executivo Wagner Ferreira, presidente da Webjet,precisa fazer com que a companhia aérea finalmente dê lucro.

Wagner Ferreira, Presidente da Webjet

Ferreira, da Webjet: venda de passagens por carnê para atrair a classe C

Na tarde do dia 29 de novembro, os passageiros do voo 9743 da Webjet que voltavam de Salvador para São Paulo foram surpreendidos pela mensagem de um dos tripulantes da aeronave. O comissário Ronald Pennaforte, que normalmente aciona o sistema de comunicação interna do avião para avisar sobre as condições do tempo, serviços de bordo ou eventuais atrasos, decidiu usar o “microfone” para cantarolar uma de suas recentes composições - Pennaforte, um paulista de 38 anos, foi finalista na competição que escolheu o samba enredo da escola União da Ilha do Governador, no Rio de Janeiro, para o Carnaval do ano que vem. Tão logo a música começou, o avião foi tomado por um clima de euforia, com passageiros batendo palmas e batucando nas poltronas. Detalhe: ao contrário do que se poderia imaginar, não se tratava de um voo fretado cheio de turistas retornando das férias - mas de um time de altos executivos recém-saídos de um evento na Ilha de Itaparica.

A cantoria por parte da tripulação (para desespero de alguns passageiros) tem se tornado expediente comum na Webjet, terceira maior companhia aérea do país, com faturamento estimado em 540 milhões de reais para 2009. Além de Pennaforte, outros dez funcionários costumam soltar a voz durante os voos. A iniciativa é estimulada pelo próprio presidente da empresa, Wagner Ferreira, no cargo há um ano. Aos 52 anos de idade, o ex-vice-presidente comercial da TAM tem se esforçado para criar uma identidade própria para a companhia - mais descontraída e jovial do que a tradicionalmente adotada pelas concorrentes.

Ele mesmo tem dado o exemplo: aposentou o habitual paletó escuro, deixou o cabelo crescer e passou a organizar happy hours com os funcionários nas vizinhanças da sede da Webjet, no bairro carioca da Barra da Tijuca. Aos diretores, sugeriu que adotassem a mesma estratégia. "Quero criar uma companhia diferente das outras, mais irreverente”, diz Ferreira. “Com isso, vamos conseguir atrair mais clientes e sair do vermelho em 2010."

Num setor competitivo e de margens tão apertadas como o de aviação, aumentar a lucratividade geralmente significa apertar - e muito - os cintos. É exatamente a essa tarefa que Ferreira tem se dedicado desde o início do ano. Ele renegociou todos os contratos da Webjet com empresas de leasing, seguradoras e fornecedores de peças e combustível e diminuiu de 97 para 77 o número de funcionários por aeronave. Além disso, cada avião da companhia passou a voar quase 1 hora a mais por dia.

Numa manifestação claramente simbólica dos novos tempos, Ferreira extinguiu o cargo de secretária e o serviço de café oferecido aos executivos. Até o final do ano, outras duas medidas deverão ajudar a Webjet a cortar ainda mais sua estrutura de custos. O serviço de bordo, hoje composto de sanduíches e sobremesas, será substituído por um modesto pacote de biscoitos acompanhado de um salgadinho industrializado - o que deve gerar uma economia de 12 milhões de reais por ano. Cada aeronave ganhará 12 assentos extras, um aumento de capacidade equivalente à adição de quase dois Boeing 737-300 à frota, que fechará o ano com 20 aviões. “Isso nos permite vender passagens até 12% mais baratas que a Gol e a TAM”, diz Ferreira.


Cortar custos e aumentar a eficiência são medidas óbvias na tentativa de aumentar as margens - tanto é assim que várias empresas aéreas do Brasil e o mundo as adotaram em algum momento. Mas, se quiser fazer com que a Webjet ganhe dinheiro - algo que até agora não aconteceu - sem aumentar as tarifas, Ferreira precisará atrair mais público para seus aviões. Nesse sentido, seu principal foco será seduzir os consumidores emergentes.

Hoje, a classe C representa apenas 11% dos passageiros, embora seja quase metade da população brasileira. Com a queda no preço das passagens aéreas - um recente estudo elaborado pela consultoria Bain&Company mostra que nos últimos dez anos os valores caíram, em média, 34% -, os executivos da Webjet (assim como todos os seus concorrentes) acreditam que cada vez mais os consumidores da classe C deverão viajar de avião. Para chegar mais perto desse público, a Webjet associou-se no início de setembro a uma empresa chamada Vai Voando, especializada na venda de tíquetes porta a porta. Até fevereiro, 150 vendedores percorrerão bairros da zona leste de São Paulo e de Duque de Caxias, na região metropolitana do Rio de Janeiro, oferecendo aos consumidores uma espécie de carnê-avião. Após quitar até 12 prestações, o cliente passa a ter o direito de viajar. "O carnê dispensa a análise de crédito, principal empecilho ao acesso da classe C a esse tipo de serviço", afirma Ralph Fuchs, presidente da Vai Voando.

A tentativa da Webjet de se firmar como um modelo de companhia aérea de baixo custo remonta à sua fundação. Criada em 2005 pelo advogado Rogério Ottoni, a empresa iniciou suas operações com um único avião e inovou ao oferecer um preço único de tarifas, extinguir as classes nos aviões e vender passagens somente pela internet. A iniciativa, porém, teve vida curta. A Webjet interrompeu as atividades apenas seis meses após a estreia, sufocada por uma sangrenta guerra de preços deflagrada por Gol, TAM, e Varig. Sem dinheiro e com o avião parado durante três meses, a companhia foi vendida por uma bagatela para uma sociedade formada pelo grupo Águia, dono de diversas agências de turismo, e pelo empresário carioca Jacob Barata. Um segundo avião foi adquirido - mas depois disso os investimentos cessaram.

Em 2007, a Webjet foi comprada pelo empresário Guilherme Paulus, dono da CVC, a maior rede de agências de turismo do país, por 45 milhões de reais. Desde então, foram compradas 18 aeronaves, todas de segunda mão de companhias com sede em países como China, Polônia e Indonésia. Com isso, o faturamento da empresa e sua participação de mercado dobraram no último ano. Atualmente, a Webjet conta com uma participação de 4,3% dos voos domésticos.

Na terceira tentativa de fazer a Webjet decolar, Ferreira tem pela frente um enorme e vital desafio: ganhar dinheiro. De 2007 para cá, a Webjet já consumiu cerca de 120 milhões de reais em investimentos, mas continua operando no vermelho. Em parte isso se deve ao fato de que o modelo de baixo custo e baixa tarifa - adotado por companhias como a irlandesa Ryanair e a americana Southwest - encontra sérias dificuldades para ser colocado em prática no Brasil. A começar pela carga tributária. Aqui, os impostos representam 32% da receita de uma companhia aérea, ao passo que nos Estados Unidos, por exemplo, esse valor não passa de 23%.

Além disso, boa parte da economia dessas empresas está na possibilidade de operar em aeroportos secundários, distantes dos grandes centros, e com taxas de operação mais baixas. No Brasil, pelas regras da Infraero, esse tipo de diferenciação praticamente não existe. "Por causa disso, ascompanhias brasileiras preferem disputar os mesmos aeroportos, competindo pelos mesmos consumidores", diz um executivo do setor. Até a empresa mais bem-sucedida nesse modelo no Brasil, a Gol, teve de fazer algumas concessões, como incluir escalas nas rotas para encher os voos. "Vamos entrar no azul e já pensamos em atrair um sócio", diz Ferreira. Sem isso, a Webjet precisará de mais do que cantoria para sustentar o seu crescimento.

Exame

O novo copiloto da gol


Responsável pelas finanças da companhia aérea, Leonardo Pereira assume reestruturação da empresa e se torna o homem de confiança de Constantino Júnior

Quando criança, o engenheiro de produção e economista Leonardo Pereira sonhava em ser piloto de avião. Por isso ficou tão decepcionado quando, na juventude, foi dispensado da Aeronáutica por ter miopia. Hoje, aos 51 anos, Pereira finalmente conseguiu trabalhar na aviação. Ele não está na cabine de comando de nenhuma aeronave, mas tem uma responsabilidade muito maior. Pereira se tornou uma espécie de copiloto da Gol, o homem de confiança do acionista da empresa, Constantino Júnior, e principal responsável pela recente reestruturação que há um mês culminou na saída de dois executivos que participaram da criação da companhia. "Pereira teve um papel fundamental nas recentes mudanças implementadas pela Gol", diz Victor Mizusaki, analista do setor aéreo do Itaú. "Foi ele, por exemplo, quem convenceu em setembro o conselho a aumentar o capital da empresa, que resultou na captação de R$ 600 milhões."

Vice-presidente financeiro da Gol, Pereira tem um estilo de trabalhar muito parecido com o do próprio Constantino Júnior. É informal no trato com subordinados e chega a chamá-los pelo apelido. No dia a dia, evita o uso de paletó e gravata. "Cheguei à empresa para fazer com que a Gol ganhasse mais credibilidade perante os analistas", diz. "Até agora, isso tem dado certo." Nos corredores da empresa, sua proximidade com o dono tem causado certa ciumeira entre outros executivos. Apesar de ter sido contratado há apenas oito meses, é ele quem ficou com a responsabilidade de integrar definitivamente as operações de Gol e Varig. Antes de assumir a atual posição, passou por empresas como Citibank e Net. Nesta última, viveu uma experiência similar à atual: o comando da reestruturação da dívida da companhia. Segundo o próprio Constantino Júnior confidenciou a amigos, isso foi fundamental para a sua contratação.

A Gol vai encerrar 2009 de forma mais saudável do que havia projetado no começo do ano. A empresa deve entrar em janeiro de 2010 com R$ 1,4 bilhão em caixa, 50% acima do plano inicial. Segundo Pereira, no ano que vem os investimentos serão focados na melhoria dos serviços e treinamento de funcionários. Mas ele tem outros projetos em mente. Depois das férias de fim de ano, uma nova ideia sua será adotada em toda a empresa.

Constantino Júnior e todos os vice-presidentes da Gol deixarão suas salas para compartilhar o mesmo espaço, sem divisórias ou baias. "Faço reuniões com essa turma o tempo todo", diz Pereira. "Se estivermos todos na mesma sala, ganharemos um tempo precioso."
Desástres Aéreos

Curioso Incidente com avião da TAM no Paraguai




A imprensa paraguaia teve acesso, na semana que passou, a detalhes de um curioso incidente envolvendo um avião da TAM no Aeroporto Internacional Silvio Pettirossi, região metropolitana de Asunción. José Amarilla, chefe de inteligência do Ministério do Interior, teria tentado impedir a decolagem da aeronave.

De acordo com o Diário Última Hora, que deu amplo destaque ao assunto, o motivo da suposta ordem para que o avião retornasse ao portão de embarque seria fútil: o atraso do próprio Amarilla, do delegado Luis Bernal e do advogado Óscar Tuma, que perderam a hora e, portanto, o voo.

O episódio aconteceu no dia 24/11, com o voo 706 da TAM, com destino a Ciudad del Este e São Paulo. Entre as ameaças relatadas pelo Última Hora, estava a de colocar caminhões e outros veículos para bloquear a pista, no sentido de impedir a decolagem ou o pouso na região fronteiriça.


Por este motivo, dirigentes da companhia solicitaram a seus empregados no Aeroporto Internacional Guaraní, a 30 quilômetros da Ponte da Amizade, que ficassem de prontidão ante eventuais problemas para o pouso da aeronave.

O bizarro incidente gerou duras críticas por parte de Osvaldo Salinas, presidente da Federação dos Trabalhadores Aeronáuticos. “Nenhum avião, uma vez iniciado o processo de decolagem, pode voltar à área de embarque por um, dois ou vinte passageiros”, afirmou.

Por sua vez, Ceferino Farías, titular da Direção Nacional de Aviação Civil (DINAC), negou que tenha dado ordem para que o avião retornasse ao portão, admitindo, apenas, ter consultado o piloto sobre a possibilidade. José Amarilla também negou o ocorrido, afirmando ter viajado por terra após perder o voo.

Segundo informa o Última Hora, a direção da companhia TAM no Paraguai solicitou à DINAC a abertura de procedimento para investigação dos fatos, uma vez que, além de violar regras internacionais de aviação, a concretização das ameaças poderia colocar em risco a vida dos mais de 80 passageiros a bordo.

Aeroblog

Aeroportos de Bruxelas, Charleroi e Liège, na Bélgica, pararam de funcionar por causa da neve






No Reino Unido, a operadora BAA alertou para o risco de atrasos e cancelamentos em Heathrow, o maior aeroporto do país. O de Manchester (norte da Inglaterra), anunciou seu fechamento no fim da manhã de ontem.

Em Paris, no aeroporto internacional de Roissy-Charles-de-Gaulle, 40% dos voos previstos na manhã de ontem haviam sido cancelados preventivamente no sábado, assim como 20% dos voos previstos para a tarde.



O frio e a neve também atingiram o sul da Europa. Várias regiões do norte e do centro de Portugal foram colocadas em estado de alerta ontem, e o tráfego aéreo continuava muito perturbado no aeroporto internacional de Madeira.
Aeroblog

Passageiros não conseguem embarcar para os EUA e fazem protesto no aeroporto de Cumbica, em SP



SÃO PAULO - Os 216 passageiros de um voo 0120 para os Estados Unidos da empresa americana Delta não conseguiram embarcar no sábado no aeroporto de Cumbica, em Guarulhos, na Grande São Paulo. Segundo a empresa, a nevasca que atinge diversas regiões nos Estados Unidos impediu que a aeronave decolasse dos EUA para o Brasil. Houve confusão e tumulto e a Polília Militar foi chamada para ficar nos guichês do check in.

Muita gente não conseguiu embarcar até agora e a Delta informou que vai acomodar pelo menos 80 passageiros em voos da TAM. O embarque será feito por ordem de chegada. Já para os demais passageiros, ainda não há previsão de embarque.

Os passageiros que tentam desde as 18h de sábado embarcar no para o Aeroporto JFK, em Nova York, organizaram neste domingo um protesto em frente ao balcão da companhia. De acordo com a Agência Nacional de Aviação Civil (Anac), o voo estava previsto para as 23h de sábado. De acordo com a Polícia Militar o protesto ocorreu das 18h às 19h20m.

A pedagoga Cleonice Piton Petri, de 50 anos, afirmou que cerca de 240 pessoas cercaram o check-in da companhia áerea para impedir a movimentação de novos passageiros enquanto a companhia não resolver o problema daqueles que aguardam o embarque desde sábado. Ela conta que estava na fila do check-in por volta das 18h de sábado quando a companhia informou que o voo não poderia ser realizado por causa de uma nevasca em Nova York.

Da fila,os passageiros foram encaminhados a um hotel em Guarulhos. Desde as 14 horas de domingo eles aguardam o novo embarque. Cleonice, que embarcaria para uma viagem de passeio com o marido e os filhos, afirma que está perdendo eventos previamente agendados.

O Globo

Mulher, de 72 anos, voa de parapente da Pedra da Gávea

Geralda Ferreira de Araújo, de 72 anos, se prepara para pular de parapente - foto: Wania Corredo / Extra

RIO - Uma vovó irada deixou sua marca radical no Rio de Janeiro, voando de parapente, partindo da Pedra da Gávea. A mineira Geralda Ferreira de Araújo, de 72 anos, que atualmente mora em Brasília, diz que faltava essa aventura em seu currículo:

- Sempre nadei muito na praia e, em Brasília, atravessei o Lago Paranoá - diz Dona Geralda, que conta que toda vez que ela passava pelo lago dizia que ainda iria fazer a travessia dele.

Ela já fez rapel em prédios de Brasília e tirolesa na Cachoeira do Tororó, a 50 quilômetros da capital. Geralda garante que, em Goiás, saltou de uma cachoeira de 190 metros (assista ao vídeo da vovó radical fazendo rapel) . Hoje, está aposentada do mercado de trabalho, mas no esporte ela está plenamente ativa:

- Já trabalhei em hospital, como auxiliar de enfermagem, e em teatro, quando fui atriz. Casei e tive filhos numa vida muito corrida.

As duas filhas de Geralda - Sônia, de 45, e Glória, de 44 - são fãs da coragem da mãe, assim como as duas netas: Thaiane e Tainá.

Thaiane, de 15, conta que, dos esportes que a avó pratica, gosta mais de mergulho:

- Ela é um exemplo para todos. Não tenho coragem de fazer o que ela faz.

Engana-se, no entanto, quem pensa que Geralda abre mão da família.

- Ela é como toda avó, mas ela é a melhor do mundo - determina Thaiane.

Participando de diversas competições de natação desde os 70 anos, ela já arrecadou nada menos que 136 medalhas e 10 troféus.

Geralda comemora a chegada em terra firme - foto: Wania Corredo / Extra

- Não tenho mais porque o tempo não deixa. Antigamente eu tinha vontade, mas tinha a família e o trabalho. Agora, é o esporte.

Na terra, na água e no ar: aventuras

Geralda também curte correr e pedalar. Já participou de rali, voou de asa-delta e faz rapel, a atividade de que mais gosta, com uma equipe de mais dez pessoas, todos mais jovens em idade. Ninguém, no entanto, bate essa senhora em disposição e sede de aventuras.

Geralda roda o Brasil atrás de experiências radicais. A filha tenta acompanhar o ritmo.

- Minha mãe sempre foi assim - conta Sônia.

O instrutor que a acompanhou em seu primeiro voo de parapente, Carlos Millan, de 52 anos, conta que a conheceu quando ela foi voar de asa-delta. Ele explica que o salto de parapente requer cuidados especiais, por causa do impacto, mas ela foi muito bem no voo.

- Passar essa emoção é a coisa mais gratificante. Ela é radical - conta Carlos.

EXTRA

Super Tucano para a República Dominicana



A Embraer (EMBR3) comunicou na noite passada a entrega do segundo jato Embraer 190 ao governo brasileiro e também de duas aeronaves do tipo Super Tucano à República Dominicana.

TAM anuncia compra da Pantanal Linhas Aéreas por R$ 13 milhões

TAM responde por 43,93% do mercado nacional


A TAM, companhia aérea que detém a liderança no mercado nacional, anunciou nesta segunda-feira a compra de todas as ações da Pantanal Linhas Aéreas, por R$ 13 milhões.

Segundo a TAM, a aquisição está sujeita à autorização da Anac (Agência Nacional da Aviação Civil) e do cumprimento de determinadas condições.

Com a compra de 100% da concorrente, a TAM deve abrir uma vantagem ainda maior sobre a Gol/Varig. Atualmente, as duas empresas respondem por 43,93% e 42,25%, respectivamente, do mercado nacional de companhias aéreas, segundo dados da Anac.

A Pantanal começou a operar em 1993 e conta com seis aviões em sua frota, realizando voos entre as cidades paulistas de Presidente Prudente, Bauru, Marília, Araçatuba e São Paulo, além de Maringá (PR) e Juiz de Fora (RJ).

Mais lucrativas

Segundo um levantamento da consultoria Economatica, divulgado em novembro, a TAM e a Gol são as companhias aéreas mais lucrativas das Américas. Entre janeiro e setembro, o lucro líquido acumulado das empresas foi de US$ 674,115 milhões e US$ 267,184 milhões, respectivamente.

Band

Com pouco investimento, aeroportos do País operam no limite

O final do ano chegou e o momento de arrumar as malas para viajar também. Antes de sair de casa, porém, é preciso não se esquecer de colocar na bagagem paciência, principalmente para quem for viajar de avião. Segundo especialistas, os aeroportos do País já operam no limite de suas capacidades e, neste final de ano, a Infraero prevê que receberão 10% a mais de passageiros.

Pelo temor de que passageiros se acumulem nos guichês das companhias aereas e um novo apagão, como o de 2006, ocorra no País, a Agência Nacional de Aviação Civil (Anac) optou por reduzir o número de operações por hora no Aeroporto Internacional de Guarulhos, na Grande São Paulo.

AE
Passageiros devem se preparar para a possibilidade de filas nos aeroportos

O local, que chegava a ter 49 voos/ hora nos horários de pico, desde novembro, está com a capacidade limitada a 45 voos/ hora. E a restrição não tem data para acabar. A expectativa dos especialistas consultados pela reportagem do iG é que dure pelo menos até a entrega do terminal 3 de Guarulhos, prevista para acontecer em abril de 2014.

“Um aeroporto como Guarulhos não pode ficar todo esse tempo sem crescer. Para atender a demanda, teria que aumentar a capacidade em pelo menos 5% a 7% ao ano”, considera o diretor da Sociedade Brasileira de Pesquisa em Transporte Aéreo, Anderson Ribeiro Correa.

E não é só Guarulhos que passa por restrições. O aeroporto de Congonhas, em São Paulo, que já chegou a ter mais de 40 partidas e chegadas por hora, está com a capacidade limitada a 30 operações/ hora, desde 2007. Fato este bastante contraditório na visão de quem trabalha na área. “Todo País quando cresce a demanda, aumenta a capacidade dos aeroportos. Aqui, como não melhoraram a estrutura, diminuíram o tráfego”, afirma o comandante Ronaldo Jenkis, do Sindicato Nacional das Empresas Aeroviárias (Snea).

E o consumidor?




E quem deve pagar a conta nos próximos meses pela falta de investimento em infraestrutura aeroportuária, segundo os consultores, é o consumidor. “O aumento da demanda e não da oferta refletirá no aumento da passagem aérea. E não por causa das companhias, que também querem lucrar, mas pela falta de espaço para novos voos nos aeroportos”, afirma André Castellini, consultor aéreo da Bain & Company, acrescentando que Congonhas já oferece passagens mais caras que os demais.

Um levantamento feito pelo professor Elton Fernandes, da Coppe - Instituto Alberto Luiz Coimbra de Pós-Graduação e Pesquisa de Engenharia, ligada à Universidade Federal do Rio de Janeiro (UFRJ), mostra que nove dos 15 aeroportos que devem receber voos da Copa do Mundo de 2014 já estão com a capacidade de estacionar aeronaves no pátio no limite, sendo que alguns, como Congonhas, durante todo o dia.

Para o comandante Jenkis, mais do que estar no limite, ele considera que algumas pessoas já não encontram voos para os dias e horas que desejam. “As empresas têm um aproveitamento médio de 70%. Isso significa que, para atingir este patamar, vários voos saem 100% ocupados. Já há demanda reprimida”, afirma, acrescentando que, para uma empresa crescer é preciso aumentar o número de voos ou a capacidade dos seus aviões.

A primeira opção, no Brasil, já é completamente utilizada. “Hoje, nos voos domésticos, as companhias trabalham com os maiores aviões existentes, como o Airbus 320 (que tem 180 lugares)”, diz. Aviões com mais de 200 lugares, como dos modelos Airbus 330 e 340 e Boing 767, só são recomendados para viagens longas, em razão do alto custo operacional.

A medida da Anac de restringir voos, além de limitar as opções dos consumidores, é considerada um entrave ao crescimento do setor, de acordo com os especialistas ouvidos pela reportagem do iG. A princípio, ela afeta apenas os voos fretados por agências. Porém, em um prazo de seis meses a um ano, deve atingir também os voos regulares. Um agravante, na visão de Castellini, é que os outros aeroportos da região não têm condições de receber os voos restritos em Guarulhos. “Em 2007, quando houve restrição em Congonhas ainda havia capacidade em Guarulhos e Viracopos (Campinas). Hoje, a situação está bem mais complicada”, afirma.

Agência Brasil
Aeroportos já operam no limite da capacidade

Greve

E para complicar ainda mais a viagem do brasileiro, a Federação Nacional dos Trabalhadores em Aviação Civil (Fentac) prometia uma greve para os dias 23 e 24 de dezembro, quando os aeroportos estivessem no auge de seus movimentos.

O motivo era o impasse sobre o aumento que seria dado aos trabalhadores em 2010. Enquanto a categoria pedia 10%, as empresas queriam 4,5%. Em uma audiência feita às pressas na última terça-feira, empresas e empregados aceitaram a proposta da procuradora do Ministério do Trabalho Laura Martins de Andrade de reajuste de 6%.

Pelo menos, por enquanto, a possibilidade de greve no final do ano está descartada, segundo a Fentac. Mas as negociações ainda não terminaram. O Snea rejeitou a proposta de inclusão na convenção coletiva dos aeronautas do direito à cesta básica e uma nova audiência foi marcada para tratar do tema em 2010.

Causas

Desde o caos aéreo de 2006, quase nada mudou na estrutura dos aeroportos e os investimentos prometidos não saíram do papel. Por outro lado, o número de passageiros aumentou significativamente nestes três anos. Segundo a Infraero, em 2006, os aeroportos brasileiros tiveram um acumulado de 102 mil passageiros; em 2007, foram 110 mil e, em 2008, 113 mil (contando embarques e desembarques).

“O governo tem mostrado sua incapacidade de fazer as coisas acontecerem. Há mais de três anos que se fala que o sistema está no gargalo”, afirma André Castellini.

De acordo com a Infraero, em 2009, foram ampliados os aeroportos de Cruzeiro do Sul (Acre) e Boa Vista (Roraima), com a construção de um novo terminal de passageiros em cada um; e Fortaleza (CE), com a construção de terminal de cargas e torre de controle.

Em Congonhas, São Paulo, uma nova torre de controle está em execução, com o custo de R$ 9,4 milhões. No Rio de Janeiro, o aeroporto de Santos Dumont passou por reforma da pista principal e o de Galeão recebeu melhorias no terminal I, como a reforma de sanitários e troca de revestimentos de paredes e pisos. Nos aeroportos paulistas de Guarulhos e Viracopos nada foi feito, assim como no de Brasília.

Especialistas consideram que, mesmo os aeroportos de SP e Rio que tiveram investimentos em 2009, nenhum passou por obras de ampliação. “Nada foi feito para aumentar a capacidade. As obras são quase todas apenas de manutenção, como recapear pistas, pintar paredes e trocar pisos”, critica Castellini.

Futuro

Para a Copa de 2014, a Infraero promete investir 4,61 bilhões nos aeroportos. Procurada pelo iG, informou que possui 43 obras no Programa de Aceleração do Crescimento (PAC), sendo 15 delas relacionadas às cidades-sede dos jogos.

Entres os projetos anunciados, destacam-se: construção do 3º terminal de passageiros de Guarulhos (valor de R$ 1,1 e previsão de conclusão em abril de 2014); construção de terminal de passageiros e pátio em Viracopos (valor de R$ 700 milhões e previsão de conclusão em maio de 2014); e ampliação do terminal sul do Aeroporto Internacional de Brasília (valor de 524 milhões e previsão de conclusão em abril de 2013).

Enquanto as obras não são entregues, umas das soluções propostas pelo consultor em aviação Paulo Bittencourt Sampaio é a construção de terminais provisórios, principalmente em Guarulhos e Congonhas. “Na década de 70, quando estava sendo construído o novo Galeão foi feito um terminal provisório, que funcionou muito bem por três anos”, afirma, acrescentando que a obra é “rápida e barata”. “Você cria um terminal com estrutura de aço e paredes móveis e descongestiona por um tempo os outros”.

Do mais, segundo os especialistas, os passageiros devem utilizar a paciência e torcer para que um novo caos aéreo não ocorra em 2009, porque, para os próximos anos - mantidas as atuais taxas de crescimento e investimento - ele é dado como certo.

último Segundo

Ex-funcionário de aviação voa alto: lança discos estrangeiros no Brasil e licencia brasileiros no exterior

RIO - Até o 11 de Setembro, o sujeito que aparece soterrado por CDs na foto aqui ao lado era um pacato funcionário da United Airlines no Galeão. Sérgio Martins trabalhava no check-in, auxiliava passageiros, fazia de tudo um pouco.

Sergio Martins, propriet?rio da gravadora LAB344. Foto: Gustavo Pellizzon

Quando viu que a carreira perigava ir pelos ares depois do atentado, ele entrou num programa de demissão voluntária. Com as passagens grátis que ainda tinha na manga, o inglês fluente, alguns contatos e muita cara de pau, Sérgio caiu no mundo e arriscou outra história. Hoje, é o dono do selo LAB 344, que licencia artistas brasileiros lá fora, exporta gringos para outros países e vem trazendo cada vez mais música estrangeira para o Brasil. Só este ano, lançou por aqui os últimos do Sonic Youth, Simply Red (que, aliás, foi disco de ouro), The Lemonheads, A-ha, Belle and Sebastian, Cat Power... Ah, e antes que alguém pergunte, LAB vem de laboratório mesmo, e 344 é a velocidade com que o som se propaga no ar - 344 metros por segundo.

O Globo

Armas norte-coreanas eram destinadas ao Irã



SEUL — As 30 toneladas de armas de guerra norte-coreanas apreendidas na Tailândia semana passada estavam destinadas ao Irã, informa o Wall Street Journal.

A publicação tem como base documentos que mostram o plano de voo. O avião faria escala no Sri Lanka, nos Emirados Árabes Unidos e na Ucrânia antes de chegar ao Irã.

A informação está em um projeto de relatório do TransArms, instituto de investigações com sede em Chicago, e do International Peace Information Service (Ipis), outro instituto de investigações com sede na Antuérpia (Bélgica).

Trinta toneladas de armas de guerra foram apreendidas semana passada em Bangcoc a bordo de um avião georgiano procedente da Coreia do Norte, em uma violação às sanções impostas pela ONU ao regime norte-coreano.

Os quatro cazaques e o bielorrusso que integravam a tripulação foram detidos e serão processados por violar a legislação sobre o comércio de armas.

EFE

Pilotos de avião recebem US$ 5 mil para levar drogas entre Bolívia e MT




Cinco mil dólares. Esse é o valor médio que um piloto recebe para atravessar a fronteira e lançar entorpecentes em Mato Grosso. As drogas, oriundas principalmente da Bolívia, são arremessadas em fazendas e transportadas via caminhões para o Sul e Sudeste do país. Por causa dessa demanda, ocorrem assaltos a aeronaves de pequeno porte localizadas em municípios da região de fronteira. Outro dado interessante é que o Aeroporto Internacional Marechal Rondon, em Várzea Grande, é, segundo estimativas da Polícia Federal, o 5º do país onde mais se encontram drogas.

Os traficantes internacionais contratam pilotos com experiência, que tenham no mínimo 400 horas de voo. Na maioria das vezes, o avião pertence ao próprio dono da droga, que assalta pilotos ou empresas aéreas que atuam no Estado.

"Há 15 anos, os aviões com drogas oriundas da Colômbia eram pilotados por ex-militares da Força Aérea daquele país", diz um piloto que não quer ser identificado e tem mais de 14 anos de experiência em aviões de pequeno porte.

O sistema de arremesso de drogas foi descoberto em, pelo menos, duas grandes operações deflagradas pela Polícia Federal este ano. Tanto na "Maranello" quanto na "Campos do Norte", monomotores eram usados para a desova dos entorpecentes. "Os pilotos são muito bons, rápidos e voam em baixa altitude", lembrou o delegado da PF, Alexandre Custódio Neto.

Segundo o piloto ouvido pela reportagem, para fazer o arremesso, os profissionais contratados pelo tráfico reduzem a velocidade do avião a 80 nós e usam a configuração de pouso, assim podem abrir a porta da aeronave e lançar os entorpecentes. A desova da droga pode ser feita em uma clareira na mata de 50 metros. "Esse é o mesmo modo que os pilotos faziam nos garimpos para arremessar botijões de gás no acampamento", compara.

Atualmente, as aeronaves não ficam mais de 40 minutos em espaço aéreo brasileiro. Elas vêm a uma velocidade de 170 a 180 nós (o que corresponde a aproximadamente 300 km por hora). Geralmente, saem à noite da Bolívia (por volta das 22h ou 23h) e têm autonomia de voo para 8 ou 9 horas.

Estratégias - O modo de operação dos voos sofreu transformações. Antes, a região Oeste de Mato Grosso era o ponto de abastecimento das aeronaves, já que o objetivo era levar a droga para as regiões Sul e Sudeste do país. Hoje, com a mudança na cobertura aérea brasileira, como a "Lei de Abate", por exemplo, os pilotos não pousam, apenas lançam a droga.

De acordo com o superintendente da Polícia Federal em Mato Grosso, Oslain Santana, as aeronaves que transportavam as drogas, quando identificadas, tinham os pilotos presos em terra. Entretanto, a partir do ano 2000, com a pressão no espaço aéreo brasileiro, as drogas começaram a ser arremessadas.

A última apreensão de drogas arremessadas em Mato Grosso foi feita no dia 16 deste mês em Glória D"Oeste (312 km ao sul de Cuiabá). Foram cerca de 65 quilos de pasta-base de cocaína lançados por uma aeronave em uma fazenda no município. Segundo informações da Polícia Civil, a droga foi arremessada na terça-feira (15), por volta das 12 horas, e caiu em uma região pantanosa, de difícil acesso. A droga estava armazenada em 56 tijolos, divididos em 2 pacotes. O dono do entorpecente seria o proprietário da fazenda, conhecido como "João Branco".

Segundo o piloto que contou detalhes das operações, aumentou o número de intercepção de aeronaves pela Força Aérea Brasileira (FAB). "É rotineira a interceptação em Mato Grosso do Sul e Mato Grosso. Eu já fui interceptado 2 vezes".

No entanto, ainda é pouca a pressão aérea sobre as aeronaves, já que o roubo delas não é impedido e continuam sendo cooptadas para o tráfico de drogas.

Outro piloto, que também não quis se identificar, teve sua aeronave roubada em 2004 no município de Mirassol D"Oeste (300 km a oeste de Cuiabá). Os bandidos chegaram no aeroporto e abordaram o empregado dele. O monomotor custava R$ 400 mil. "Eu fiquei magoado com tudo isso. Eu tinha uma vida muito boa, voava com deputados e senadores, mas tudo acabou".

Por causa do roubo, esse piloto saiu de Mato Grosso e mora atualmente no interior de São Paulo. "Eu queria ficar aí (Mato Grosso). Agora estou isolado, estou tranquilo aqui".

Neste ano, ainda não foi registrado nenhum roubo de aeronave, de acordo com a Polícia Civil. Número diferente de 2008, quando duas aeronaves em Santo Antônio do Leverger (34 km ao sul de Cuiabá) e 1 aeronave em Primavera do Leste (241 km ao sul de Cuiabá) foram roubadas. Nenhuma foi recuperada.

Apreensões - A Polícia Civil chega ao fim de 2009 com 1,5 tonelada de cocaína, maconha e pasta-base apreendidas. Já a PF apreendeu, este ano, 4,1 toneladas de cocaína, maconha e pasta-base. Entre as apreensões, estão as feitas na operação São Cristóvão. Era da quadrilha a droga que estava no monomotor Cesna que caiu em uma região de mata fechada em Nova Lacerda (546 km a oeste de Cuiabá) em maio deste ano.

Apenas um piloto boliviano, que fez um pouso forçado em uma fazenda no Pantanal mato-grossense, foi preso pela Polícia Federal este ano em Mato Grosso, 5 dias após ser rastreado pela Força Aérea Brasileira (FAB) por entrar sem autorização no país. O acusado fez a primeira parada em Caiapônia (GO), onde entregou 460 kg de pasta-base de cocaína. Em depoimento, disse que recebeu US$ 4 mil para fazer o transporte da droga.

O Documento

Ventos fortes desviam dois aviões e impedem ligação marítima para Porto Santo


Funchal, 20 Dez (Lusa) -- Dois aviões não puderam aterrar hoje no Aeroporto Internacional da Madeira e o navio que faz a ligação Funchal--Porto Santo não realizou a viagem devido às más condições atmosféricas no arquipélago.

Fonte do Aeroporto Internacional da Madeira disse à agência Lusa que um avião da SATA e um da TAP Air Portugal, provenientes de Lisboa, desviaram a rota para a ilha do Porto Santo devido "ao vento forte", tendo ainda confirmado o registo de alguns atrasos nos voos.

"As más condições atmosféricas começaram por volta das 10:15 horas", disse.

Jornal de Notícias

Gerente de marketing 1 vaga

Vaga:
Gerente de marketing
Código da vaga: 985589
Data de atualização:
17/12/2009
Quantidade:
1 vaga
Descrição:
Multinacional do segmento de aviação oferece oportunidade na área de comunicação.Conhecimentos comprovados na área de comunicação.Serão diferenciais vivência no segmento de aviação e conhecimento do Sistema GDS.
Exigências:
  • Superior cursando
Faixa salarial:
A combinar
Benefícios:
A combinar
Níveis hierárquicos:
Gerência
Área(s) de atuação:
Marketing
Cidades:
SAO PAULO/SP (1 vaga)

Emprego Certo